20 de abr. de 2015

O escândalo de Tony Blair por assessorar o governo colombiano

Diario britânico revela como Tony Blair faz seus milhões
O contrato com base na consultoria de mineração, foi assinado em 2013 e estipula alta confidencialidade de documentos entre as partes, também foi solicitada uma investigação na Colômbia sobre o papel dos Emirados Árabes Unidos naquele país.

Um contrato obtido pelo The Daily Telegraph revela que a empresa de consultoria Tony Blair Associates, do ex-primeiro-ministro Tony Blair, assessora o governo colombiano sobre a forma de redistribuir os pagamentos de royalties de projetos de mineração no país, e que não é pago pela Colômbia, mas pelos Emirados Árabes Unidos.

O jornal informou que o governo da Colômbia contratou Blair para aconselhá-lo sobre a gestão de um lucro de € 2.770.000.000, quase três bilhões de dólares, obtidos por meio de contratos de mineração.

"Esta atividade questiona o papel de Blair como enviado de paz para o Oriente Médio, e lança dúvidas se ele se utilizou dessa posição para fazer amizade com os governantes ricos em Abu Dhabi, a capital dos Emirados Árabes Unidos (EAU), país que agora está financiando seu trabalho de consultoria privada para a Colômbia, entre outros países", diz o The Sunday Telegraph.

Vale ressaltar que, desde que deixou o cargo de primeiro-ministro, Blair ganhou entre 75 e 150 milhões dólares, principalmente por meio de consultoria empresarial. Entre elas está a de consultoria a Mubadala, um fundo de investimento soberano dos Emirados Árabes Unidos que comprou uma mina de ouro na Colômbia há dois meses.

Por sua parte, o ministro da Presidência da Colômbia, Nestor Humberto Martinez, explicou que foi um acordo assinado diretamente pela Agência de Cooperação com a Emirates para ajudar a fortalecer o sistema de royalties na Colômbia.

"A presidência não tem acordos com a empresa de Tony Blair, o que aconteceu foi que a Agência de Cooperação Interna estava buscando recursos para desenvolver projetos e, assim, conseguiu assinar um acordo de cooperação com os Emirados para ajudar a consolidar o sistema de royalties ", explicou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.