15 de mar de 2016

Na íntegra, a delação premiada de Delcídio do Amaral

O senador concordou em devolver R$ 1,5 milhão aos cofres públicos

A delação de Delcídio é considerada uma bomba política
Geraldo Magela / Agência Senado
O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator do processo da Operação Lava Jato, homologou na segunda-feira 14 o acordo de delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), firmado com a Procuradoria-Geral da República (PGR) para colaborar com as investigações sobre o esquema de corrupção na Petrobras.


Delcídio do Amaral, então líder do governo no Senado, foi preso no dia 25 de novembro do ano passado depois que Bernardo Cerveró, filho de Nestor Cerveró, ex-diretor da área Internacional da Petrobras, entregou ao Ministério Público o áudio de uma reunião na qual Delcídio propunha o pagamento de 50 mil reais por mês à família Cerveró e um plano de fuga para o ex-diretor deixar o País.

O senador garantia ainda que poderia interferir junto a alguns ministros do Supremo para conseguir um habeas corpus para Nestor Cerveró.

Delcídio foi solto no dia 18 de fevereiro sob condição de se manter em recolhimento domiciliar, podendo deixar a sua residência apenas para ir ao Senado trabalhar e retornando no período noturno. Desde então, ele está de licença médica.

André Barrocal
No CartaCapital

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.