13 de jul de 2016

Orloff, Cunha e a dor de cabeça do dia seguinte

http://www.revistaforum.com.br/blogdorovai/2016/07/12/orloff-cunha-e-a-dor-de-cabeca-do-dia-seguinte/


O presidente afastado da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, não poderia ser mais claro do que foi na sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Letra por letra, disse: “eu sou vocês amanhã”.

O slogan da “poderosa e potente” vodca Orloff reinou nas décadas de 80 e 90 principalmente para explicar a relação Argentina e Brasil nos planos da economia e da política.

Os hermanos saíram da ditadura com Alfonsin e nós com Sarney. Ambos fizeram governos fracos e mal avaliados ao seu final. Mas também fizeram sucesso por um tempo com dois planos econômicos. O Austral na Argentina foi a base que gerou o Plano Cruzado.

Depois veio Menen que privatizou até banco de praça por lá. E o mesmo fez FHC por aqui. O eleitor para isso tinha sido Collor, mas seu governo derrapou logo de cara.

O fato é que o que acontecia antes na Argentina, depois se repetia no Brasil. O tal efeito Orllof. Efeito de uma vodca que podia pecar em tudo, menos na dor de cabeça do dia seguinte.

E assim, hoje, o nosso homem público mais acusado do momento, o sr Eduardo Cunha, deixou claro para seus amigos (?) de mandato que a ressaca que está lhe tirando o sono também os irá incomodar no futuro.

E mais do que isso. Deixou ainda mais claro que aqueles que se colocarem contra ele na Comissão terão o seu ódio eterno. E sua vingança fria.

Cunha, até as esquinas de Brasília já sabem, vai fazer um acordo de delação premiada.

Como todos os outros que delataram, ele será seletivo. Dará o nome de alguns e salvará outros.

Cunha sabe que mesmo assim terá sua pele exposta em praça pública e vai pagar uns anos de cadeia, mas tenta agora, com este lance, livrar suas filha e esposa do confinamento.

O efeito Orloff tende a fazer muitas vítimas. Cunha não tem mais o que perder e por isso já age como batedor de carteira à luz do dia. Suas chantagens deixaram os gabinetes. Agora voam em palavras claras pelo plenário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.