6 de jun de 2016

Identifican el arma "de alta tecnología" con la que indujeron cáncer a Hugo Chávez

Un sitio web de noticias venezolano afirma que se trata de un arma multifuncional capaz de provocar "varias enfermedades mortales".


Una investigación documental iniciada con el objetivo de aclarar las circunstancias de la muerte del expresidente de Venezuela Hugo Chávez en marzo de 2013 habría hallado el arma "de alta tecnología" que Estados Unidos supuestamente implementó a partir de enero del 2003 para inducirle un cáncer al exlíder del país bolivariano, informa el portal web de noticias Aporrea.

Según detalla el portal, la "nanoarma" fue desarrollada mediante "nanotransportadores o nanocápsulas con direccionamiento controlado que contenían nanopartículas inductivas con aceleradores de metástasis de dosis controlada". 

Aporrea aclara que se trata de un arma multifuncional, ya que es capaz de inducir "varias enfermedades mortales, entre ellas un infarto y aquellas que causan daños cerebrales, como un accidente cerebro-vascular". Además, según el sitio web, al estar fabricada mayoritariamente con compuestos biodegradables, el arma es invisible, y gran parte de sus compuestos son eliminados del cuerpo por las vías urinarias.

El arma con que asesinaron al líder de la revolución bolivariana, Hugo Chávez, fue presuntamente utilizada contra siete presidentes latinoamericanos; uno de ellos, Néstor Carlos Kirchner, murió de un infarto, y cinco sobrevivieron. El portal llama la atención al hecho de que solo murieron los expresidentes Kirchner y Hugo Chávez, quienes se enfrentaron "con firmeza y valentía" a George Bush cuando fue derrotado con su Área de Libre Comercio para las América ALCA, en el año 2005 en Mar del Plata, Argentina.

Aporrea resalta que "no fue casualidad que cinco presidentes latinoamericanos — Fernando Armindo Lugo Méndez, Dilma Vana da Silva Rousseff, Luiz Inácio Lula da Silva, Cristina Elisabet Fernández de Kirchner y Hugo Rafael Chávez Frías — estuvieran enfermos de cáncer en menos de tres años", en 2009, 2010 y 2011.

Esta no es la primera declaración de las autoridades venezolanas sobre la naturaleza artificial de la enfermedad que Chávez contrajo en 2011. En particular, el vicepresidente de Venezuela, Aristóbulo Istúriz, denunció a mediados de mayo que Hugo Chávez fue asesinado por querer acabar con la "dictadura del dólar". Según Istúriz, el cáncer que puso fin a la vida del exjefe de Estado ― que se había convertido en el "blanco fundamental" y el "enemigo número uno de los grandes centros financieros del mundo" ― fue inducido.

No RT
Leia Mais ►

Mídia transforma mágoa de Cerveró contra Delcídio em culpa de Dilma

Acostumado a fazer negociatas para saquear os cofres públicos chegando a admitir em delação ter recebido mais de meio bilhão, isso mesmo, meio bilhão em propinas desde o governo do tucano, o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró é colocado como vítima pela grande imprensa para lançar ilações contra a presidenta Dilma Rousseff, na semana em que se discute a celeridade do processo de impeachment.

Nesta segunda-feira (6), a Folha de São Paulo e a Rede Globo, entre outros veículos, divulgaram trechos de um vídeo da delação premiada de Cerveró, em que ele se diz “magoado” com a presidenta Dilma Rousseff, pois, segundo ele, foi "sacaneado" e "jogado no fogo".

Apesar da manipulação da grande mídia, o vídeo de Cerveró evidencia o real motivo dessa “mágoa” quando ele disse que desconfiou das promessas do ex-senador Delcídio do Amaral de que o governo Dilma iria tirá-lo da prisão.

"Primeiro que eu conheço a Dilma, e aí eu fiquei muito cabreiro [sobre a promessa de interferência de Delcídio]. Embora eu conheça a intimidade da Dilma com o Delcídio, se a Dilma gostasse tanto assim de mim [como dizia Delcídio], ela não tinha me sacaneado — desculpe a expressão — há um ano, quase dois anos atrás, quando fugiu da responsabilidade dizendo que tinha aprovado Pasadena porque eu não tinha dado as informações completas", disse.

Perceba que Cerveró desconfiava de seu “amigo” Delcídio, que prometia a “interferência do governo” para tirá-lo da prisão. Quando Cerveró diz “eu conheço a Dilma” e em seguida afirma estar “cabreiro”, quer dizer que ele sabe que as promessas de Delcídio de que a presidente iria salvá-lo não passavam de bravatas.

Manipulação criminosa

De forma criminosa, a imprensa transforma a fragmentação de um depoimento como uma declaração de cumplicidade e, portanto, de culpa, já que ele diz que conhece Dilma “há 15 anos”.

Cerveró continua a destilar sua mágoa e manipular fala para atender aos procuradores e tentar reduzir a sua pena. Foi com essas e outras afirmações que conseguiu fechar acordo de delação que garantiu que ele possa deixar a prisão no próximo dia 24, se comprometendo a devolver mais de R$ 17 milhões, apesar de ter admitido que recebeu R$ 564,1 milhões em propina.

Disse que Dilma “sabia de tudo” sobre Pasadena e que, estatutariamente, a responsabilidade na empresa pela aquisição de ativos é do Conselho, que foi comandado pela presidenta quando ministra. A tentativa é associar Dilma aos seus atos criminosos e pior, sem apresentar provas.

“Quer dizer, ela me jogou no fogo, ignorou a condição de amizade que existia, que eu acreditava que existia, trabalhei junto com ela 15 anos, e preferiu, para livrar, porque estava em época de eleição, tinha de arrumar um Cristo. Então: 'ah, não, eu fui enganada!' Mentira! É mentira! Eu estou dizendo isso aqui, isso não tem importância para homologação, Dilma sabia de tudo o tempo todo", disse.

Vamos aos fatos: Cerveró diz que trabalhou junto com Dilma há 15 anos. Mas a presidenta Dilma assumiu o Ministério de Minas e energia em janeiro de 2003, portanto há 13 anos.

Quando a presidenta chegou ao ministério e antes mesmo disso, quando ainda era secretária de Minas e Energia do Estado do Rio Grande do Sul (1994 a 2002), Cerveró já era funcionário da Petrobras. Engenheiro químico, Cerveró entrou na estatal em 1975 por meio de concurso. Em 1998 - durante o governo de Fernando Henrique Cardoso -, ele coordenava a assessoria de Novos Negócios e Parcerias da Petrobras e, em 1999, passou a ser gerente de Projetos em Termelétricas, área sob forte influência de Delcídio do Amaral, nessa época filiado ao PSDB.
Quem é amigo de quem

1975
Cerveró, engenheiro químico, ingressa na Petrobras por concurso público

1986
Dilma assume a Secretária Municipal da Fazenda de Porto Alegre (Rio Grande do Sul)

1992
No governo de Itamar Franco, Delcídio foi secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia

1993
Dilma assume a Secretaria de Minas, Energia e Comunicações do Rio Grande do Sul, no governo de Alceu Collares.

1994
Delcídio assume o Ministério de Minas e Energia do governo Itamar.

1998
Durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, Cerveró passa a coordenar a assessoria de Novos Negócios e Parcerias da Petrobras. Nesse mesmo ano, Delcídio assinou sua filiação ao PSDB.

1999
Cerveró, também no governo FHC, passa a ser gerente de Projetos em Termelétricas.
Dilma, por sua vez, mantém sua gestão a frente da Secretaria de Minas, Energia e Comunicações do Rio Grande do Sul Rio Grande do Sul

2000
Delcídio do Amaral é indicado por FHC para a diretoria de Gás e Energia da Petrobras, período em que passa a trabalhar diretamente com Nestor Cerveró e Paulo Roberto Costa, dois dos delatores da Operação Lava Jato.

2001
Com a impopularidade de FHC e a perspectiva de vitória de Lula, Delcídio se aproxima do PT. Assume a secretária estadual de Infra-estrutura e Habitação do governo de Zeca do PT no Mato Grosso do Sul e se filia a legenda.

2002
Delcídio elegeu-se senador pelo PT

2003
Influente na Petrobras, Delcídio mantém Cerveró na diretoria da Petrobras, agora como diretor da área Internacional.

Nesse mesmo ano, Dilma é convidada por Lula a assumir o Ministério de Minas e Energia, cargo que ocupou até 2005, quando passou a ocupar a Casa Civil, também no governo Lula.

2010
Dilma é eleita presidenta da República e assume o cargo em 2011, se reelegendo em 2014.
Delcído, por sua vez, por ser filiado ao PSDB foi convidado para ser Diretor de Gás e Energia pelo então ministro Rodolpho Tourinho, do governo FHC (1999 a 2001). Como se vê, o grau de relação de amizade que ele e a mídia, subliminarmente, tenta atribuir a presidenta Dilma, na verdade está em Delcídio do Amaral.

Delcídio saiu do PSDB para se filiar ao PT em 2001, se elegendo senador em 2003. Diante da influência que exercia por ter ocupado o cargo durante o governo FHC, Delcídio admitiu em delação que atuou dentro do PT para manter Cerveró na diretoria da Petrobras, agora como diretor da área Internacional.

O próprio Cerveró diz na delação aos investigadores que não foi indicado pelo ex-presidente Lula para a área internacional, mas segue dizendo que interpretou como se fosse, pois, alguém disse a ele que Lula teria dito ao José Sérgio Gabrielli, presidente da Petrobras na época, Dilma, então ministra, que ele “quebrou o galho” do PT e “arrumou milhões para pagar a dívida” que a legenda tinha. A pergunta que fica: Será que a fonte dessa afirmação foi o amigo Delcídio?

Em outro depoimento, Cerveró também disse que o amigo Delcídio teria recebido repasses de US$ 10 milhões sobre contrato de turbina de US$ 500 milhões, em 2001, ou seja, durante o governo FHC. Ele afirmou que o pagamento foi feito pela Alstom — mesma investigada pelo esquema do trensalão tucano em São Paulo — por conta da compra de turbinas para uma termoelétrica, a TermoRio, no contexto do apagão que ocorreu no governo de FHC entre 2001 e 2002.

Pasadena

No trecho divulgado nesta segunda, em pelo menos dois momentos, Cerveró reclama da acusação que pesa contra ele sobre a compra da refinaria de Pasadena (EUA), que está sob investigação sob suspeita de ter representado prejuízo.

Dilma, na época ministra, era presidente do Conselho de Administração da Petrobras, e afirmou que a compra só foi aprovada porque não tinha todas as informações disponíveis e que confiou no resumo executivo apresentado por Cerveró.

A estratégia de incriminar Dilma não é de hoje. Desde 2014, os advogados de Cerveró utilizavam esta estratégia para contestar a decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) — o mesmo que reprovou as contas da presidenta em 2014 — de inocentar Dilma de qualquer responsabilidade. Os advogados de Cerveró se apegam no argumento formal de que o estatuto da Petrobras responsabiliza o conselho de administração por qualquer aquisição.

Apesar de dizer que categoricamente que Dilma sabia, Cerveró disse depois que é “impossível Dilma não saber” que políticos do PT cobravam propina de diretores da Petrobras.

A presidenta Dilma, por meio de nota, rebateu as declarações de Cerveró e afirmou que já foi "demonstrado que a decisão adotada pelo Conselho de Administração [da Petrobras] de compra de 50% das ações foi baseada nas informações do resumo executivo. A responsabilidade por tais informações era do diretor da Área Internacional".

"Fica claro que o Conselho de Administração não tinha como ter conhecimento dos fatos e, portanto, agiu inteiramente dentro da legalidade", disse Dilma.

O que é fato na delação de Cerveró? De acordo com os fatos revelados nos últimos dias, é possível apontar um uma correlação entre os fatos citados por Cerveró e os demais delatores.

O vazamento fragmentado de delação é o roteiro que assistimos desde as eleições de 2014: diante de um evento decisivo, a central de vazamentos aparece com trecho fragmentados de uma delação, seja por transcrição, áudios ou vídeos, para insuflar os interesses da direita. A diferença é que agora, numa tentativa de tirar o carimbo de seletivo, o foco não é mais só governo Dilma, ainda que o real objetivo continue sendo o mesmo: legitimar o golpe.

Dayane Santos
No Vermelho
Leia Mais ►

Editorial do New York Times


"O presidente interino do Brasil, Michel Temer, mostrou falta de bom senso e discernimento quando, mês passado, no seu primeiro dia de governo, apresentou um ministério inteiramente composto for homens brancos. Tal decisão causou a revolta de muitas pessoas, algo compreensível já que o Brasil é [reconhecidamente] um país que apresenta diversidade racial.

Mas esse sentimento de revolta se agravou ainda mais diante do fato de que sete desses ministros escolhidos estão implicados no maior escândalo de corrupção e investigação que já abalou a política brasileira [a Lava Jato]. Essas escolhas do Sr. Temer só alimentaram a suspeita de que o afastamento temporário da presidenta Dilma Rousseff, mês passado, por alegações de que ela teria recorrido a medidas ilegais na sua tentativa de equilibrar o orçamento, tinha, de fato, um outro motivo secreto: acabar com as investigações [da Lava Jato]. Anteriormente, ainda este ano, a Sra. Rousseff tinha falado que a continuação das investigações sobre o esquema de propinas da Petrobrás seria algo essencial para o bem estar e futuro do Brasil."


Leia Mais ►

Gilmar: só quem roubou foi a Dilma. O Temer, não!

Temer não era vice da Dilma, mas candidato a interino...


Na "Fel-lha":

Jurisprudência pode condenar Dilma e livrar Temer, aponta Gilmar Mendes

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) e presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar Mendes (PSDB-MT - PHA), disse nessa segunda-feira (6) que uma jurisprudência de um caso do governo de Roraima pode dar pistas sobre como o TSE poderá julgar a cassação da chapa Dilma-Temer.

(...)

No caso citado por Mendes, o ex-governador de Roraima Ottomar Pinto era julgado por crime eleitoral, mas morreu durante o processo. Seu vice assumiu e foi inocentado, porque o tribunal entendeu que o responsável pelas contas é o titular da chapa.
Eles acham que o povo não está percebendo...

PHA
No CAf
Leia Mais ►

Os desafios da cultura brasileira em debate — ao vivo

 Transmissão Encerrada 


A cultura vive um momento conturbado no país: após o afastamento da presidenta Dilma Rousseff e a posse de Michel Temer, o governo provisório anunciou a extinção do Ministério da Cultura, relegado à condição de Secretaria. A notícia gerou ampla rejeição da sociedade, e Temer voltou atrás. Em meio a este cenário, os desafios da cultura no Brasil serão tema de debate no dia 6 de junho, em São Paulo.

Confira os nomes confirmados:

Alfredo Manevy – diretor-presidente da SPCine

Débora Duboc - atriz

João Brant – ex-secretário executivo do Mininistério da Cultura

Parte do Ciclo de Debates Que Brasil é Este?, a atividade é promovida por parceria entre o Barão de Itararé e a Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESPSP) e ocorre na sede da FESPSP, na Rua General Jardim, 522, 7º andar. A TVT transmite ao vivo, com reprodução na página do Barão de Itararé (www.baraodeitarare.org.br). A entrada é livre.

Que Brasil é Este?

O Ciclo de Debates Que Brasil é Este? é promovido por parceria entre o Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé e a FESPSP. Até outubro de 2016, a iniciativa realiza debates mensais para refletir sobre as turbulências pelas quais atravessa o país nos campos econômico, político e social. Acesse o hotsite e a página do Ciclo no Facebook para ficar por dentro da programação, dos convidados e dos conteúdos postados: www.quebrasileeste.com.br e www.facebook.com/quebrasileeste

Leia Mais ►

Ministro pagou pipoca em cinema com verba de gabinete da Câmara

O ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra (PMDB-RS), pagou com dinheiro da Câmara um combo formado por um saco grande de pipoca e mais dois copos de refrigerante de 700 ml. A compra inusitada custou R$ 26 e ocorreu no dia 27 de setembro do ano passado, no cinema Kinoplex em Brasília.

O MDS declarou, por meio de nota, que o ressarcimento foi pedido por engano pelo ministro. "Essa nota (da pipoca) foi entregue por engano junto com outros recibos de alimentação que periodicamente apresentava para ressarcimento, todos dentro das regras legais. Esse é um caso isolado", alegou o ministério.

Em setembro, Terra apresentou nota fiscal pedindo ressarcimento da Câmara para seus gastos com pipoca por meio da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP). A cota é destinada para custeio de despesas ligadas diretamente às atividades parlamentares. Gastos com alimentação são permitidos, contando que estejam associados a ações partidárias, como visitas a bases eleitorais, por exemplo.

De acordo com a nota fiscal, a compra da pipoca ocorreu por volta das 18h30, em um domingo, e foi feita em dinheiro.

Os gastos com alimentação de Terra na atual legislatura (iniciada em fevereiro de 2015) chegam a R$ 6,5 mil. Nas listas, estão despesas com rodízios em galeterias e churrascarias de Porto Alegre (RS) e até mesmo um refrigerante consumido durante um voo no translado Brasília x Porto Alegre. Também há registro do pagamento de um mojito, em um restaurante de Florianópolis, consumido em novembro do ano passado. A Câmara proíbe gastos com bebidas alcoólicas, mas a nota fiscal do mojito não explicita se o drink tinha, ou não, álcool.

Somados todos os gastos, o deputado gaúcho já pediu ressarcimento de R$ 549 mil do cotão da Câmara conforme informações do site especializado Operação Política Supervisionada (OPS).

Os maiores gastos do atual ministro do Desenvolvimento Social na atual legislatura são com bilhete aéreo, no valor de R$ 171 mil; seguido da cifra "divulgação de atividade parlamentar", com repasses da ordem de R$ 103 mil.

Tapioca

Em 2008, durante o segundo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o hoje deputado federal Orlando Silva (PCdoB) foi exonerado do Ministério dos Esportes após ser flagrado usando cartão corporativo para comprar tapioca. A tapioca valia, na época, R$ 8,30. Até hoje o deputado nega envolvimento no episódio.

No Destak
Leia Mais ►

“Gilmar degrada a imagem do STF”: Dalmo Dallari fala ao programa do DCM na TVT

Dallari
O jurista Dalmo de Abreu Dallari deu uma entrevista ao programa do DCM na TVT.

Dallari, uma das vozes mais lúcidas no meio jurídico brasileiro, falou do processo de impeachment no Senado, do instituto da delação premiada na Lava Jato, da possibilidade de novas eleições — e de Gilmar Mendes.

Para Dallari, Mendes “degrada a imagem do Supremo Tribunal Federal”.

Ele foi contra a nomeação de Gilmar por Fernando Henrique Cardoso em 2002. Na ocasião, escreveu o seguinte num artigo na Folha: “Além da estranha afoiteza do presidente — pois a indicação foi noticiada antes que se formalizasse a abertura da vaga —, o nome indicado está longe de preencher os requisitos necessários para que alguém seja membro da mais alta corte do país”.

“Ele não atingia dois pré requisitos constitucionais fundamentais: notório saber e reputação ilibada por conta da escola de direito de sua propriedade onde ele matriculava funcionários públicos com dinheiro publico”, reiterou na conversa com o DCM.

Dallari bem que avisou. Nos últimos anos, Gilmar vem se notabilizando, entre outras coisas, pelo partidarismo.

Num episódio recente, reuniu-se como o presidente interino Michel Temer num sábado à noite no Palácio do Jaburu. Sábado à noite. Segundo uma nota oficial, tratou-se da “necessidade de recomposição urgente do orçamento do TSE neste ano eleitoral”.

Dallari lembrou também do infame seminário em Lisboa, organizado por Gilmar, com a presença de Aécio Neves e José Serra. O mico transatlântico foi boicotado pela imprensa e por autoridades portuguesas.

“Eles foram fazer uma negociação política. Foi escancaradamente uma reunião longe da imprensa brasileira, que compromete o Supremo”, afirma Dallari.

“O ministro deu mais uma contribuição tremendamente negativa para as instituições democráticas brasileiras”.

O programa do DCM na TVT passa aos domingos, às 20h30. Direção de Max Alvim e apresentação de Marcelo Godoy.



Kiko Nogueira
No DCM
Leia Mais ►

Los indicios que demuestran que EE.UU. se prepara para desalojar del poder al presidente Morales

El analista político Nil Nikándrov desvela en un artículo cómo Washington pretende forzar la salida del poder del presidente boliviano.


La inteligencia estadounidense ha aumentado la intensidad de las operaciones destinadas a desalojar del poder al presidente boliviano Evo Morales, destaca el periodista y analista político Nil Nikándrov en un artículo para la Fundación de Cultura Estratégica. Nikándrov agrega que "se barajan todas las opciones, incluida su liquidación física".

Bolivia, a menudo conocido como el 'techo del mundo', es un país de importancia estratégica situado en el centro de América del Sur. El analista advierte de que el control por parte de EE.UU. de este país puede garantizar durante décadas el dominio del hemisferio occidental. El presidente Barack Obama, que considera debilitamiento "del bloque de los países populistas hostiles" de América Latina uno de los logros en política exterior de su Administración, quiere apuntalar este éxito antes de marcharse, agrega el experto.

Exitosa expansión china 

Nikándrov alerta de que Washington tiene prisa con Bolivia debido a la exitosa expansión china en el país. Nikándrov recuerda que Morales refuerza de forma sucesiva las relaciones financieras, económicas, comerciales y militares con Pekín. El analista explica que los chinos operan en Bolivia con eficacia a través de inversiones, préstamos o participaciones en proyectos que garanticen a La Paz posiciones clave en la modernización del transporte del continente. Nikándrov subraya que para Evo Morales la prioridad es el desarrollo del país y los chinos, a diferencia de los estadounidenses, siempre han tratado a Bolivia como un aliado y socio en unas relaciones en las que los dobles estándares son inaceptables.

¿Quién es Peter Brennan?

El autor recuerda que en 2008, el embajador de EE.UU. en Bolivia Philip Golberg fue declarado persona non grata por sus acciones subversivas. Sus funciones son desempeñadas a partir de entonces por el encargado de Negocios de la Embajada de EE.UU., Peter Brennan, quien había estado destinado anteriormente en Pakistán. Allí, según el analista, tomó la "decisión difícil" de liquidar a varias personas aunque la mayoría de su carrera está asociada a los países latinoamericanos. En concreto, Brennan fue el responsable de la introducción operativa del programa ZunZuneo (un servicio de mensajería como Twitter) en Cuba para tratar de provocar una rebelión.

Brennan está acostumbrado a "triunfar a toda costa", y en Bolivia le queda poco tiempo (hasta la finalización de la presidencia de Obama). Todo ello le obliga actuar llevando a cabo graves violaciones del deber de mantener su desempeño en secreto.

El autor del texto anota que Brennan "trabajó bien" en la preparación y celebración del referéndum de febrero pasado sobre la posibilidad de la reelección del presidente Evo Morales a partir de 2020. Para apoyar la opción del 'No' la Embajada de EE.UU. movilizó todas sus posibilidades informático-propagandísticas, usó las ONG que controla, asignó considerables fondos adicionales para organizar protestas. Es significativo, comenta Nikándrov, que muchas de ellas terminaron con la quema de fotografías de Morales vestido con la banda presidencial.

Nikándrov afirma que la campaña sucia contra el presidente boliviano batió todos los récords. En ella se le atacó fundamentalmente con el asunto de la corrupción, aunque, constata el analista, Morales siempre habló abiertamente sobre el estado de sus finanzas.

El hijo inexistente de Evo Morales

Brennan estuvo de acuerdo con Washington en otras operaciones para comprometer al presidente de Bolivia. Antes del referéndum, los medios comenzaron a airear activamente la historia de la "actitud irresponsable" de Morales en la suerte de su hijo.

El propio Morales aceptó someterse a una prueba de ADN para demostrar que no tenía hijos de su exnovia, Gabriela Zapata Montaño. Poco a poco se derrumbaron todas las pruebas fabricadas de la CIA. Carlos Valverde Bravo, famoso presentador televisivo y exempleado de los servicios de seguridad de Bolivia, a quien el autor llama agente de la CIA, se vio obligado a admitir que el hijo de Morales de nombre Fidel Ernesto nunca existió.

Militares de EE.UU. en suelo boliviano

En los últimos meses cada vez hay más militares de EE.UU. en Bolivia. En este sentido, el coronel Pierre Felando Thigpen ha sido destinado al departamento de Santa Cruz, donde existe un fuerte sentimiento separatista. Sobre Tigpen se sabe que está relacionado con un programa conjunto del Pentágono y la CIA para la selección y formación del personal para la inteligencia estadounidense.

Acciones planificadas por EE.UU. para el cambio de gobierno

En los planes de EE.UU. para desestabilizar Bolivia, que fueron enviados a Evo Morales por el Gobierno de un país amigo que no ha sido identificado, hay una secuencia de acciones planificadas, afirma el autor: "Iniciar huelgas de hambre, movilizaciones masivas, atizar conflictos en universidades, instituciones civiles, comunidades indígenas, en todos los sectores de la sociedad y en las instituciones gubernamentales".

También, según el documento citado por el analista, se planea "establecer contactos con los militares en servicio activo y militares retirados para socavar el prestigio del Gobierno dentro de las fuerzas armadas.

No RT
Leia Mais ►

Perseguido, Trajano se mostra inabalável na defesa da democracia

No isento meio esportivo, o jornalista José Trajano é seguramente o principal rosto do movimento contra o golpe, que afastou a presidenta Dilma Rousseff da presidência. Em entrevista ao portal 247, ele é contundente nas declarações. Afirma, por exemplo, que o ex-braço direito do golpista Michel Temer, Romero Jucá, “tem que ser preso” por revelar que o impeachment serviria para suspender a operação Lava Jato. Para Trajano, se Dilma voltar, é preciso que assuma “vários compromissos com a nação”.

José Trajano: Não ao golpe, sem meias palavras
Depois de criticar, no ar, a produção de um programa da ESPN que convidou Danilo Gentili para uma participação especial, o jornalista José Trajano foi bombardeado nas redes sociais com uma série de epítetos que se tornaram praxe nessa temporada de ódio aos "petistas" que assola o país.

Nessa entrevista exclusiva ao 247, realizada na véspera de seu retorno ao programa "Linha de Passe", ele explica por que resolveu desabafar naquele dia e como ficou sua situação na emissora, mas pondera que está mais preocupado com a situação do país.

Diz que nunca tinha visto uma delação premiada ser recusada porque o delator inocentou Lula: "É inacreditável"! Também está indignado com a "denúncia" da famosa revista semanal de que Aderbal Freire Júnior ganhava 91 mil mensais na TV Brasil, "um salário mentiroso", segundo ele. "Um editor-chefe da Veja ganha 100 mil reais por mês e fica preocupado com o salário dos outros"!

Afirma que a gravação de Romero Jucá "prova que o impeachment foi golpe" e que seu afastamento do ministério (de mentirinha) ainda é pouco: "Jucá tem que ser preso".

Se Dilma voltar, ela tem que assumir vários compromissos com a nação, afirma ele, que não se diz defensor dela e sim da democracia. Para abafar a péssima repercussão dos grampos de Jucá, diz ele, os antipetistas são capazes de fazer "alguma coisa grande" como "prender Lula".

O que foi esse debate em torno do Danilo Gentili?

Esse caso do Danilo Gentili não é o mais importante no panorama atual. Eu estou preocupado com a nação. O que eu posso dizer desse caso Danilo Gentili é o seguinte: eu desabafei e pronto. Por que que eu desabafei e pronto? Porque eu trato a ESPN como um filho. Eu criei a ESPN. E mesmo fora da chefia faz tempo é o lugar que eu olho com olhar de pai. E quando eu vejo alguma coisa que me agride, me exaspera, eu desabafo, como desabafei agora, vendo um cara como esse lá. E pronto.

Ficou tudo bem lá?

Não é que tá tudo bem, mas também não tá tudo mal. Amanhã que eu vou lá, vou fazer o programa e vou sentir o clima. Mas não houve mais nenhuma manifestação, telefonema, etc. Pode estar um clima meio assim, mas não tem novidade, vamos dizer.

Se eles vacilarem, a Fox é capaz de te chamar, não?

Eu não tô preocupado com isso... eu tenho uma multa se eu sair fora...eles podem se ancorar numa cláusula que diz que eu posso ter desrespeitado normas internas...é um caso que vai ficar em banho-maria...

E o que te preocupa em relação aos últimos acontecimentos nacionais?

Agora querem antecipar o impeachment... pra julho... querem dar velocidade porque eles estão temendo tudo o que está acontecendo. O que está acontecendo? Manifestação de alguns senadores, não dizendo que vão mudar, mas criando a possibilidade de mudar o voto...segundo, as manifestações de rua aumentando consideravelmente... por mais que eles tentem dizer que é meia dúzia de pessoas... só que é meia dúzia de duzentos aqui... dois mil ali...mil acolá... e é no Brasil inteiro... é estudante...e é todo dia, toda hora... pessoal da cultura...mulheres... estudantes... pessoal da CGU... tem manifestações e o pessoal tá indo pra rua sem medo e isso vai engrossando... e no dia 10 tem a perspectiva de muita gente... que é o dia da Luta...quer dizer, há uma mobilização intensa, crescente... o governo do Temer, esse governo ilegítimo fazendo um monte de merda...queda de ministro... declarações que depois tem que voltar atrás...

Agora, você vê que absurdo, o Jucá se afastou do ministério, mas continua lá...

Ele continua. É só pró-forma. Ele saiu, mas continua. Tem outras coisas também curiosas. Primeiro que é um fato inédito: o episódio da OAS na delação... o cara disse que foi um agrado que fizeram pro Lula e o Moro manda parar a delação! É inacreditável! Eu nunca vi nenhum caso parecido. Tudo que a gente lê aí, que delação agora virou arroz com feijão, tá toda hora no prato da gente, eu nunca vi algo parecido.

Porque é isso mesmo, os caras fazem isso pra agradar...

É pra agradar mesmo. Pode ter uma discussão ética, se ele deveria ter aceito ou não...

Mas ele não aceitou. Nem sabia. Onde está o papel que diz que ele aceitou? Onde está o papel onde ele pediu?

Isso não comprova corrupção, não comprova que o dinheiro foi em troca de algum

favorecimento... o que que é pra uma OAS fazer uma reforma num apartamento? Parece até que deram todo um prédio pra ele!

Um condomínio!

Um prédio ainda seria pouco para uma OAS!

Foi a Veja que transformou isso num vendaval!

Quer ver a maldade? Parece até aquela música... “Maldade dessa gente”, acho que é do Ataúlfo Alves...”a maldade dessa gente é uma arte”... A Veja deu uma matéria e na qual muita gente embarcou dizendo que o Aderbal Freire Jr. ganhava 91 mil reais por mês na TV Brasil. Eu fui convidado pra trabalhar na TV Brasil. Eu e o Juca (Kfouri). Acabei não indo porque a ESPN não permitiu. Isso no final do ano passado. Nós íamos fazer um programa domingo à noite. Transformar uma mesa redonda que tem lá numa resenha. Programa de duas horas. A TV Brasil tem várias maneiras de contratação. Uma é por concurso...e outra é contratando uma empresa que tenha, vamos dizer, entre aspas, que tenha um “notório saber”, conhecimento. Eu ia entrar com minha empresinha. Eu tenho uma empresinha de comunicação, com nota fiscal, tudo certinho. Eu ia levar uma equipe – produtor, repórter, viagens, gravação – e o total da verba viria pra mim e eu teria que pagar as pessoas. Do mesmo jeito que o Aderbal. E eles transformaram... porque jornalista principalmente dessas revistas semanais é muito maldoso. Eles têm salários muito bons. Eu não estou falando de jornalista de uma maneira geral. Jornalista não ganha bem. Mas o jornalista de uma Veja ganha mais que o presidente da República! O editor-chefe da Veja ganha mais de 100 mil reais! Fora bônus! Mas eles se incomodam com o salário dos outros, ainda mais um salário mentiroso. Igual a Lei Rouanet, muitos pensam que o cara bota 1 milhão e meio no bolso e vai tomar champanhe na esquina. Não era 91 mil pra ele! Ele tinha que pagar toda uma produção, hospedagem, hotel, sei lá o que e tal. Acho que caiu até para 68. Então, há uma série de maldades em curso.

Você viu que o Ricardo Melo voltou à EBC?

Foi uma boa notícia, mesmo que tenha voltado de forma provisória. Nós estamos vivendo... eu concordo muito com aquela entrevista que você fez com o filho do Jango... eu concordo muito com aquela declaração dele de que saíram os quepes e entraram as togas. Só que entraram as togas aliadas a uma série de parlamentares golpistas que nunca venceram eleição majoritária nenhuma e o único jeito de se apoderar do poder era por meio de um golpe.

E eu estava lendo a constituição ontem e lá está escrito que os ministros do STF teriam que ser eleitos, porque está escrito que “todo poder emana do povo e é exercido por representantes eleitos”.

Uma outra coisa que eu queria te dizer, que as pessoas ficam dizendo por aí, a meu respeito e a respeito de outras pessoas... “parece petista”... “sem vergonha”... petista virou sinônimo de canalha. Primeiro que eu nunca fui petista. Eu nunca fui petista na minha vida. Eu votei no PT algumas vezes, fiz campanha pro PT algumas vezes, mas sempre fui brizolista e darcyzista! Quem me acompanha sabe disso.

Você foi a primeira pessoa que me falou da ascensão do Garotinho...

Ele começou como vereador em Campos...

Você chegou a fazer política com o Brizola?

Eu fui coordenador da campanha do Darcy Ribeiro em 1986 a governador do Rio. Ele era vice do Brizola e foi candidato a governador. Naquela época não tinha reeleição. Ele perdeu pro Moreira Franco. Em 90 o Brizola voltou. Eu era o cara do Darcy! Aliás, com muita honra. A universidade que eu não fiz, fiz durante o tempo em que eu trabalhei ao lado do Darcy. Fui seu braço direito. Aprendi muita coisa. É claro que eu fiz campanha pro Lula... Dilma... Erundina... Esse ano agora a minha disposição é fazer campanha pro Marcelo Freixo no Rio e pro Haddad em São Paulo. Com todo o respeito à querida Erundina. Hoje eu estou muito mais próximo do PSOL, em termos de comportamento, de crítica, de uma posição crítica mais à esquerda ao governo Dilma, mas me manifestando contra o golpe, contra esses caras que se apoderaram do poder do que qualquer outra coisa. Já que o PDT não existe faz tempo. Não é nem um partido, é um amontoado.

Um senador do PDT votou a favor do impeachment...

Mas acabou. O PDT era o Brizola. Era o Darcy. Era o Abdias do Nascimento. Tínhamos quadros maravilhosos. Aliás, muita gente diz: que falta o Brizola está fazendo! Se ele estivesse aí...Talvez tenha sido um erro histórico da esquerda não ter apoiado o Brizola e apoiado o Lula em 1989. Aquela chapa Lula presidente, Brizola vice, deveria ser o contrário. Era a última hora do Brizola. E Lula teria muito mais chance depois. Você acha que naquele debate com o Collor o Collor iria jantar o Brizola?

Imagina! O Brizola teve debates históricos.

A maior dele foi aquele direito de resposta que o Cid Moreira leu na TV Globo. E o pior é que o Cid Moreira foi se empolgando...foi interpretando... “o senhor Roberto Marinho”...

Eu acho que a Globo tá mudando em relação ao Temer, você não tá sentindo não?

Eu tô sentindo, mas o fato de estar mudando em relação ao Temer não quer dizer que é alguma coisa com a Dilma.

Eu acho que eles ficaram putos porque o Temer deu um ministério para a Record...

Eu acho que eles estão querendo... há um grande movimento surgindo de eleições pra presidente este ano.... isso vem de vários lados...

A situação da Câmara é que tá confusa... deveriam cassar o Cunha de uma vez...e prender também. Porque enquanto isso não acontecer não se resolve nada.

É verdade.

Ele continua na ativa, nomeando ministério Temer, fazendo a pauta da Câmara...porque o Waldir Maranhão ninguém sabe onde está.

Esse não existe. É um negócio meio maluco. Imaginou o Waldir Maranhão presidente da República? Sentado na cadeira, em rede nacional: “Aqui fala o presidente da República”. É a Escolinha do Professor Raimundo. Tem outra coisa que eu queria te falar. Alguns dizem “por que esse Trajano tá se metendo tanto nisso”?... “não tô entendendo porque o Trajano tá tão envolvido”... é discurso... é rua... é manifestação...Quem vai fazer 70 anos como eu este ano e já passou por poucas e boas sabe o que é isso. Então, tem que se manifestar. Se ficar calado agora vai falar quando?

É a única arma que a gente tem...

Eu quero que meus filhos vejam que ainda sou um lutador. Como eu fui discípulo do Darcy, na verdade não é nem um lutador... que eu sou um indignado, foi o Darcy que me ensinou isso.

E você ficou indignado com a adesão do Serra ao golpe? Virou chanceler do golpe...

Você viu o que aconteceu na Argentina? Foi muito engraçado...Os brasileiros que moram lá se juntaram com uma frente argentina e fizeram um protesto em frente à embaixada do Brasil... primeira viagem do Serra ao exterior... não só chamando Serra de golpista, mas criaram um grito de guerra legal: “Serra, cagão/ nunca venceu uma eleição”. Uma coisa assim.

O Serra tá rico. Em vez de ficar quieto, no canto dele, entrou numa dessas pra sujar de vez a sua biografia.

Ele quer ser presidente... ele tem que ser protagonista...

Pois é...

Vai ser protagonista dessa merda aí!

Você vê alguma semelhança entre 2016 e 1964?

Bom, pelo menos a foto foi muito parecida. Viu a montagem que fizeram com as fotos da posse do Castello Branco e da posse do Temer? Igualzinho. Só tem homem, todos de preto...quer ver? Acho que eu tenho. (Procura no celular.)

Naquela época estava todo mundo crente que Castello era democrata e ia ficar só um ano, haveria eleições em 65. Eu me lembro de adesivos “JK-65”...o próprio JK, que era senador, votou em Castello...

Estão aqui, ó, as duas fotos...

Caramba!

É um bando de homens, todos de terno escuro...e Temer é baixinho também como o Castello... porque o Temer engana, imaginam que ele é alto...

É como o Castello... só que tem pescoço, o que Castello não tinha...

Mas o Temer dá a sensação que é um cara mais alto.

Ele é empertigado, se estica todo, olha para cima. Mas você acha que vai dar certo esse golpe? Porque está no meio, eu acho...

É imprevisível. Porque essa cagada que apareceu aí, dessas gravações, como estão dizendo os babacas da Globo News o temor do Palácio agora é que surjam novas gravações, o Sérgio Machado gravou com mais gente...o Jucá foi embora, o cara da Transparência foi embora, mas amanhã pode aparecer outro Jucá e terão que demiti-lo também...a primeira conversa já comprometeu o governo...e caracterizou o golpe...antes já tinham pedido a quebra do sigilo bancário e fiscal do Jucá...

Se bem que isso não leva a nada, ele não seria idiota de colocar propina na conta dele...acaba sendo sua prova de inocência...

E apareceu outro cara dando um depoimento dizendo que ele foi testa de ferro do Jucá lá em Roraima numa emissora de TV. Está aparecendo tudo em cima do Jucá. Mas não é o Jucá. Ele é só um integrante da quadrilha.

É só um deles. E está cheio de processos. Um deles diz respeito a um auxiliar que na véspera da última eleição, ao ser abordado pela polícia, jogou pela janela do carro 100 mil reais...

É mesmo?

Tem o Jucá, agora tem o Renan que apareceu nas gravações envolvido com Alberto Yousseff e preocupado com a doação de 400 mil reais que recebeu da Transpetro, cujo presidente foi ele quem indicou.

Botaram o Jucá num posto chave! E ele faz essa cagada toda! A Cristiana Lobo, da Globo News, ela que é toda tucana respondendo a uma pergunta sobre o PSDB –e o PSDB? – disse: até agora o PSDB não se manifestou, mas o nome do Aécio está aparecendo demais nas delações. Apareceu forte no grampo do Jucá que disse que o Aécio “vai ser o primeiro comido”. Botaram uma foto do Alexandre Frota ao lado dele dizendo: “O primeiro comido vai ser o Aécio”.

É uma comédia...

Agora, o que vai acontecer? Eu confesso que estou espantado com as manifestações que estão crescendo... ocupações de escolas... ocupação da Funarte...no Ministério da Reforma Agrária tinha mais de duas mil pessoas protestando. Os índios não sei onde... tá aparecendo coisa em tudo quanto é canto...manifestação no Masp, na Cinelândia...não para...

Em 64 não teve isso...

Mas também tinha tanque na rua, era Exército... Se bem que 68 foi mais grave que 64...nós passamos quatro anos e meio de expectativa... com receio... mas quando veio o facão foi foda. Aí veio a luta armada. A luta armada não começou em 64...

Em 66 teve Caparaó, mas foi uma aventura com 17 guerrilheiros, nada mais que isso.

Brizola já tinha feito aquela coisa em 61 de armar o povo com Taurus... que a fábrica era lá...conseguiu que o cunhado tomasse posse, mesmo com parlamentarismo. Mas o que você quer saber, Alex?

Quero saber se o golpe vai dar certo.

Eu sinto que as pessoas ficaram meio perplexas diante do que aconteceu. Daquela votação. Eu fiquei meio chocado: e agora? Os que eram a favor, muitos se envergonharam com aquela votação. Então, o que é que eu estou vendo agora? Do mesmo jeito que “ninguém votou no Collor”... porque encontrar alguém que votou no Collor hoje é um milagre...eu acho que o Collor não foi eleito, foi uma miragem...porque não é possível, ninguém votou nele... muita gente que foi a favor do impeachment está profundamente envergonhada...por isso é que não se bate mais panela. É contra Dilma, foi a favor do impeachment, mas está com vergonha de dizer claramente isso.

Essas gravações do Jucá e do Renan inocentam a Dilma, mostram que ela não obstruiu a Lava Jato, eles é que entraram numa de tentar obstruir...

Agora, o Jucá tem que ser preso! Porque se ele conspirou claramente para segurar a Lava Jato, tentou obstruir a Justiça, está claro, está dito. Agora, como é um castelo de cartas eu acredito que ainda vai acontecer muita coisa. Independentemente dessas gravações tem a própria Lava Jato. E eles estão esmerdeados. Ou seja: a cada acontecimento desses vai dando razão a quem disse que o impeachment foi uma farsa.

Eu acho que o golpe não vai dar certo. Primeiro, porque não tem um líder...porque o Temer não é líder de coisa nenhuma, está na cara! Líder não volta atrás!

Pode haver um movimento, eu acho, de eleições. Porque já se fala aqui, se fala ali...tipo assim: principalmente as pessoas que foram a favor do impeachment estão dizendo assim “desse jeito não dá...com esse PMDB não vai dar... os caras estão todos cagados”. Esse acordo pode vir do PSDB, Marina e não sei o que e até de alguns setores da esquerda. Algumas pessoas dentro do próprio PT falaram isso. E do próprio PSOL. Ainda não é uma decisão partidária, mas há um ou outro parlamentar que defende isso. Pode haver um crescimento desse sentimento. “Bom, o negócio é o seguinte: tá tudo cagado...” Porque também tem o seguinte temor: tá tudo cagado, mas o Temer não vai cair, vai continuar... e vem a decisão final do Senado e continua mantido o Temer...Apesar de que a diferença é muito pequena, com mais três ou quatro votos muda a coisa... sabe como é que é ficar na mão de senador ou deputado... é foda. Tem cara que está vendendo o voto... o número é pequeno... a chance de algumas pessoas virarem casaca ou se decepcionarem com Temer, ficarem escandalizadas, sei lá...eu li uma entrevista do Romário ele dizendo... o próprio PSB, que é o partido dele está rachado, rachou...porque um deputado entrou no ministério das Minas e Energia e a decisão do partido era que apoiaria, mas sem ter cargo e ele aceitou. Então, rachou o partido, rachou a base sindical e rachou os parlamentares. Os senadores do PSB podem muito bem na hora mudar o voto.

Tem também o Cristóvão...

Foi uma surpresa ele ter votado a favor do impeachment, mas ele disse que estava votando a favor da discussão da admissibilidade, não era o voto definitivo e deixou meio em aberto isso.

Eu acho que naquela hora ele perdeu o ministério. Porque o compromisso, para ser ministro era votar no segundo turno pelo impeachment também.

Então você vê: Cristóvão pode mudar... Romário pode mudar... outros caras do PSB...

Só o Cristóvão e o Romário já mudam todo o quadro. Mas aí a pressão em cima deles vai ser grande.

Houve uma reunião de governadores no Nordeste, não sei em que estado foi. De todos os partidos. E eles disseram que, se mexer no Bolsa Família eles não garantem segurar a população. Vão invadir feira livre, supermercado e o caralho! E o governador de Sergipe, o tal do Jackson Barreto deu uma entrevista dizendo que queria a Dilma de volta. Porque ele é contra o Temer. Tem uma ala do PMDB que é contra o Temer. Então, eles também estão em reboliço. Agora, a Dilma, se voltar, ela tem que assumir um compromisso, não fazer o que estava fazendo. Porque, inclusive, muita gente como eu defende a democracia, não o governo Dilma. O governo Dilma fez muita merda! Rompeu compromissos importantes. Ela teria que voltar e assumir compromissos reais de esquerda. Compromissos com os trabalhadores... com as minorias... não fazendo o governo do PSDB... porque muita coisa da política econômica dela era do PSDB que, cretinamente, votou contra. Tinha que votar a favor, porque estava no programa deles. Mas vai ter muita merda ainda, eu acho. Eu acho que o crescimento dessas manifestações de rua...o crescimento dessas cagadas do governo Temer...se você olhar, ele já voltou atrás umas dez vezes! O ministro da Saúde falou do SUS... ele corrigiu... o Ministro das Cidades sei lá o que, falou que ia cortar o Minha Casa, Minha Vida...voltou atrás... Cultura, voltou atrás totalmente, por uma pressão enorme. Porque são burros, inclusive. Foram mexer com gente que bate o tambor!

Governo de direita sempre acaba com o Ministério da Cultura. Foi o que fez o Collor...

Claro! E depois de levar vários foras... chamando gente que não tinha nada a ver... Marilia Gabriela, Daniela Mercury, Bruna Lombardi... e ganharam o não dessas pessoas...isso foi mais deprimente ainda! Esse ministro da Cultura, pelo que eu sei, não é um cara ruim. Ele foi à manifestação contra a extinção do ministério, tem foto dele...ele é um cara jovem... é diplomata...ele estava descentralizando a secretaria lá no Rio...criando polos nos bairros... Mas, no meio desse tiroteio, o cara que assumir... Porque tem o seguinte: tudo o que esse governo fizer, quem é contra o governo, quem acha que foi um golpe não pode legitimar nada desse governo! Ah, recriou o ministério da Cultura... não, não satisfaz! Esse governo não é legítimo, é ilegítimo. Qualquer decisão tomada por esse governo, dane-se!

E tem o seguinte: Temer está andando em cima do fio de navalha...porque ele esteve nas Diretas... não pega bem ele implantar uma ditadura! O grande perigo foi ele ter colocado o Sergio Etchegoyen num posto importante. Qual é o papel dele?

E esse ministro da Justiça... é o cara da bordoada mesmo!

Quando eu vi o nome do Etchegoyen pensei: esse cara vai refundar o SNI!

Uma coisa que veio da gravação do Jucá é que os militares estavam de olho no MST... nos movimentos sociais... eles não estão mortos como a gente imagina...eles estão prestando muita atenção e controlando as coisas...

Há 30 anos não se ouvia falar em general nenhum. De repente ele coloca no ministério o general mais linha dura do exército! Etchegoyen deve estar vigiando a Dilma. Controlando quem entra e sai do Alvorada.

Eles não têm nem marketing! Porque mexer com a Cultura... por mais que seja uma decisão política, coisa de direita e tal, vão mexer com a classe artística?! Os caras são conhecidos pra caralho... é Caetano, é Chico Buarque...Carlinhos Brown... Criollo... Emicida... a Virada Cultural foi muito mais de protesto que outra coisa. Ou era a plateia ou quem estava no palco. Ou então as duas coisas junto. Elza Soares, Criollo, Emicida, todo mundo se manifestou. Teve gente que vestiu camiseta. E outra coisa: a demissão desse garçom, que é negro! Mais uma vez atinge... que não tem nenhum negro no ministério, acaba com ministério das minorias, não sei que, da Igualdade Racial e demite o negão que era um símbolo! Um cara conhecido! Só falta voltar atrás no negócio do garçom também! Chama o garçom de volta.

Mas você vê: a gente está listando uma porção de coisas que mostram que esse golpe não vai dar certo.

Tem duas semanas só! Por enquanto só fizeram merda e as manifestações, tirando o ministério da Cultura, são contra o Temer e a favor da Dilma. “Volta querida, fora Temer”. A partir de agora, com as medidas econômicas, vai ter mais gente na rua reclamando... categorias que vão ser atingidas... greve... que é uma coisa que até agora não teve...a greve vai ser uma sequência dessas medidas econômicas...Ou seja: mais merda ainda. Porque, por enquanto, em duas semanas, já houve de tudo! Mas só que não houve de tudo! Vai haver de tudo!

Se a democracia continuar, acho que vai continuar... foi um golpe civil, de direita... só isso... não é ditadura ainda, você acha que já é ditadura?

Não, não. Acho que vai ficar nisso. E eu acho que esse golpe pode se estrepar com o “volta Dilma”, porque dois ou três caras podem mudar o voto ou ganha corpo esse pedido de eleições. De algum jeito. Ganha corpo no Congresso, nas ruas...

Se bem que quem controla a Câmara ainda é o Cunha...

É o Cunha. Ele está olhando tudo de fora.

E o Renan é o vice do Temer... pra ele não interessa ter eleições...por isso acho difícil a proposta das eleições vingar no Congresso.

Mas pode haver um sentimento... se o PSDB lidera isso... os próprios partidos de esquerda, alguns estão achando que é melhor...sei lá, é a única coisa nova que pode aparecer no ar... porque a Dilma voltar não é novo! A possibilidade todo mundo sabe que tem. O que que vai acontecer? O Senado vai votar de novo. Ou fica o Temer ou volta a Dilma.

E se a Dilma volta continua o Temer... como vice...

Continua o Temer de vice. É do caralho, né! E o Jucá provou que foi golpe!

E não tem um líder para comandar essa esbórnia!

Não tem.

Quem é o líder dos protestos?

Não tem. Você sabe que as coisas não se repetem. Há características novas. O que está acontecendo agora não é como aconteceu na época do Collor, quando surgiu o Lindenbergh... os caras pintadas... agora apareceu essa liderança de direita...perigosíssima... Esse Kim... esse japoronga filho da puta... e mais os caras Revoltados online...um vai ser candidato a prefeito de Belo Horizonte...tem umas lideranças aí... mas eu não vejo na esquerda...quem está mais engajado nessas manifestações são as mulheres...mas não tem uma liderança pesada... não é o Brizola... não é o Lula... o Lula tá jogado pra corner...pode ser preso a qualquer momento! A contrapartida... vamos dizer... tá tudo cagado agora com o Jucá...tá tudo provado, quer dizer, provado não tá, eles não vão aceitar nunca que foi golpe, mas tá dito ali... só que a Globo News não fala em golpe...fala “não, queriam interromper a Lava Jato” mas ninguém fala que agora o golpe tá caracterizado...o que que vai acontecer? A glória deles como resposta? A prisão do Lula! Se prender o Lula abafa tudinho! Abafa Jucá, abafa Temer, abafa tudo! Cria uma situação... ou divulga um outro áudio do Delcídio...incriminando a Dilma... eles vão querer abafar de algum jeito isso daí. E pra abafar eles têm que fazer coisa grande! Não pode ser merdinha. Ou é a prisão do Lula... ou querer provar que a Dilma sabia de tudo...que é uma filha da puta...

Eles conseguiram colocar o Lula a escanteio...não tem liderança no governo porque o Temer não é... o líder deles ainda é o Cunha.

É o líder envergonhado...

Mas foi ele que escolheu o líder do governo na Câmara.

Líder nacional não existe.

A Dilma está sob vigilância...o papel do Etchegoyen é esse, vigiar a Dilma...

...e os movimentos sociais. Qualquer hora vão prender o Boulos, o Stédile, você vai ver! Eu não sei como é que não prenderam o Boulos naquele acampamento na casa do Temer! Ele é que comandou tudo, estava em cima do caminhão! Ele que fez o acampamento! Ele negociou com a polícia. Ou prendem ele ou prendem o Stédile, com alguma acusação...”prende esse filho da puta”! Eles têm medo também, porque sabem que a prisão de um cara desses é foda. Quer saber de uma coisa? A gente já sabia que ia acontecer isso aí, a gente não sabia em que momento ia aparecer essa coisa do Jucá...depois pode aparecer uma do Geddel...agora, duas coisas a gente tem que se perguntar: por que essa gravação apareceu só agora se ela estava com a Polícia Federal ou com quem? Estava de posse de quem? Por que não foi divulgada antes da votação do impeachment? Interessa a quem a divulgação? Ao PSDB? Entendeu o que eu quero dizer? Correntes contrárias estão brigando lá dentro...

Talvez interesse à Polícia Federal... um recado... não mexam conosco porque nós temos bala...

A sacanagem também não é só provar que teve um golpe...é ter ficado essa gravação parada lá! Essa gravação foi feita em março!

A Polícia Federal é o quinto poder!

Ela é que prende. Mas caracteriza uma outra sacanagem: ter segurado a gravação. Para não influenciar na votação. Virou o país do vazamento! Vivemos de vazamento! É gravar conversa do Lula com a Dilma...

Você acha que a Dilma não tá grampeada no Palácio da Alvorada?

Claro que tá. Se pegaram a conversa dela quando ela era presidente, imagina agora que ela tá de licença!

Ela tá numa espécie de prisão domiciliar...

Só não tem tornozeleira...

E o Marin? Tem notícias dele?

Ele ficou de dar uma grana lá... pediu mais prazo... tá fodido... vai morrer por lá...tá com oitenta e tantos anos...

Ricardo Teixeira continua em Miami?

Não. Voltou. Ele vendeu lá. Mas tá muito doente. Fez transplante não sei do que. Tá fodido. Vendeu a casa de Miami,... vendeu a fazenda que tinha em Piraí...se desfez de alguns bens... tá doente...tá fazendo hemodiálise, não sei que... tá mal. Como eles se cagaram todos...tirando a Globo... a começar de Havelange... que era o apóstolo... homem íntegro...sério... parecia um nazistão...era a honradez ambulante... se cagou todo, teve que renunciar, foi expulso da Fifa e renunciou ao comitê internacional...

E o J. Hawilla?

Esse tá mal também! Tá com câncer, nos Estados Unidos, há anos. Tá em liberdade vigiada. Foi ele que delatou tudo e começou a vender tudo... os jornais que ele tinha no interior... tinha vários... as emissoras de TV...

Quer dizer que corrupção dá câncer?

Acho que dá... É uma coisa impressionante...

Alex Sonik, do Brasil 247
No Vermelho
Leia Mais ►

"Cerra", quantos estavam com o Hollande?

Fez um selfie e diz que "esteve brevemente"


O "Padim Pade Cerra" foi a Paris, exclusivamente, para ter uma audiência privada com o Presidente Hollande e dar "legitimidade" ao Golpe — uma legitimidade que até agora não conseguiu: o Obama ainda não ligou para dar felicitações ao novo "presidente"...

"Cerra" torrou o dinheiro do contribuinte para ir a uma reunião da inócua OCDE — e ainda por cima esculhambou o relatório da OCDE que esculhambou o Brasil.

Não precisava torrar o dinheiro do contribuinte para fazer isso.

Ele foi para estar com o Hollande, numa sessão privada, presidencial, como foto e tudo!

E voltar com a coroa de "Napoleão da Moóca", e ser pendurado no Louvre, com David.

Não conseguiu.

Além do mais, pé gelado, levou a Paris uma enchente de proporções bíblicas.

Deve ter ficado trancado no hotel...

(E quando saiu à rua foi para bater boca com jornalista).

Mas, na inútil reunião da OCDE, na presença de centenas de outros participantes, ele tirou um selfie com Hollande.

Depois, numa histórica entrevista à BandNews, disse que esteve com ele "embora brevemente" e tratou das relações entre o Mercosul e a União Europeia, onde, como se sabe, há caudalosos subsídios à agricultura.

Como se o tema pudesse ser discutido enquanto se faz um selfie...

Depois, disse que o Hollande "confia nas instituições democráticas brasileiras".

Fanfarrice.

Hollande falou isso no discurso, na solenidade, diante de centenas de pessoas, e não apenas para o "Cerra".

Trata-se, portanto, de uma nova versão dos diplomas de Engenharia e Economia com que se apresentava à Justiça Eleitoral, sem que existissem.

Ou não foi ele quem, na campanha eleitoral contra a Dilma, disse que era amigo intimo do Luis Gonzaga...

E o Luis Gonzaga jamais o tinha visto mais magro, com aquele olho direito fora da órbita terrestre.

Como agora: "ainda que brevemente" com o Hollande.

Paulo Henrique Amorim
No CAf
Leia Mais ►

New York Times: Brasil leva ouro em corrupção


Jornal mais influente do mundo, o The New York Times publica nesta segunda-feira 6 um editorial intitulado "A Medalha de Ouro do Brasil para Corrupção", em que questiona a firmeza do compromisso do presidente interino Michel Temer com o combate à corrupção e pede que ele se posicione contra o fim da imunidade parlamentar para ministros e congressistas acusados de corrupção.

"As nomeações reforçaram as suspeitas de que o afastamento temporário da presidente Dilma Rousseff no mês passado, por acusações de maquiar ilegalmente as contas do governo, teve uma segunda intenção: afastar a investigação (de corrupção)", escreve o jornal.

O texto lembra as renúncias do ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá, e posteriormente do ex-ministro da Transparência, Fabiano Silveira, que indicaram em conversa telefônica estar tramando para atravancar o avanço da Operação Lava Jato.

"Isto forçou Temer a prometer, na semana passada, que o Executivo não interferirá nas investigações na Petrobras, nas quais estão envolvidos mais de 40 políticos. Considerando os homens de quem Temer se cercou, a promessa soa oca", destaca.

Leia aqui a íntegra, em português. Ou aqui no site do NYT, em inglês.

No 247
Leia Mais ►

US$ 100 milhões em propina – Fernando Henrique Cardoso será conduzido a depor sob vara?


O procurador Carlos Fernando Lima, da Lava Jato, que coagiu Lula a depor sob vara no aeroporto de Congonhas, isto é, usando a condução coercitiva, que garantiu também que no Brasil ninguém está acima da lei, e que apresentou a tese da “cadeia de comando” — “Lula tinha que saber” — terá que nos dizer como ficarão as coisas agora. A delação premiada de Nestor Cerveró revelou um negócio que, como informou hoje o próprio jornal O Globo, “rendeu US$ 100 milhões em propina para integrantes do governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Usando o câmbio de sexta-feira passada, mas sem correção monetária, a cifra chega a R$ 354 milhões.”

Qual é a situação então? O que muda quando integrantes do governo FHC são apontados como beneficiários de uma propina de 100 milhões de dólares? Muda o seguinte: se ninguém está acima da lei, FHC terá que ser conduzido coercitivamente para depor. Se a tese da “cadeia de comando”, segundo o qual o presidente não poderia ignorar, não vale só para Lula, FHC também tinha que saber da corrupção na Petrobras durante seu governo. Portanto, tem que ser investigado como possível comandante de todo o esquema. E mais: a tese tão defendida pelo procurador Carlos Fernando, de que a corrupção da Petrobras é obra do PT, que começou no governo Lula, pode ser jogada no lixo da parcialidade judicial.

Vejamos a coisa com calma. O procurador Carlos Fernando mostrou há pouco tempo ter uma visão muito elevada sobre Michel Temer. Ele afirmou não acreditar que Temer poderia, de algum modo, influenciar negativamente nos rumos da operação Lava Jato. Foi o que declarou em entrevista à Globo, nas páginas da revista Época agora em abril:
ÉPOCA – Há risco para as investigações em um eventual governo Michel Temer?

Carlos Fernando – Nós não temos nenhuma opinião formada sobre essa ou aquela posição política. O doutor Temer é professor de Direito Constitucional e entende os limites republicanos no país. Cremos que não haverá nenhum perigo ou tentativa de limitar o alcance das investigações.
Pois é, “não haverá nenhum perigo”. E já estamos já com dois ministros de Temer que caíram por tramarem contra a Lava Jato. Isso deve ser suficiente para nos convencer do seguinte: as teses do procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, não são necessariamente compatíveis com a realidade. Mas alguém dirá: ele falou de Temer não de seus ministros. Sim, é claro, que falou de Temer. Mas não da pessoa de Temer, e sim de um possível governo Temer, que estava começando a parecer mais que provável na data da entrevista, 26 de abril.

Se o procurador errou redondamente em sua previsão, se assim deixou escapar sua parcialidade, com uma simpatia que o cegou para a natureza do governo Temer, não seria capaz de ter investido contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apenas movido por um ódio cego?

Essa pergunta é importante porque esse procurador é um dos construtores da tese da “cadeia de comando”, isto é, de que Lula tinha que saber. No dia 04 de março, falando à imprensa sobre a condução de Lula, o procurador concordou que aquele era um dia importante para a República: “É um dia importante porque ela enfatiza o caráter republicano das investigações. Não há ninguém imune a investigação. Seja aqui em Curitiba, nos casos sem foro privilegiado, seja certamente, em Brasília [ou seja, nos casos com foro privilegiado]”

Ninguém estava acima da Lei, nem a ex-primeira dama, nem o filho, nem o ex-presidente. Dezenas de juristas, ex-ministros de FHC alguns, muitos professores universitários, se manifestaram contra a condução coercitiva, pelo seu abuso autoritário, inclusive o ministro do STF, Marco Aurélio de Mello. O procurador Carlos Fernando, uma espécie de pensador da Lava Jato, justificou esse ato de duas maneiras: durante o dia 04 de abril, disse que ninguém estava acima da lei, posteriormente, quando choveram críticas, afirmou que haviam conduzido 116 pessoas antes, e apenas na vez do ex-presidente Lula aconteceu aquela discussão.

Portanto, usando a expressão habitual do imparcial Gilmar Mendes, “normal, absolutamente normal”. A condução se justificaria pelo sítio e pelo apartamento em Santos. Mas, além disso, e, sobretudo, pela tese da “cadeia de comando”.

Vejamos:
Carlos Fernando dos Santos Lima – Temos claro hoje que a pessoa do ex-presidente (Luiz Inácio Lula da Silva) tem uma responsabilidade muito grande nos fatos. Há uma linha de investigação que aponta ele na cadeia de comando.

Temos indicativos claros de que havia conhecimento dele a respeito dos fatos e o governo dele era o principal beneficiado do financiamento da compra de base de apoio parlamentar.”
Muito bem. Mas estamos presenciando fatos que apontam, com o dedo duro de Cerveró, para U$ 100 milhões em propina no governo FHC. O que acontecerá? Na entrevista a Época, o procurador dizia:
Carlos Fernando – Enchem tanto a gente por conta disso... Para investigar, qualquer procurador tem de partir de um fato concreto – não posso abrir investigação para pegar fulano etc. e tal. Temos os limites da lei, não podemos sair e falar: “Agora quero pegar o governo do FHC”. Se aparecer crime do governo FHC, vou analisar se está prescrito ou não, daí podemos investigar. Boa parte dos crimes já está prescrita.”
Pois bem. O fato concreto já está aí. Qual será o procedimento? FHC vai ser levado para o aeroporto de Congonhas para depor sob escolta da PF? Será arrastado pelas ruas da cidade de São Paulo sob vara? Essas são questões intrigantes. É óbvio que o argumento da prescrição não pode nem sequer ser pronunciado a essa altura. Interessa ao país saber o que aconteceu com os seus recursos, e quem começou a roubalheira na Petrobras, da mesma maneira que uma família tem o direito de saber quem assassinou um membro seu, não importa o quanto este crime esteja prescrito.

PS: Só para não esquecer. Embora nem rumores ocorram na imprensa, outro grupo do governo FHC (José Serra, Pedro Malan, Pedro Parente, etc.), já está condenado por improbidade administrativa, pela ‘ajuda’ de quase 3 bilhões dada pelo Banco Central aos bancos Econômico e Bamerindus, em 1994. Repetindo: não estão sendo processados, já foram condenados e estão soltos e exercendo funções de elevada responsabilidade pública graças ao ministro Gilmar Mendes, que não apenas concedeu liminar para suspender as ações (em 2002), como mandou arquivar os processos (em 2008).  O representando do Brasil no exterior, a autoridade máxima do Ministério das Relações Exteriores, é alguém condenado por improbidade administrativa, o que muito, certamente, enaltece a imagem do país lá fora.

Bajonas Teixeira de Brito Júnior – doutor em filosofia, UFRJ, autor dos livros Lógica do disparate, Método e delírio e Lógica dos fantasmas, e professor do departamento de comunicação social da UFES.
No Cafezinho
Leia Mais ►