4 de abr de 2017

Moro recebe prova de que Lula não ocupou triplex no Guarujá, diz defesa


O juiz Sergio Moro, que julgará Lula no caso triplex, recebeu provas de que o ex-presidente nunca ocupou o apartamento no Guarujá que a força-tarefa da Lava Jato afirma ter sido pagamento de propina da OAS. Segundo a defesa de Lula, a Secretaria da Presidência enviou à Justiça do Paraná um documento que atesta depoimentos de testemunhas que disseram que Lula só esteve no local uma única vez, mas não comprou nem se beneficiou do empreendimento.

"Lula, como todos os que o antecederam, conta com um grupo de assessores mantidos pela Presidência da República. Eventuais gastos com diárias por essa equipe são registrados na Presidência da República, indicando o local onde estiveram. A última vez que os assessores pernoitaram no Guarujá (SP)  foi em 17/01/2011, quando ficaram com o ex-Presidente em uma base militar naquele município, em função do convite feito pelo então Ministro da Defesa Nelson Jobim. É o que comprova o documento", diz nota da defesa de Lula.

E acrescenta: "Lula esteve apenas uma vez no local para verificar se tinha interesse na compra, o que foi descartado. Isso foi confirmado pelo depoimento do chefe do núcleo de apoio de Lula, o Sr. Valmir de Moraes. O documento ora encaminhado pela Secretaria da Presidência da República confirma integralmente o depoimento do assessor do ex-Presidente."

Para o advogado Cristiano Zanin Martins, este documento "é mais um elemento a demonstrar ser inverídica a acusação do MPF em relação a Lula, que não é e jamais foi proprietário do chamado tríplex do Guarujá."

A defesa ainda afirma que "até agora já foram realizadas 24 audiências e ouvidas 73 testemunhas apenas em relação a essa ação. Nenhuma delas fez qualquer afirmação que possa envolver Lula em atos ilícitos praticados no âmbito da Petrobras ou à propriedade do tríplex do Guarujá. Os depoimentos também mostraram que o ex-Presidente e sua família jamais tiveram a posse das chaves ou dormiram uma única noite no imóvel."

O Ministério Público Federal acusa Lula de ter recebido veladamente a posse do apartamento no Guarujá, em troca de três contratos que a OAS teria obtido com a Petrobras.

O documento está em anexo.

No GGN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.