24 de mai de 2017

Após duas delações, todos os senadores da bancada catarinense estão citados na Lava Jato

Após a delação da Odebrecht envolver o nome do senador Dalírio Beber (PSDB), a colaboração da JBS tratou de colocar os outros dois senadores catarinenses na lista de citados. Paulo Bauer, líder do PSDB no Senado e Dário Berger (PMDB) são acusado de ter recebido dinheiro em dois contextos diferentes. Todos negam as acusações.
Dalírio Beber, Dário Berger e Paulo Bauer - Divulgação/ND
Dalírio Beber, Dário Berger e Paulo Bauer
Segundo os executivos da JBS, Berger teria recebido R$ 1 milhão, via doações dissimuladas, da cota de Renan Calheiros (PMDB-AL). A contrapartida seria votar em Renan na eleição à presidência do Senado. Berger diz que os valores nunca chegaram ao seu comitê de campanha. “Todos os recursos recebidos tiveram origens lícitas e estão registrados. Relativamente ao suposto valor, não tenho conhecimento, não o recebi”, afirmou por meio de nota.

Além disso, Berger disse que votou em Luiz Henrique da Silveira, senador catarinense que concorreu contra Renan ao cargo. “Grave ofensa à minha pessoa e à amizade e fidelidade para com meu amigo”, completou.

Já o nome de Bauer aparece em duas planilhas. A primeira marcada como sendo do “PSDB-Sergio Freitas/Serra” e que teria destinado R$ 100 mil da conta da JBS aberta para abastecer apoios a José Serra em 2010. Na época, Bauer concorreu ao Senado. Na segunda, seriam R$ 400 mil para a campanha ao governo do Estado, em 2014.

“A empresa JBS contribuiu para aquela campanha com R$ 100 mil de forma oficial e legal, de acordo com a legislação eleitoral vigente à época. A doação ocorreu em razão de solicitação feita por lideranças nacionais do PSDB à empresa, em favor de diversos candidatos do partido em vários Estados do país”, afirmou Bauer, também em nota.

Antes da delação da JBS, na colaboração da Odebrecht, Beber foi apontado como tendo articulado a doação de R$ 500 mil para a campanha de Napoleão Bernardes (PSDB) à Prefeitura de Blumenau. Na época, o senador rechaçou as denúncias. Sobre as novas delações, Beber se manifestou por meio de nota, afirmando que é a favor de que se investigue com transparência. “Continuo acreditando que ainda podemos lutar pelas reformas essenciais e urgentes para o Brasil, pois os interesses do país devem estar acima dos interesses políticos, individuais ou partidários”, completou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.