10 de ago de 2016

Golpe é movido a medo


O golpe de estado no Brasil pode ser visto de vários ângulos.

Um deles: é movido a medo.

Ouvindo o discurso dos golpistas — os agentes públicos e os que se propõem a ser seus teóricos — percebe-se a inconsistência e o alheamento dessas pessoas que, no entanto, ostentam títulos acadêmicos, exerceram funções de importância e dirigem, hoje, o país.

Temer, Jucá, Serra, Merval, por exemplo, são umas bestas.

Gilmar e Cunha são apenas espertos.

Meireles e Goldfajn são banqueiros. O último dessa espécie que viu na humanidade algo além de números foi Voltaire.

Falta-lhes dimensão. Perto deles, José Dirceu é um gênio e Lula um gigante.

Traço comum é que são incapazes de professar ou defender uma doutrina coerente — não importa se progressista, conservadora ou reacionária. Não se garantem.

Rezam catecismos e aplicam receitas prontas,

O espírito desses e dos que os acompanham é o de quem está onde não devia, sabe disso e teme a chegada de quem ameace seu lugar.

Não surpreende que temam a ascensão de novos comensais ao banquete. Ou que segurem a mesa para que não vire.

Nilson Lage
No Esquerda Caviar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.