29 de set de 2015

Lobista ligado ao PMDB diz ter feito repasse a conta de Cunha no exterior

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ)
O lobista João Augusto Rezende Henriques admitiu ter feito repasse de dinheiro para conta no exterior que tinha como beneficiário o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Henriques é apontado pelas investigações da Lava Jato como lobista do PMDB na diretoria Internacional da Petrobras.

Em depoimento à Polícia Federal na sexta (26), Henriques disse que quando fez a transferência não sabia que a conta pertencia a Cunha, e tal informação só foi obtida por meio de autoridades da Suíça há dois meses. Neste depoimento ele não cita valor e data da operação.

O conteúdo do depoimento foi divulgado pelo site do jornal "O Estado de S. Paulo".

Segundo o advogado do lobista, José Cláudio Marques Barboza Júnior, Henriques tinha que fazer um pagamento de uma comissão para o economista Felipe Diniz, e este indicou que o valor deveria ser depositado em uma conta no exterior. Posteriormente, veio a saber que a conta tinha Cunha como beneficiário, segundo o advogado.

Diniz teria direito a uma comissão por ter ajudado no negócio de aquisição pela Petrobras de um campo de exploração em Benin, na África.

Apenas quatro anos depois de entrar no negócio, a Petrobras deixou o projeto em Benin em julho deste ano.

Diniz é filho do deputado federal Fernando Diniz (PMDB-MG), morto em 2009.

Em depoimento à Justiça Federal no mês passado, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, um dos delatores da Lava Jato, afirmou que era de conhecimento público na estatal que o ex-diretor da área Internacional da estatal Jorge Zelada tinha chegado ao cargo com o apoio do PMDB de Minas Gerais e de um deputado do Estado com sobrenome Diniz.

A ação contra os dois se soma às investigações já abertas contra o ex-gerente da Petrobras Eduardo Musa e o lobista Julio Camargo –ambos mencionam o nome do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) em seus depoimentos. Segundo Camargo, Cunha teria recebido R$ 5 milhões de propina

O depoimento de Henriques já foi enviado pelo juiz Sergio Moro ao STF (Supremo Tribunal Federal), pois Cunha possui direito a foro privilegiado por ser deputado.

A Procuradoria-Geral da Suíça informou nesta segunda que está investigando criminalmente Henriques e também o lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano, outro nome vinculado ao PMDB na Lava Jato. Já há apurações abertas no país contra Musa e o lobista Julio Camargo, que citaram Cunha em seus depoimentos. Segundo Camargo, Cunha teria recebido US$ 5 milhões de propina.

A procuradoria da Suíça informou que não poderia comentar se Cunha já é alvo de investigação no país.

Questionado pela reportagem sobre a existência de investigação contra Cunha, a procuradoria da Suíça disse que não poderia comentar o assunto.

Outro lado

O deputado Eduardo Cunha recusou-se a comentar o depoimento do lobista ligado ao PMDB João Augusto Rezende Henriques, que o apontou como beneficiário de conta no exterior que recebeu valores depositados pelo lobista.

Ao ser indagado por jornalistas em evento na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro nesta segunda-feira (28), Cunha afirmou: "Lava Jato. também é com meu advogado. Não vou falar".

A Folha procurou o advogado de Cunha, Antonio Fernando de Souza, mas o defensor não retornou as ligações.

A reportagem ligou para o economista Felipe Diniz e encaminhou perguntas por e-mail, conforme solicitado por ele. Diniz, porém, não enviou sua manifestação até o fechamento desta edição.

O advogado do lobista João Augusto Henriques Júnior, José Cláudio Marques Barboza Júnior, afirmou que as remessas de dinheiro para o exterior feitas pelo cliente dele não envolveram o pagamento de propinas ou irregularidades ligadas a contratos da Petrobras.

Segundo Barboza Júnior, Henriques fazia transferências para contas fora do país para pagar comissões a pessoas que indicavam clientes ou colaboravam para o fechamento de negócios sob os cuidados dele.

No fAlha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.