31 de jul de 2017

A História é uma História


Raul Longo, nada. A “História é uma Istória” é texto teatral de Millôr Fernandes dos anos 70. Millôr Fernandes foi escritor, pensador, desenhista, humorística, dramaturgo, tradutor, artista visual, autor de musicais, crítico, preso político, e outras coisas mais.

Raul Longo nunca foi nem 1/3 disso tudo. Por isso não pode escrever a “História é uma Istória” Só pode escrever que a História é uma História. Sobre o óbvio, sobre o que todo mundo pode ver.

Isso, quem quiser enxergar. Quem não quer enxergar, não pode ver nada mesmo. Ou só pode ver o que lhe deixam enxergar, como se faz com aqueles animais de tração. Aí não há Millôr Fernandes que faça enxergar a Istória, nem História que tire a viseira para que se enxergue o evidente.

Portanto, a um mero Raul Longo só resta relembrar a História e cada um que enxergue o que lhe deixam ver.

Por exemplo: ao longo da História sempre houve a divisão, o conflito, o embate entre dois tipos de personagens: os Perseguidores e os Perseguidos.

Aí, na falta de uma Millôr Fernandes para contar Istória, você está lendo aqui sobre o óbvio, o evidente, o que só um burro não consegue enxergar... Por causa da viseira.

Como você não é um animal de tração, a proposta é muito simples. Escreva lá em cima numa folha de papel: PERSEGUIDOR. E ao lado, um pouco mais à direita do papel: PERSEGUIDO.

Também pode ser na página inicial de um arquivo de Word, mas quando terminar não se esqueça de gravar como arquivo para a cada dia poder abrir e conferir se enxerga para ver ou se só consegue enxergar apenas o que querem que você veja. Se preferir a folha de papel, mantenha-a a mão para não ter de conferir no espelho se cresceram as orelhas, pois os espelhos enganam anoréxicas e animais de tração.

Use a História de modelo e separe nas colunas os personagens que considera PERSEGUIDOR e aqueles que considerar PERSEGUIDOR, começando pelos mais famosos da Antiguidade: Jesus Cristo e Império Romano.

Escreva o que considera perseguido na coluna PERSEGUIDO e o que considera perseguidor na coluna PERSEGUIDOR.

Parece demais de óbvio? Não é tanto assim. Quer ver como não é? A Igreja Católica é cristã e Jesus Cristo era judeu. Então se lembre da Inquisição e escreva na coluna que lhe pareça correta quem foi o PERSEGUIDO pela Inquisição e quem foi o PERSEGUIDOR.

Vê como dependendo do contexto ou do que lhe deixam enxergar o Perseguidor pode ser o Perseguido e vice-versa?

Para exemplificar, escreva Nazista e Judeu, cada um na coluna correspondente. E em seguida, só para perceber que nada é tão óbvio quanto parece, separe Judeu e Palestino, cada um numa das colunas.

Agora vamos simplificar vindo para a história do Brasil: Tiradentes e Coroa Portuguesa. Anote lá na coluna correspondente qual para você foi o PERSEGUIDO e qual o PERSEGUIDOR.

Tá achando o joguinho muito besta? Tá bom! Vamos atualizar para dar mais emoção: Lula e Sérgio Moro. Escreveu lá quem é o PERSEGUIDO e quem é o PERSEGUIDOR.

Viu como é fácil? Mesmo que não consiga ver as orelhas crescidas, se não for muito burro você já poderá enxergar além do que lhe deixam ver. E não se espante se não se vê atrelado a nenhuma carroça. Nem todos os animais de tração puxam carroça.

Com o saldo da conta do Eduardo Cunha na Suíça dá para comprar milhares de carroças e adivinhe quem puxou todas elas? Se não conseguir adivinhar e nem desconfia, é só lembrar como você pensava em 2016 e escrever Dilma Rousseff e Eduardo Cunha na coluna que na época você achava correspondente a cada um, e talvez veja quanta coisa é capaz de tracionar.

Se ainda não conseguiu enxergar isso, é porque não querem que veja. Para isso servem as viseiras e fica por conta do leitor retirá-las ou não.

Raul Longo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.