10 de ago de 2016

Meirelles, o aposentado, usa o pai para defender “aposentadoria nunca”. Que filho!


A nota de Monica Bergamo, na Folha de hoje (9), em que ela narra que o Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles usa o exemplo do falecido pai, Hesegipo, para defender idade mínima para aposentadoria, com um número que faz tremer: diz que o pai se aposentou aos 92 anos!

Nada contra a pessoa trabalhar até quando e quanto possa, se quiser. Se o pai de Meirelles, ex-político e advogado, quis, foi sua vontade. Até certo ponto e em certos limites, não é ruim, se a pessoa o deseja e sente-se em condições.Talvez fosse bem diferente se ele fosse peão de obra, carregando peso e fazendo esforço físico.

Agora, é supreendente o complemento do “chiste” de Meirelles: diz que o pai se aposentou aos 92 anos contra a vontade dele, Henrique.

Como? Será possível que um filho, com um pai de 92 anos, não se preocupa ou insiste em que ele descanse, cuide da saúde, passeie, faça tudo o que um emprego (se é que estamos falando de um trabalho-trabalho, destes de oito horas diárias, etc…) fixo não permite? E que quando um homem, quase com um século de vida, decide se aposentar, ainda fica contra?

Desculpe, Ministro, mas que filho é o senhor?

recortemeirellesMais ainda porque Henrique Meirelles, como Michel Temer, que se garantiu aos 55, aposentou-se aos 57 anos.

E não foi com “merreca”, mas com aposentadoria do FleetBoston Bank, de US$ 750 mil anuais.

Sabem quem contou isso? Um senhor chamado Henrique Meirelles, em entrevista à Folha em 2003, quando conta que se aposentou em agosto de 2002, mês em que completou 57 anos de vida!

E quando o questionaram sobre se era legítimo acumular essa bolada com a bolada de presidente do Banco Central do Brasil, Henrique Meireles foi peremptório:

 -Eu trabalhei, tenho direito a essa aposentadoria!

Nós também, ministro, nós também.

Fernando Brito
No Tijolaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.