21 de mar de 2016

Rosa Weber vai declara-se impedida de julgar as ações de seu ex-assessor Moro?


O Ministro Luiz Fachin declarou-se impedido de julgar o habeas corpus impetrado pelos advogados de Lula simplesmente por ser amigo de um deles.

Regra que não valeu, como já se disse, para Gilmar Mendes, que é chefe da advogada que pleiteou e obteve a ordem para impedir a nomeação de Lula e lançá-lo de volta às garras de Sérgio Moro.

Com o impedimento de Fachin, novo “sorteio” e agora o caso vai para as mãos na Ministra Rosa Weber, que convocou o Juiz Sérgio Moro para ser seu assessor durante um ano na Ação Penal 470.

Será que Sua Excelência dar-se-á por impedida pelas suas notórias ligações com o homem cuja legalidade ou ilegalidade dos atos está no cerne da decisão que deverá tomar?

Aliás, para ficar em Brasília, Moro quis manter o cargo de professor que ocupa na Universidade Federal do Paraná, exigindo, para isso, que a faculdade de Direito marcasse suas únicas três ou quatro aulas semanais nos dias e horários que ele quisesse, inclusive passando a abrir aos sábados.

Neste episódio, no qual Moro recorreu à Justiça e perdeu — quando não era herói, perdia — produziu-se um documento — a resposta ao pedido de informações feito a Universidade pela Justiça — que ajuda a compreender um pouco o espírito “morista”. Reproduzo uma parte do que pode ser lido, na íntegra, aqui.

latere1
latere2
latere3
latere4

Fernando Brito
No Tijolaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.