24 de out de 2016

Os “patos” agora querem conteúdo nacional na Petrobras?


Alertado pelo GGN, de Luís Nassif, vejo na Folha que os líderes de “pataquada” — a Fiesp e a Firjan — agora querem que Michel Temer reverta as mudanças anunciadas que praticamente extinguem a exigência de conteúdo nacional na construção das plataformas e demais equipamentos de exploração de petróleo.

Os “campeões da livra iniciativa” que viviam reclamando da falta de competição agora se arrependeram, porque as petroleiras estrangeiras, quando vierem o nosso pré-sal, vêm de mala e cuia, com seus fornecedores internacionais que, obvio, podem dar melhores preços, uma vez que trabalham em escala mundial.

Percam as esperanças, senhores.

Pode ser que sobre para vocês fazerem uns caninhos, uns parafusos, quem sabe uns gradis e escadas.

Partes de maior valor agregado? Esqueçam.

Com lei e tudo, as petroleiras não preferiram pagar R$ 570 milhões em multas para importar além do que era autorizado?

Imagina sem ela e com o raciocínio “besta” de que é melhor pagar uns dólares a menos e trazer de Singapura?

Vejam como a Folha conta a história e o “dinheirinho” que se perde aqui, em produção e empregos:

“A pressão sobre o governo aumentou em junho, quando a Petrobras passou a defender abertamente a flexibilização das regras após a chegada de Pedro Parente à presidência. Em 2016, o governo recebeu os presidentes globais da Shell, Ben Van Beurden, e da Statoil, Eldar Saetre. O setor afirma que ganharia investimentos de US$ 250 bilhões com as mudanças.

O curioso é ver que o presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), José Velloso, diz que — o verbo é dele — as multis “ ameaçam com um investimento que só vai acontecer na década que vem. O fechamento de fábricas vai trazer desemprego agora”.

Patos.

Fernando Brito
No Tijolaço

Um comentário:

  1. Lutaram tanto para: o quanto pior, melhor. Agora não querem mais? Não, quem comeu a carne, que roa o osso.

    ResponderExcluir

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.