5 de mai de 2017

WikiLeaks: A CIA assume o controle dos navegadores no escritório

O WikiLeaks publicou sexta-feira uma nova infiltração, que revela como o malware chamado Arquimedes, usado pela CIA. Esta ferramenta permite tirar rapidamente o controle dos computadores em uma rede local (LAN), passando-se como uma sessão comum de navegador de Internet.

Normalmente as LANs são instaladas em conjuntos de vários dispositivos dentro de escritórios, mas também são usadas ​​por alguns usuários em suas casas.

A CIA espiona o histórico dos navegadores web dos usuarios

O malware infecta uma rede de computadores e envia o navegador neste computador para um servidor especial que procura vulnerabilidades enquanto o usuário não vê nada de suspeito. Desta forma, a CIA pode se infiltrar em redes locais para controlar e afetar os computadores que comp0õem a rede, diz o WikiLeaks.

Sobre a infiltração do Arquimedes, o WikiLeaks publicou um manual sobre o uso, elaborado pela CIA, e três anexos assim como o manual do programa malicioso Fulcrum, que permite a utilização de um computador infectado para afetar outro dispositivo de uma rede local, bem como espionar comunicações de tráfego HTTP dos computadores afetados. Isto é, o programa espiona o histórico dos navegadores web e permite ver as páginas que você visita.

Esta publicação faz parte de uma espionagem de grande escala dos arquivos de armas cibernéticas da CIA chamado Vault 7.

Outros vazamentos anteriores do WikiLeaks revelaram entre outras coisas que:

- A ferramenta Scribbles da CIA permite marcar e rastrear documentos criados com o software Microsoft Office filtrados por informantes ou roubados por "oficiais de inteligência estrangeiros".

- A ferramenta Weeping Angel da CIA pode gravar, enviar e armazenar áudio através do microfone incorporado nas TVs inteligentes da série F da Samsung.

-O software Dark Matter é projetado para infectar produtos da empresa estadunidense Apple, mesmo depois de apagado o disco rígido e reinstalado o sistema operacional do dispositivo.

- O programa Marble disfarça os hackers da CIA, impedindo investigações legais e atribuindo ataques cibernéticos a vírus e cavalos de Tróia.

- Desde de outubro 2014 a CIA estuda a possibilidade de infectar sistemas de controle de modernos veículos para "fazer assassinato indetectável" caminhões.

O programa malicioso Hive é usado pela agência para enviar informações desde máquinas atacadas pela CIA e permite seu controle para executar tarefas específicas.

-A ferramenta Grasshopper, indetectável pela maioria dos programas antivírus, se destina a criar dados prejudiciais individualmente para o sistema Windows.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.