30 de nov de 2016

Depoimento de Lula à Lava Jato


Audiência em 30 de novembro de 2016; ex-presidente foi arrolado como testemunha de Eduardo Cunha

Leia Mais ►

“Eles construíram uma mentira”, diz Lula sobre Lava-Jato


Jornalista Roberto Navarro entrevista o ex-presidente Lula. Brasileiro fala sobre arbitrariedades na condução da Lava-Jato, denúncias do Ministério Público e sua defesa na justiça.

Leia Mais ►

Ameaça de renunciar e parar Lava Jato é chantagem explícita de procuradores




A chantagem consiste em ameaçar uma pessoa, grupo ou corporação com vistas que a pessoa, grupo ou corporação ameaçada cumpra certas exigências, geralmente para proveito próprio do ameaçador.

Foi isso que os procuradores da força-tarefa da Operação Lava fizeram ao dizer que podem acabar com a operação se o Congresso aprovar a lei que permite punição por abuso de autoridade também a juízes e procuradores.

O procurador do Ministério Público Federal (MPF) Carlos dos Santos Lima foi o verbalizador da ameaça. Ele disse, na entrevista coletiva realizada em Curitiba na tarde desta quarta-feira (30), que a força-tarefa da Lava Jato “pode abandonar os trabalhos”, se o que chama de “proposta de intimidação de juízes e procuradores” for aprovada.

Deltan Dallagnol, o procurador que investe em imóveis do Minha Casa Minha Vida, disse que a aprovação da lei foi o “golpe mais forte efetuado contra a Lava Jato concretamente em toda a sua história”.

A coletiva teve um objetivo claro, colocar a faca no pescoço dos deputados e senadores. O que do ponto de vista institucional é um absurdo completo.

Há uma clara invasão de um poder na atribuição do outro. E ao jogar gasolina na fogueira, esses procuradores estão agindo de forma absolutamente irresponsável.

O Brasil vive uma crise econômica gravíssima muito em decorrência de uma crise política inflada pela forma de agir da força tarefa da Lava Jato e do juiz Sérgio Moro, que buscam o tempo todo por holofotes e aclamação popular.

Essa atitude é mais uma neste sentido. E é inaceitável.

Se a chantagem prosperar, a democracia é que será a vítima.
Leia Mais ►

Lula na 7ª Expocatadores 2016


Em evento de catadores, Lula diz: "Se a gente quiser resolver a economia, tem que colocar os pobres no Orçamento da União".

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou na noite desta segunda-feira, em Belo Horizonte (MG), da 7ª Expocatadores 2016, evento anual do Movimento Nacional dos Catadores de Material Reciclável (MNCR), movimento este que está completando 15 anos. Com a propriedade de quem colocou os catadores no mapa econômico do país, Lula disse: "Se a gente quiser resolver a economia deste país, a gente tem que colocar os pobres dentro do Orçamento da União. Sem isso, não tem solução.

Leia Mais ►

Entrevista de Lula à Rádio Itatiaia 29/11/2016



Leia Mais ►

Marcelo Rezende é condenado por ofender petroleiros no 'Cidade Alerta'

Em ação movida pela FUP, juíza afirmou que "maledicência" proferida por jornalista está desvinculada do legítimo propósito de informar

A juíza Simone Gastesi Chevrand, da 25ª Vara Civil do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, condenou o jornalista Marcelo Rezende e a Rede Record de Televisão, na última sexta-feira (25), a indenizar os trabalhadores da Petrobras em R$ 200 mil por danos morais coletivos, após chamá-los de "bandidos arrumados" durante uma edição do programa policial Cidade Alerta.

As acusações feitas por Marcelo Rezende foram ao ar em 12 de maio de 2015, quando ele comentou uma reportagem sobre impunidade e, de forma leviana, ofendeu os petroleiros em cadeia nacional com a seguinte declaração: "(...) o cara pode dar sorte, se ele for um bandido mais arrumado vai trabalhar na Petrobras".

As declarações do jornalista foram repudiadas pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), que ingressou com ação por danos morais coletivos contra ele e a TV Record. "O direito à liberdade de imprensa é amplo, mas não admite abusos", ressaltou a federação na ação, destacando que "a reparação civil, por si só, não tem o condão de suprimir ou mesmo minimizar a lesão ocasionada, uma vez que atingiu a integridade e a honra de uma categoria inteira de profissionais".

Em sua sentença, a juíza afirmou que a declaração feita por Rezende foi "caluniosa e absolutamente despropositada", destacando que o que se verifica "é a maledicência lançada em caráter nacional, desvinculada do legítimo propósito de informar". A Ação tramita na 25ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, sob o número 0242621-98.2015.8.19.0001.

Os valores referentes à indenização serão revertidos à Petros, Fundo de Pensão dos trabalhadores, aposentados e pensionistas do sistema Petrobras. Além disso, a TV Record e o jornalista têm prazo de 24 horas para se retratar em cadeia nacional.

A FUP espera que a condenação sirva, não só, para reparar as ofensas que os petroleiros vêm sendo rotineiramente vítimas por parte da mídia corporativa, como, principalmente, para que os veículos da mídia tradicional passem a exercer com responsabilidade a sua função.

"Precisamos dar um basta aos ataques da mídia que, em sua sanha de desmoralizar a Petrobras, transformou os petroleiros em alvo de calúnia, injúria e difamação. É inadmissível o que a imprensa vem fazendo, ao tentar confundir a opinião pública com o objetivo escuso de criar na sociedade o sentimento de que na Petrobras só tem corrupto. Os trabalhadores não podem ser criminalizados por erros cometidos pelos gestores que roubaram a empresa", afirma o diretor de assuntos jurídicos da FUP, Leornardo Urpia.

No RBA
Leia Mais ►

Pesadelo piora: nota prova ida de Machado a Brasília na data do “pedido de Temer”


Matéria recém postada no Poder 360 graus, assinada pelo repórter André Shalders, apresenta a nota fiscal do aluguel de um carro por Sérgio Machado na data em que este, em sua delação premiada, diz ter ido ao encontro de Michel Temer na Base Aérea de Brasilia e ouvido o pedido de “ajuda” para a campanha de Gabriel Chalita, então candidato do PMDB à Prefeitura de São Paulo.

Pelos horários da nota fiscal, Machado Chegou a Brasília no final da tarde do dia 26 de setembro. Embora a Aeronática diga que não tem registros dos embarques e desembarques naquele dia, as agendas de Dilma Rousseff, ainda na página do Planalto, indicam que ela chegou às 17:30  na Base Aérea de Brasília, voltando dos compromissos que cumpriu na ONU.

Há um livro de termos que é assinado sempre que o presidente passa o cargo ao vice e o contrário. De qualquer forma, haveria toda a razão para Michel Temer ir à base aérea, provavelmente para embarcar para São Paulo após a devolução do cargo, pois sua agenda, no dia seguinte, não indica nenhum compromisso oficial. No momento do desembarque de Dilma já havia cumprido seu último compromisso como presidente em exercício, um encontro com o empresário Marcos Póvoa, da Lácteos Brasil, às 15:30h.

Tratar de assuntos oficiais da Transpetro é que Machado não foi fazer em Brasilia, pois o aluguel do carro, às 17:27 e sua devolução,às 7:37 h da manhã seguinte, no aeroporto também, não coincidem com o horário de expediente.

Temer já esteve melhor na fita.

Fernando Brito
No Tijolaço
Leia Mais ►

A rota da tragédia

http://www.maurosantayana.com/2016/11/a-rota-da-tragedia.html


O país — e o mundo do futebol — estão de luto com a morte de vários jornalistas e da maioria da delegação da Chapecoense, mas trata-se, certamente, de uma espécie de tragédia anunciada que não precisava ter acontecido.

Não é concebível que, por economia — não existe outra explicação aparente — os dirigentes de um clube prestes a disputar a final de um torneio continental tenham tomado a decisão — apesar da orientação do ANAC, que não permitiu sequer que o avião boliviano viesse recolher o time da chapecoense em território brasileiro — de contratar uma companhia que, ao que tudo indica, possuía um único avião, de um modelo que saiu de linha há 14 anos, e que, entre outras limitações, mal dispunha de autonomia para cobrir a rota prevista, para uma viagem sobre uma região montanhosa, em uma época em que todo mundo sabe que o clima é chuvoso e instável sobre essa parte do mundo.

Tivessem — considerando-se a visibilidade do evento, eventualmente negociado um desconto pelo marketing, se fosse o caso — e fretado com uma companhia nacional um jato ERJ-070 da Embraer - com igual capacidade, 70 passageiros, com mais de 800 quilômetros por hora de velocidade, maior altitude de cruzeiro, alcance de 3.700 quilômetros, e feito apenas uma escala, saindo de São Paulo, em Rio Branco, no Acre, mesmo contando-se com a imprevisibilidade do destino, há uma enorme probabilidade de que a tragédia não tivesse ocorrido.
Leia Mais ►

O legado de Fidel Castro


Entrevista com o professor de História, Waldir Rampinelli, sobre o legado de Fidel para Cuba e América Latina.

Leia Mais ►