18 de jul de 2016

Sonegadores já devem mais de R$ 1 trilhão

http://noticias.r7.com/blogs/ricardo-kotscho/sonegadores-ja-devem-mais-de-r-1-trilhao/2016/07/18/

Reportagem de capa do Estadão desta segunda-feira rompe um tabu ao tocar num ponto ignorado na discussão sobre o ajuste orçamentário para equilibrar receitas e despesas: o tamanho do buraco provocado pela sonegação fiscal, que não para de crescer, sem que se tenham noticias de providências do governo federal ou do Congresso Nacional para combater esta sangria e cobrar os devedores.

Para se ter uma ideia do volume de dinheiro devido à União que deixa de entrar para os cofres públicos, a soma dos valores já ultrapassou ultrapassou recentemente a barreira de R$ 1 trilhão (sim, por extenso, trata-se de um trilhão de reais), cinco vezes mais do que o rombo no orçamento este ano, com um deficit fiscal previsto de R$ 170 bilhões.

No topo da lista dos grandes sonegadores entre as pessoas físicas aparece Laodse de Abreu Duarte, de quem nunca havia ouvido falar, um dos diretores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, com uma dívida de R$ 6,9 bilhões, maior do que a dos governos da Bahia, de Pernambuco e de outros 16 Estados individualmente.

Fiesp, como sabemos, é a poderosa sigla do empresariado paulista que inundou o País de bonecos do pato amarelo, simbolo usado nas manifestações de protesto até recentemente. O objetivo declarado da turma do pato na avenida Paulista era combater a criação de novos impostos, mas pelo jeito não se preocupava em pagar os que já existem.

Segundo o jornal, a soma dos valores devidos por empresas e pessoas físicas para o governo federal não inclui dívidas previdenciárias, do FGTS e dos casos em que há suspensão de cobrança por determinação judicial — ou seja, o tamanho do rombo causado pelos sonegadores é ainda muito maior. Entre os maiores devedores são citadas empresas de ponta do PIB nacional como a Vale, a Carital Brasil (antiga Parmalat) e a estatal Petrobras.

O jornal se pergunta como pessoas físicas, a exemplo de Laodse de Abreu Duarte, chegam a dever tanto ao Fisco. "A explicação é que os integrantes da família Abreu Duarte foram incluídos como corresponsáveis em um processo tributário que envolveu uma de suas empresas, a Duagro, que deve, no total,  R$ 6,84 bilhões ao governo".

Ainda de acordo com a reportagem, a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional suspeita que a empresa tenha servido de "laranja" em "um esquema de sonegação ainda maior, envolvendo dezenas de outras renomadas e grandes empresas".

No site da Fiesp, o campeão Laodse aparece como um dos atuais 86 diretores da entidade, sem especificação de cargo. Além disso, o empresário integra o Conselho Superior do Agronegócio da Fiesp e preside o Sindicato da Indústria de Óleos Vegetais e seus derivados em São Paulo. Não é pouca coisa.

Diante desta revelação, também me faço uma pergunta: quem são, afinal, os patos?

E vamos que vamos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.