20 de ago de 2016

Uma fina ironia de Teori Zavascki?


Prezado ministro Teori Zavascki:

Eu tenho sido um admirador da sua postura como magistrado em razão do respeito à condição ética dos juízes — a manifestação nos autos. A sobriedade com que V.Ex.ª se comporta no cotidiano desse malfadado STF sempre me chamou a atenção. Mas estes dias passados fiquei ruminando com meus botões suas últimas manifestações.

Aliás, não sei como V.Ex.ª se dá com seu par, o ministro Gilmar, um excêntrico político sem freios na língua. Não deve ser fácil cruzar com ele nos corredores do STF. Eu até ia lhe perguntar: ele pára V.Ex.ª para fazer comentários sobre a situação do país?

Deve ser terrível ter que levantar-se para tomar um café e encontrar com um língua solta como ele. “Temos que mandar prender Lula o mais breve possível, colega”, deve dizer entre uma bolacha e um gole de café. Não? Juro, ministro, que nessa hora eu queria ser uma mosquinha para ouvir as conversas entre vossos pares.

E sobre o Cunha? O Gilmar fala alguma coisa? Meu amigo já falecido dizia que há coisas sobre as quais é melhor não ouvir para não ter que se pronunciar. Ele não lhe convidou para dar aulas no Instituto Brasiliense de Direito Público?

Mas voltando ao que eu dizia, ministro Teori, fiquei muito impressionado com seu despacho mandando investigar nossos companheiros Lula e Dilma por obstrução da Justiça. E fiquei muito intrigado com seu conceito de obstrução da justiça. Fiquei muitos dias pensando, lendo os jornais, para ver se algo se evidenciava.

As manchetes do Jornal Nacional, os mervais pereira da vida, todos proclamaram a alto e bom som que, agora, Dilma era alvo de uma investigação por ação de Teori por obstrução da justiça! Que coisa… Voltou à minha cabeça o seu investigado, o Eduardo Cunha, que anda livre, leve e solto por Brasília.

Ele, que é acusado de obstrução convicta e declarada. Seriam todos iguais, é isso que V.Ex.ª pretenderia dizer? Eu sei de numerosas gravações mostrando membros do atual governo interino querendo bloquear a Lava-Jato. Sei até mesmo de projetos de lei na mesma linha.

O que me deixou com a pulga atrás da orelha foi ver um ministro do seu quilate propondo um inquérito sobre dois líderes que liberaram amplo financiamento para a PF investigar e deixaram de mãos livres o MP para apuração da corrupção. Sei até mesmo que o então ministro da Justiça, o José Eduardo Cardoso, foi acusado por petistas de fazer corpo mole com a PF quando o Juiz Moro investiu contra Lula.

Teria V.Ex.ª descoberto que Dilma, afinal, é uma contraventora como todos os outros? Se me parece um absurdo jurídico essa investigação sobre Dilma e Lula como obstrutores da justiça, haveria então uma mensagem não compreendida nesse seu despacho? Seria essa sua investigação uma fina ironia que o nosso jornalismo marrom não conseguiu entender? Que coisa… Qual seria essa mensagem?

Finalmente, depois de muito pensar, cheguei à formulação de uma hipótese: o ministro Teori está querendo mostrar ao Brasil que o STF bloqueia o exercício da justiça! É isso! Arre! Claro… se Lula é nomeado ministro, e com isso a justiça fica bloqueada, só pode ser porque seu caso pula pras mãos do Supremo. E o Supremo não manda investigar coisa alguma. Só pode ser isso.

Comecei então a costurar os argumentos: o Cunha está solto, assim também o Renan, o Temer, todo mundo. As imprudências e excessos jurídicos que o STF devia controlar, seguem livres. A justiça — que os governos Lula e Dilma começaram a implantar em nosso país, revertendo séculos de injustiça social — está sendo obstruída pela ação direta de um judiciário reacionário que viabiliza a cassação de 54 milhões de votos por 81 senadores, a maioria sob investigação! E por um STF acovardado. É isso! É isso que meu admirado e sóbrio ministro está escrevendo nas entrelinhas, mas que o povo ainda não se deu conta.

Colocar Lula e Dilma como obstrutores da justiça é uma fina ironia que a história irá reconhecer no futuro. O grande problema, ministro Teori, será o sofrimento a que está sendo submetido nosso povo.

Permita-me concluir dizendo que eu preferiria uma ação enérgica sua contra os desmandos praticados pelos seus pares, acometidos de uma febre reacionária e proto-fascista. Aliás, uma ação que não demorasse cinco meses como demorou V.Ex.ª para analisar o caso Cunha.

Artur Scavone
No Viomundo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.