10 de mar de 2016

A má fé cínica e obtusa de Conserino para pedir a prisão de Lula

Má fé cínica, obtusidade córnea ou ambas: Conserino
O promotor Cássio Conserino, para lembrar uma frase de Eça, está sendo movido ou por má fé cínica ou por obtusidade córnea.

Ou, acrescentaria, por uma mistura de ambas.

Considere.

Ele decreta a prisão preventiva de Lula com os seguintes argumentos relativos ao triplex do Guarujá.
  • Lula era o “mascote” das vendas dos apartamentos.
Ora, ora, ora. “Eles [os corretores] sinalizavam para os eventuais compradores que poderiam jogar bola com o ex-presidente, passear com ele no condomínio. E que teriam mais segurança por conta da figura ilustre do Lula.”

Conserino acha que somos todos imbecis?

Se é que é verdade que os corretores usavam Lula como argumento, que responsabilidade ele pode ter sobre isso?

Zero.

Qualquer corretor faz este tipo de coisa diante de uma situação parecida. Suponhamos. Um astro de novela fez uma pré-compra de um apartamento num condomínio.

Claro que os corretores alardearão isso nas conversas com potenciais compradores.

O que me traz dúvida em relação ao papel de “mascote” — a expressão de Conserino revela sua alma torpe, preconceituosa, vil — é que a classe média que poderia comprar os apartamentos no Guarujá abomina Lula, manipulada que é por Globo e sequazes.

Seria provavelmente um péssimo argumento de vendas.
  • Pelo menos 20 testemunhas foram ouvidas.
Mais uma vez: ora, ora, ora. Primeiro, sabemos o que significa “pelo menos”. É uma cínica aproximação que vale a partir de 10. Mas principalmente: que testemunhas são estas?

Vimos a natureza delas em várias reportagens do Grupo Globo. São transeuntes, funcionários do condomínios não citados e por aí vai.

E o que dizem todos esses anônimos é que viram Lula ou alguém da família em alguma visita ao apartamento.

Lula fez uma pré-compra, afinal não realizada. É natural que em algum momento ele e os familiares descem um pulo ao Guarujá, até para decidir sobre o negócio.

Por contraste, quantas pessoas são testemunhas de que a Paraty House é dos Marinhos? Gente que trabalhou no projeto conta que tratou com Paula Marinho, neta de Roberto Marinho. O arquiteto do casarão criminoso deu à obra o nome de Projeto PM.

E isso não é nada.

Conserino pensa que engana a quem?

Ele admite não ter provas documentais. O que ele tem são essas alegações primitivas, canalhas e irresponsáveis.

Ele tem noção dos tumultos que pode estar provocando ao tomar uma medida tão absurda, tão injusta e tão disparada quanto esta?

Se alguém deve ser preso nesta história, por abuso de autoridade e por em risco a segurança de muitos brasileiros, é ele mesmo, o desprezível Cássio Conserino

Paulo Nogueira
No DCM

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.