28 de nov de 2016

Entrevista de Calero mostra que Temer montou cerco para favorecer Geddel. Assista


Embora não tenham divulgado ainda os áudios gravados de telefonemas — ao que parece por orientação da Polícia Federal —, a entrevista do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero mostra que há muita lenha para queimar no caso Geddel Vieira Lima.

Visivelmente contido, o ex-ministro revela o suficiente para duas coisas serem estabelecidas.

A primeira é que a pressão de Geddel sobre Temer não foi leve, na base do “vê se me quebra o galho”. Ao dizer que o caso tinha “criado dificuldades operacionais para o Governo”, ele traduz claramente que houve ameaça de retaliação do ex-ministro da Secretaria de Governo, diante da postura inicial de deixar o caso restrito ao Ministério da Cultura.

A segunda é que o próprio Presidente da República montou e comandou um cerco sobre Calero, de forma a que ele entendesse que, embora não dada diretamente, o envio do caso para a AGU, que “encontraria uma solução” era uma determinação presidencial e não uma sugestão.

A história de que a AGU tem a obrigação de dirimir impasses entre órgãos do governo e que haveria um impasse entre o Iphan da Bahia (ocupado por um indicado de Geddel) e o Iphan nacional é digna de risos.

Não só porque se trata de um problema de hierarquia interna do órgão como, se fosse o caso de assessoria jurídica,  há uma projeção da AGU dentro do Ministério da Cultura, porque o cargo de Consultor Jurídico — e toda a estrutura da Consultoria — é composta de advogados da União.

Foi advocacia administrativa na veia e os fatos irão se suceder, porque Calero já mostrou que de bobo não tem nada e que foi devidamente orientado para colher provas antes de demitir-se.

Veja a entrevista, no video abaixo:



Fernando Brito
No Tijolaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.