25 de jul de 2016

Proteste fiscaliza asilos


A PROTESTE foi a dez instituições particulares de atendimento a idosos espalhados pela cidade do Rio de Janeiro e constatou que nenhuma está livre de problemas. Em todos os estabelecimentos visitados, foram encontradas falhas que vão da falta de infraestrutura e exposição a riscos, até total descaso. E o número de funcionários é insuficiente, principalmente no período noturno.

PROTESTE cobra fiscalização 

Diante das inúmeras irregularidades verificadas nos estabelecimentos visitados, a PROTESTE cobrou a fiscalização e a intervenção do Conselho Municipal do Idoso, da Vigilância Sanitária local e do Corpo de Bombeiros. Também encaminhou representação ao Ministério Público, para que sejam tomadas providências.

Os locais visitados se mostraram despreparados para disponibilizar um serviço de boa qualidade e em grande parte, não atendem nem às necessidades mais básicas estabelecidas pelo Estatuto do Idoso.

Nos asilos Casa de Repouso Santa Tereza, Velhos amigos — Pensionato Geriátrico, Recanto da Terceira Idade e Estância São José, foram encontramos ainda velhinhos amarrados em camas e cadeiras, tanto pelos pulsos quanto pela cintura. A alegação era a mesma: a família está ciente da situação e, uma vez solto, o idoso pode se machucar. Mas a maioria parecia esquecida no local.

Deixar alguém amarrado e sozinho é desumano. No mínimo, deveria ter um funcionário por perto. Essa realidade coloca a vida dos idosos em risco. Em caso de incêndio, as consequências poderiam ser desastrosas.


Instituições pecam na segurança e tem condições  de higiene precárias 

Também faltam rotas de fuga e extintores. A maioria das instituições visitadas não está pronta para emergências. Todas apresentam problemas de sinalização de rota de fuga, com exceção da Maison Vert. No Felizidade Residencial para Idosos, não foi localizado extintor. Em seis asilos, a sinalização de rota de fuga não existe e, nos demais, a indicação leva a um caminho cheio de obstáculos — entre eles, cadeiras e entulho. E nem todos têm extintores de incêndio devidamente sinalizados. 

O Estatuto do Idoso considera violência contra esse cidadão qualquer ação ou omissão praticada em local público ou privado que lhe cause morte, dano ou sofrimento físico ou psicológico. Caso se depare com qualquer tipo de maus-tratos contra idosos, deve-se denunciar por meio do Disque Direitos Humanos – Disque 100. 

Havia tapetes sem material antiderrapante, fios soltos, corrimão quebrado, desníveis no chão, piso molhado e animais de grande porte circulando pelo local. Além disso, em alguns asilos, ter acesso aos medicamentos é fácil, uma vez que eles não são armazenados de forma correta – de preferência em um armário com tranca ou cadeado. 

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), cada quarto pode ter, no máximo, quatro leitos. Apenas Maison Vert, Estância São José, Casa de Repouso Vila do Sol e Felizidade respeitam essa lei. Os demais também oferecem quartos quíntuplos ou sêxtuplos. 

Vale destacar que só esses dois últimos têm quartos que cumprem todos os requisitos considerados essenciais: há espaço suficiente entre as camas e campainhas de emergência ao lado de cada leito, assim como luminárias ou interruptores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.