15 de mar de 2016

Pedido de direito de resposta contra a Globo já está na Justiça

http://institutolula.org/pedido-de-direito-de-resposta-contra-a-globo-ja-esta-na-justica

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva protocolaram, nesta segunda-feira (14), ação que solicita direito de resposta contra a TV Globo. O pedido diz respeito à reportagem de abertura do Jornal Nacional do último dia 10 de março, que não contemplou a defesa de Lula ao noticiar denúncia apresentada por três promotores do Ministério Público de São Paulo contra o ex-presidente. A emissora, além de negar o “outro lado” a Lula, utilizou ainda de recursos de edição para legitimar e reafirmar a frágil acusação.



Acionada diretamente, a Globo negou o pedido de resposta sob a alegação de que já teria dado oportunidade ao ex-presidente e aos seus advogados de apresentar posicionamento sobre a denúncia dos promotores. Isso não é verdade.


Veja a nota do Instituto sobre a censura ao direito de defesa de Lula

Como prova a ação judicial, a assessoria de imprensa de Lula não foi procurada pela produção do Jornal Nacional para comentar o assunto. A produção do JN procurou os advogados de Lula, mas para falar apenas sobre os fundamentos do pedido de prisão preventiva do MP-SP, que foi objeto de reportagem distinta — e não sobre o mérito da denúncia.

Entre os argumentos apresentados pelos advogados de Lula, destacam-se:

— O fato de que o direito de resposta tem amparo na Constituição Federal (art. 5º, V), na Convenção Americana de Direitos Humanos (Pacto de San José da Costa Rica – art. 14) e na Lei nº 13.188/2015 (art. 2º); é expressão do direito de manifestação, do direito de defesa e, ainda, tem a relevante função de relativizar discursos unilaterais permitindo a reflexão e o diálogo; não é ataque à qualquer veículo;

— Que uma reportagem sobre denúncia criminal desacompanhada da defesa do acusado oferece à opinião pública uma versão desequilibrada dos fatos, especialmente diante dos recursos de edição de imagem e de voz utilizados no caso concreto; coloca em risco o necessário equilíbrio processual e, ainda, configura publicidade opressiva, tanto mais ao equiparar Lula a um traficante de drogas ao explicar a “teoria da cegueira deliberada”;

— Houve agressiva e ilegítima recusa do pedido de resposta feito diretamente à emissora, que resolveu levar ao ar novas ofensas ao ex-presidente e aos seus advogados, que reforçam a publicidade opressiva já indicada.



jn está com medo do direito de resposta do Lula

Não parecia o Cid Moreira lendo o editorial do Brizola?

Isso é um perigo!
O Lula vai estrear o "direito de resposta" do Requião, no jornal nacional.

O que o jornal nacional fez com o Lula merecerá da Justiça a devida resposta — já escrita!

Não foi à toa que o Gilberto Freire com "i", nessa segunda feira, 14/03, concedeu aos advogados do Lula preciosos minutos no jn.

Para evitar novos recursos de direito de resposta.

Mas, tem um perigo: deixar o Lula falar!

Da última vez em que deixaram o Lula falar, depois do sequestro e do cárcere privado em Congonhas, deu na pesquisa da Vox Populi que inocentou o Lula e condenou o Moro.

Como se sabe, no livro "O Quarto Poder", o ansioso blogueiro reproduz uma das instruções que Roberto Marinho dava ao Armando Nogueira para editar os telejornais (sic) da casa.

Uma delas dizia assim: se o Brizola se jogar na linha do trem para salvar uma criança, se a criança se salvar e se o Brizola morrer... mesmo assim você tem que me consultar para saber se pode dar o nome do Brizola no jornal nacional!

Se o amigo navegante substituir "Brizola" por "Lula" ou "Dilma", a ordem permanecia em vigor.

Até o Requião — esse insensato! — tirar o direito de resposta da letra morta da Constituição e lhe dar vida, longa!

Contemple, agora, amigo navegante, o que o Bonner e a Renata tiveram que ler, com uma certa dificuldade, no jn de ontem:



Em tempo: quá, quá, quá!

Paulo Henrique Amorim
No CAf

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.