17 de mai de 2016

Um problema chamado Israel

Bolsonaro recebendo o batismo no fétido e super-poluido rio Jordão, que o governo de Israel transformou num
esgoto a céu aberto
Obama esteve em Israel e falou um monte de bobagens.

Não satisfeito, foi até a Cisjordânia para um encontro com o presidente Abbas. Mais bobagens.

Se houvesse sinceridade nessas idas-e-vindas de Obama e seus garotos-de-recados, ele teria de se concentrar em apenas um problema.

Que resolveria todos os demais.

E que problema é esse?

O problema israelense.

Pois ao contrario do que muita gente pensa, a questão palestina não tem nada a ver com qualquer tipo de problema.

Os palestinos sempre viveram na Palestina.

Os palestinos não invadiram a Europa. Foram os europeus que invadiram a Palestina.

Portanto, se problema existe, ele foi criado e recriado pelos europeus, que passaram a se denominar israelenses.

E, por favor, não confundam os israelenses com os judeus.

Nenhuma relação.

Vejamos o que diz a História.

Vamos resumir.

Os hebreus( os que vieram de fora) invadiram a Palestina vindos do Egito( Moisés) e do Iraque(Abraão).

E com eles trouxeram uma religião e um deus jeová, que, nas palavras de bakunin, “de todos os bons deuses adorados pelos homens, foi certamente o mais ciumento, o mais vaidoso, o mais feroz, o mais injusto, o mais sanguinário, o mais despótico e o maior inimigo da dignidade e da liberdade humanas”.

Os hebreus conseguiram converter muitos palestinos.

E a Palestina continuou chamando-se Palestina.

Depois de inúmeras invasões, a Palestina, mesmo ocupada e colonizada, continuou com o nome de Palestina.

Durante a ocupação romana, e com o cristianismo, os hebreus, que permaneceram na Palestina, converteram-se ao cristianismo.

Nem todos, é verdade, mas a grande maioria.

Estes passaram a se denominar palestinos cristãos.

Mais tarde, com a propagação do islamismo, os palestinos hebreus, que haviam se convertido ao cristianismo, tornaram-se muçulmanos.

Nem todos, é verdade.

A Palestina, então, passou a ser habitada por muçulmanos, cristãos e judeus.

Com ampla maioria de muçulmanos.

A Palestina enfrentou inúmeras invasões, mas continuou Palestina.

De maioria muçulmana, com pequena porcentagem de cristãos e numero menor ainda de judeus.

Todos vivendo harmoniosamente.

E não podia ser diferente, porque no fundo, no fundo, judeus, cristãos e muçulmanos rezam para o mesmo deus, com 3 nomes diferentes.

E a Palestina, cuja História é anterior a todos os deuses, sempre foi conhecida pelo nome de Palestina.

Seus habitantes, sejam eles judeus, cristãos ou muçulmanos, são palestinos, assim o era também um de seus filhos mais ilustres, Jesus Cristo.

E a ninguém cabe ignorar que a Palestina foi o berço do cristianismo.

E a ninguém cabe ignorar também que a religião judaica considerou e continua considerando Jesus Cristo um farsante.

E a ninguém cabe ignorar também que os cristãos perseguiram os judeus por mais de dois mil anos.

E onde os judeus foram buscar abrigo?

Junto aos muçulmanos, com os quais viveram harmoniosamente até a criação do Estado de Israel.

E não satisfeitos em invadir e ocupar uma terra que não lhes pertence, os euro-invasores-sionistas querem, porque querem, apagar a Palestina do mapa.

Mas a História é implacável.

Quer se goste ou não, se os babilônios, assírios, romanos, otomanos e ingleses não conseguiram apagar a Palestina do mapa, não serão os euro-sionistas-invasores a consegui-lo.

Ou alguém duvida?

Georges Bourdoukan

Um comentário:

  1. Olá! Bom dia a todos os leitores/seguidores... Excepcional Síntese Histórica apresentada... Brilhante, maravilhosa, insofismável... Parabéns...

    ResponderExcluir

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.