5 de out de 2016

O leitor da Veja que vai decidir a sorte de Lula

Moro num evento da Abril, que edita a Veja
Imagine um leitor da Veja. O típico leitor. Aquele que acredita em cada linha. Que mostra coisas da revista para os amigos. Que não questiona nada. Que a lê como um muçulmano lê o Corão.

Ao longo dos anos, este leitor foi doutrinado com uma visão de Lula equivalente a Belzebu. Uma entidade do mal. Alguém que veio ao mundo para produzir destruição. Que não tem dois lados, um positivo e um negativo. Apenas o negativo.

Agora imagine que a este leitor é entregue o julgamento de Lula.

Este leitor é Moro.

É tão simbiótica a relação entre leitor e revista que, recentemente, Moro levou um jornalista da Veja para testemunhar uma visita dele aos Estados Unidos. Na viagem de avião, o repórter chegou a fotografá-lo camuflado no banco dos passageiros, com um boné, para não ser reconhecido, como se fosse Brad Pitt.

É este leitor que vai decidir a sorte de Lula.

Ou que já decidiu. O que poderia levar um leitor entusiasmado da Veja a absolver Lula? Ou a julgá-lo com um grau mínimo de isenção que se esperava — anos atrás, é verdade — num magistrado? Nada. A revista faz jornalismo de guerra contra Lula e seu leitor faz justiça de guerra.

Esta é a verdade.

A sorte, ou o azar, de Lula repousa nas mãos de um leitor devoto da Veja.

Sérgio Moro.

Paulo Nogueira
No DCM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.