6 de fev de 2017

Os discursos diante dos assassinados

Mas, eles são homens e mulheres honrados

Marco Antônio (Marlon Brando) diante do cadáver de César
Uma das maiores peças da oratória política é o discurso de Marco Antônio diante do cadáver de César, apunhalado pelas costas, no Senado de Roma.

"Mas, Brutus (o assassino e traidor), Brutus é um homem honrado"!

Ele faz o elogio do assassino e traidor, para elogiar César.

Carlos Lacerda, o maior dos Golpistas e grande orador, não se cansava de exaltar essa obra de arte, de um autor inglês razoavelmente conhecido.

Uma foto de Oswaldo Aranha diante do caixão de Vargas é outra peça inesquecível - pela foto o discurso, esparsamente reproduzido.

E, aparecem uns pedestres a reclamar do discurso de Lula, que desafiou os facínoras que mataram D. Marisa.

São uns pedestres, ou como diria o autor do discurso de Marco Antônio, reles canalhas:

"É possível sorrir e, sorrindo, ser canalha"

(Shakespeare, Hamlet, ato I, cena 3)

PHA
Oswaldo Aranha (com Tancredo) discursa diante do caixão de Vargas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.