19 de jun de 2014

A Folha errou. Que novidade...

 
A tremenda "barriga" do jornalista Mario Sergio Conti, que entrevistou um sósia do técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, como se ele fosse o próprio, é apenas mais uma das milhares de bobagens publicadas pela Folha ao longo do tempo.

O "Erramos" da Folha transformou-se num dos mais saborosos espaços de toda a imprensa nativa.

O site Circulo Folha, mantido pelo jornal, traz uma seção, Antologia do Erramos, que é imprescindível para quem tem a pretensão de acompanhar a qualidade do jornalismo brasileiro.

O texto abaixo é uma íntegra do festival de besteiras publicado pela Folha ao longo do tempo, segundo ela mesma:

DIGITAÇÃO OBSCENA (1)
"O nome do maestro Eleazar de Carvalho saiu grafado errado na edição de ontem à pág. 1-9 do caderno Brasil."(5.jul.94) 
O nome do maestro Eleazar de Carvalho (1912-1996) saiu sem a letra "v". 

DIGITAÇÃO OBSCENA (2)
"Título publicado ontem na capa do caderno Dinheiro tinha erro de digitação. O correto é 'Contratações (e não Contrações) serão cautelosas'." (27.jan.95)

DIGITAÇÃO OBSCENA (3)
"No artigo 'A nova guerra civil', publicado à pág. 5-7 (Mais!) de 1°/10, onde se lê 'uma menina sexualmente retardada...', leia-se 'uma menina mentalmente retardada...';" (8.dez.95) 

POÇO DE DESCARTES
"Por erro de digitação, foi grafado poço cartesiano, em vez de artesiano, na página 3-1 de sábado último." (16.fev.94)

MENANDRO NÃO É MALANDRO
"Na edição do Agrofolha do último dia 15, a coluna 'A Arte de Amolar o Boi' (pág. 5-2) saiu com um erro: onde se lê 'o grego Malandro', leia-se 'o grego Menandro', em referência ao comediógrafo ateniense." (19/12/92) Menandro (342-292 a.C.) escreveu "O Misantropo". 

BANCO (1)
"Na nota 'Balão', da coluna Joyce Pascowitch, publicada à pág. 5-2 (Ilustrada) de 18/12, onde se lê 'bando Opportunity', leia-se 'banco Opportunity';" (21.dez.95)

BANCO (2)
" Na coluna 'Tempo de Decidir', de Antonio Kandir, publicada no último domingo em Finanças, foi trocada a palavra poucos por banco. A frase correta é a seguinte: 'Segundo, chamo a atenção para o fato de que, em regimes democráticos, a execução de reformas é bem mais complexa do que em regimes autoritários, já que não depende da vontade exclusiva de uns poucos'." (8.mar.94)

SR. FRACASSO
"O nome do chefe de governo em Portugal no período entre 1928 e 1951 é Antonio Oscar de Fragoso Carmona e não Atonio Oscar de Fracasso Carmona, como foi publicado na Ilustrada em 22/8". (30.set.95) 

OAB VIROU EMPREITEIRA
"O relatório da Subcomissão de Patrimônio da CPI do Orçamento, reproduzido anteontem na pág. 1-4, foi publicado com um erro de digitação. O texto inclui erroneamente a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) entre as empreiteiras envolvidas. A construtora citada no relatório é a OAS." (4.dez.93)

IDADE
"Está errada a idade do engenheiro mecânico Claudinei de Oliveira, publicada à pág. 3-11 (São Paulo) de 14/4. O texto dizia que Oliveira tem 54 anos e sua mãe, Edna Cecconello de Oliveira, 52. A idade correta do engenheiro é 34." (19.abr.97) 

MAIÔ USADO, VESTIDO SUADO
"Por um erro de digitação, na coluna 'Joyce Pascowitch', na pág. 5-2 (Mais!) de anteontem, onde se lê 'o mesmo vestido suado na praia sobre o maiô', o correto é 'o mesmo vestido usado na praia sobre o maiô'". (22.jan.98) 

CRISTO ENFORCADO
"Diferentemente do que foi publicado no texto 'Artistas 'periféricos' passam despercebidos', à pág. 5-3 da edição de ontem da Ilustrada, Jesus não foi enforcado, mas crucificado, e a frase 'No princípio era o Verbo' está no Novo, não no Velho Testamento." (7.dez.94) 


EMPATE DE ESPERMATOZÓIDES
"Houve um erro na reportagem 'Menstruação é enigma para meninos' do Folhateen da edição de ontem. Dois espermatozóides não 'empatam' fecundando um mesmo óvulo. Dois óvulos podem ser fecundados por dois espermatozóides, dando origem a gêmeos bivitelinos, ou um óvulo fecundado por um espermatozóide pode se dividir em dois ovos, gerando gêmeos univitelinos (idênticos)." (12.mai.92) 

TALIDOMIDA NÃO É ANALGÉSICO
"Diferentemente do que disse reportagem publicada à pág. Especial-1 no dia 31/08, a talidomida não tem função analgésica." (3/09/94) A talidomida é uma droga empregada como sedativo e contra enjôos. Ministrada a gestantes, causa deformidade nos fetos. 

REDUNDÂNCIA
"Texto à pág. 2-10 da edição da última quarta-feira noticiou a apreensão de urânio radiativo em Praga. Todo urânio é radiativo. O que foi constado é que o material apreendido pode ser usado em artefatos nucleares." (23.dez.94)

CAUSA E EFEITO
"Diferentemente do publicado à pág. 4-12 da edição de 25 de setembro, o gás hélio não é o propulsor dos dirigíveis. O gás, por ser mais leve do que o ar, faz esses aparelhos subirem." (10.out.94) 

PROTOZOÁRIO NÃO É MOSQUITO
"Nota publicada no caderno Cotidiano de 12/10, intitulada 'Para OMS, malária é um problema social', tinha uma informação incorreta. O Plasmodium falciparum, causador da malária, é um protozoário e não um mosquito." (28.out.92) 

VÍRUS POR BACTÉRIA (1)
"A edição de 10/03/93 do caderno Cotidiano, na seção Via Brasil, nota 'Minas Gerais 1', chamou erroneamente o vibrião do cólera de 'vírus do cólera'." (24.mar.93)

VÍRUS POR BACTÉRIA (2)
"A sífilis não é causada por um vírus, como está no texto 'Sífilis matou filósofo Nietzsche, afirma médica alemã em novo livro', publicado pela Ilustrada no dia 20 de dezembro do ano passado. O Treponema pallidum, que provoca a sífilis, é uma bactéria." (28.fev.91)

DIETA IMPRECISA
"Os óleos de canola e girassol não têm menos gordura, como publicado no texto 'Salame sai do cardápio', à pág. 3-16 (Esporte) da edição de ontem. Eles têm maior teor de ácidos graxos poliinsaturados." (5.jul.96) Ácidos graxos poliinsaturados são gorduras, mas, ao contrário dos saturados, não entopem artérias. 

DEPENDÊNCIA
"Está errada a afirmação de que a droga metadona - usada no tratamento de viciados em heroína - não causa dependência física, contida na reportagem 'Heroína mais pura é ameaça nos EUA', publicada no caderno Cotidiano de 27/04." (13.mai.94) 

TATU NÃO NASCE EM OVO
"Diferentemente do que foi publicado em 29/11, na pág. 5-7 (Folhinha), o tatu não nasce de um ovo. Ele é um mamífero placentário, que se desenvolve na barriga de sua mãe." (6.dez.97) 

MANDÍBULA
"O texto 'Chico Anysio deixa hospital no Rio', à pág. 4-2 (Ilustrada) de 20/2, informou que o humorista fraturou a "mandíbula direita". A mandíbula (maxilar inferior) é um osso único." (5.mar.97) 

CHATO
"Diferentemente do que foi publicado na coluna 'Sexo' da edição de 15/3 do Folhateen (página 7-6), o chato (Phthirius pubis) não é 'primo' dos carrapatos. O chato e o piolho são insetos; os carrapatos são ácaros (aracnídeos)." (5.abr.99) 

TORTA ANATOMIA
"O quadro da edição de 9/1 de 'Ciência', referente à reportagem 'Viagra para mulher', à pág. 25 do caderno Mais!, indica erroneamente a vagina no local do ânus. No mesmo quadro, o testículo está incorretamente indicado no local do escroto." (14.mar.00) 

GEORGE SAND É PSEUDÔNIMO
George Sand não é escritor, como consta no IndiFolha publicado na Ilustrada (24/04). Trata-se do pseudônimo da escritora francesa Amandine-Lucie-Aurore Dupin (1804-1876). (2.mai.91) "Diferentemente do publicado à capa da Ilustrada do dia 11 de maio, a escritora George Sand era francesa e não norte-americana." (17.mai.93) 

A CADELA BALEIA
"A cadela Baleia, criada por Graciliano Ramos no livro 'Vidas Secas', teve seu nome incorretamente associado a Guimarães Rosa na reportagem "Don Giovanni" provoca polêmica no Ceará' (Ilustrada de ontem, pág. 5-5)." (30.nov.92)

WILDE É IRLANDÊS
"A reportagem 'Wilde pode ganhar museu em Londres' (Multimídia, pág. 2, em 19/01/92) diz que o dramaturgo Oscar Wilde era inglês. Ele era irlandês." (23.jan.92) 

GRACILIANO RAMOS
"A reportagem 'Arquivos estão deteriorados', publicada ontem à pág. 1-8 (Brasil), traz dados incorretos sobre a vida do escritor Graciliano Ramos. Ele nasceu em Quebrângulo (AL) e foi prefeito em Palmeira do Índios (AL)." (10.out.95) 

MACONDO
"Há um erro de informação à pág. 4-1 do caderno Ilustrada da edição de hoje. A cidade de Macondo é criação literária do escritor colombiano Gabriel García Márques, e não do peruano Mario Vargas Llosa." (5.mai.93) 

ATOR POR AUTOR
"A biografia do ator Grande Otelo publicada na edição do dia 27 último, à pág. 3-5, informava erradamente que Rodolfo Maier foi o autor de 'As Mãos de Eurídice'. A peça foi escrita por Pedro Bloch." (30.nov.93)

JABORIANAS, RODRIGUIANAS, SUASSUNIANAS
"Diferentemente do publicado na pág. Especial 2 (Acontece) do último domingo (29/11), Arnaldo Jabor, e não Nelson Rodrigues, é o autor de 'Eu Sei Que Vou Te Amar'. Além disso, Rodrigues escreveu 'Vestido de Noiva' (e não 'Vestido de Noite'), e Ariano (e não Adriano) Suassuna escreveu 'A História do Amor de Romeu e Julieta'. " (1.dez.98) 

BALZAC VÍTIMA DE DIGITAÇÃO
"O escritor francês Honoré de Balzac morreu em 18 de agosto de 1850, não em 1950, como foi publicado em identificação de foto no Mais! de hoje (pág. 5-4)." (16.mai.99) 

BAUDELAIRE VÍTIMA DA DIGITAÇÃO
"O poeta francês Charles Baudelaire morreu em 1867, e não em 1967, como está escrito à pág. 5-5 (Mais!) de hoje." (11.mai.97) 

"MANÉ" CERVANTES?
"O autor de 'Dom Quixote de La Mancha' é Miguel de Cervantes, e não Manoel, como saiu publicado no texto 'Dom Quixote' vira 'nordestino na Globo', à página 5 do TV Folha da edição de anteontem." (19.out.99) 

DESCARTES
"O texto 'Pensador americano refuta erros filosóficos sobre a consciência' (pág. 4-12, Ilustrada, 18/7) situou erroneamente o filósofo francês René Descartes (1596-1650) no século 18. A principal obra de Descartes, o 'Discurso do Método', foi escrita em 1637." 

NÃO MATARÁS
"Era falsa a notícia da suposta morte do empresário Jacks Rabinovich, publicada no último sábado (1/06) na seção Mortes. A Folha errou ao não completar a checagem da informação antes de publicá-la." (4.jun.91) 

BRONCA EM CASA
"Diferentemente do publicado na reportagem 'Folha distribui 5.000 camisinhas no show de Madonna', na edição de 4 de novembro último, os estudantes Rodrigo Gelpi e Regina Dencker, namorados, não se referiram de modo especial ao uso de preservativos. Suas declarações foram de caráter genérico e não remetem à experiência do casal." (19.nov.93) 

GRANDES DETALHES
"Diferentemente do publicado à pág. 2-6 (Finanças) de 16/7, o presidente da CUT, Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho, não recebe seu salário de R$ 750 líquidos da Mercedes-Benz. Ele recebe o salário do sindicato. Seu terreno de 500 m² não é em Diadema, mas em Iguape, litoral sul de São Paulo." (18.jul.95)

ALGUM LUGAR NO PASSADO
"Os irmãos Naves, vítimas de erro judiciário, foram condenados a 25 anos e 6 meses de prisão na década de 30 (governo Getúlio Vargas) e postos em liberdade condicional oito anos depois por bom comportamento. Não foram condenados à morte na época do Império, nem escaparam da execução devido a favores imperiais, como afirmou reportagem publicada dia 26 de março, na pág. 2 do caderno São Paulo." (13.abr.95) 

ANTIAPURAÇÃO
"Diferentemente do que foi publicada à pág. 1-5 (Brasil) de 6/6, o nome do prefeito de Araxá não é Geová Pereira da Costa, mas Jeová Moreira da Costa. Seu partido não é o PFL, mas o PL. O nome da secretária municipal de Educação é Romalia Porfírio, não Porfíria. O instrutor-chefe do Tiro de Guerra na cidade é o primeiro-sargento José Roberto Montandon, não tenente Montanom. O nome correto da escola municipal de Araxá é Escola Municipal Dona Gabriela. Os cerca de cem atiradores que reforçaram a segurança do presidente Fernando Henrique Cardoso na cidade não são de elite." (16.jun.95) 

QUEM ORGANIZA
"Na edição de 3/3, ao noticiar ato contra a revisão constitucional ocorrido na véspera, em frente ao Congresso, a Folha errou ao atribuir a organização do evento apenas à Central Única dos Trabalhadores e à Central Geral dos Trabalhadores. Outras duas centrais (Força Sindical e Confederação Geral dos Trabalhadores) ajudaram a preparar a manifestação." (29.mai.94)

SECRETÁRIO VIRA MAESTRO
"A Folha errou ao informar no texto 'Araras ganha teatro estadual', publicado na pág. 1-9 da edição de ontem, que o secretário estadual da Cultura, Fernando Morais, iria conduzir a Orquestra Jazz Sinfônica durante a inauguração do teatro. O secretário Fernando Morais simplesmente participaria da inauguração." (8.mar.91)

NÃO DITO PELO DITO
"O secretário de Segurança do Estado de São Paulo, Odyr Porto, disse na segunda-feira que 'todas as hipóteses serão investigadas', referindo-se às mortes dos sindicalistas em São Carlos. E não que o crime poderia ter 'conotações políticas', como publicou o caderno Brasil na edição de 15/06." (17.jun.94)

RESIDÊNCIA
"Diferentemente do que informou o Contraponto de 7/12, publicado à pág. 1-4 (Brasil), o filósofo José Arthur Giannotti não mora em um apartamento, mas em uma casa." (9.dez.95) 

VAI BEM, OBRIGADO
"Diferentemente do publicado na coluna 'Brasília' de ontem, à pág. 1-2 (Opinião), o secretário da Segurança de São Paulo, José Afonso da Silva, não é safenado, não sofre de isquemia coronariana nem recebeu orientação médica para evitar problemas emocionais." (5.abr.97) 

NÃO MATARÁS (2)
"Diferentemente do que foi publicado na seção de necrologia, caderno São Paulo, nos dias 24/6 (pág. 3-6) e 25/6 (pág. 3-8), não houve missa de Ricardo Bacanhim Pereira. Ele está vivo." (27.jun.97) 

PORTADORES DE HIV
"A Primeira Página de ontem errou ao informar que o mundo tem 33,4 milhões de doentes em decorrência da Aids. O correto teria sido dizer que essas pessoas estão infectadas com o vírus portanto, podem estar doentes ou não." (26.nov.98) 

SGANZERLA
Em parte dos exemplares da Ilustrada da edição de 22/3, na pág. 6-1, sob o título 'Repercussão', o cineasta Rogério Sganzerla foi erroneamente identificado como sendo protagonista do filme 'Laranja Mecânica'". (27.mar.99) 

PERDIGOTOS
" A peste pneumônica é transmitida por gotículas de saliva, diferentemente do que informou o texto publicado na pág. 2-10, no dia 24/09." 
(28.set.94)

O texto afirmava que a doença era transmitida por filhotes de perdiz. Quem editou o texto procurou um sinônimo para perdigoto, que pode significar tanto salpico de saliva como filhote de perdiz. 

DESPENDER
"Na edição de ontem, a Primeira Página errou ao grafar o verbo despender (gastar) em texto sobre a ajuda do governo federal ao Banco Econômico. A redação correta deveria ter sido: 'R$ 2,2 bilhões já foram despendidos'. (13.mar.96) 

"X" POR "CH"
"A palavra ficha (saiu fixa) foi grafada incorretamente no início da reportagem 'Catastrofistas vêem riscos de um novo 29', publicada na pág. 1-15 do caderno Brasil de anteontem. (21.mar.95) 

ORTOGRAFIA, A DESCONHECIDA
"Texto de capa do caderno Ilustrada da edição de anteontem grafou incorretamente no primeiro parágrafo a palavra ortografia (saiu hortografia)." (25.fev.95)

"L" POR "U"
"A palavra autismo saiu grafada de forma errada em declaração do arquiteto Eduardo Rodrigues, publicada à pág. 10-3 da edição de 10/04." (17.mai.94)

XIPÓFAGO É QUEM COME XIPO
"Em parte dos exemplares da edição de hoje, a palavra xifópagos foi grafada incorretamente no texto 'Radialista do Peru nasce com dois perus', à pág. 4-12 (Ilustrada). (24.mai.96) 

Saiu xipófagos. Xifópagos são indivíduos unidos por parte do corpo.

XALE E JILÓ
"Diferentemente do que saiu na pág. 1-4 de ontem, xale se escreve com x e não com ch. Jiló foi grafado incorretamente com g na pág. 1-5 de ontem." (19.out.94)

ESPECTADOR
"A palavra espectador foi grafada incorretamente no texto 'Paulo César Farias e o sonho de se fazer jornal', publicado à pág. 4-9 (Ilustrada) de 8/7." (15.jul.96)

O erro no caso, foi grafar a palavra com x. 

RINITE
"A palavra rinite saiu grafada como renite na reportagem "Secretário recua e solta sindicalista da CUT', publicada ontem na pág. 1-12 de Brasil." (24.mar.95)

LEITE DE BOI
"Na reportagem 'Famílias vencem falta de água', publicada à pág. 1-18 da edição do último domingo, o lucro obtido pelas famílias de Recreio (CE) serviu para comprar 30 cabeças de gado bovino (vacas e bois), o que garante um litro de leite diariamente para cada família, e não 'um rebanho de 30 bois', como publicado incorretamente." (12.abr.94)

ASCENDÊNCIA, DESCENDÊNCIA
"A palavra 'descendência' foi publicada incorretamente no lugar de 'ascendência' no texto 'O Filho do Trovão', à pág. 5-4 (Mais!). O trecho correto é: 'Seus pais, de ascendência belga e alemã, eram donos de uma gráfica na capital francesa'." (24.mai.96) 

Ascendência refere-se a antepassados; descendência refere-se a prole.

A CISMA, O CISMA
"Em quadro publicado à pág. 6-3 (Folhateen) de 20/11, a palavra cisma foi grafada incorretamente como sendo feminina. No contexto religioso a palavra cisma é masculina, referindo-se a uma dissidência religiosa." (24.nov,95)

PIANO NÃO É DOCE
"Diferentemente do que foi publicado à pág. 9-2 (Imóveis) de 6/8, na reportagem 'Publicitário opta por sala 'limpa", o nome correto do instrumento é piano de cauda." (12.ago.95) Houve troca de cauda por calda. 

FULANO, SICRANO
"A palavra, 'sicrano' foi grafada incorretamente no editorial 'Preto no branco', publicado à pág. 1-2 (Opinião) de 17/6." (22.jun.96) Saiu "siclano". 

DICIONÁRIO, O INGNORADO
"No texto "Raul Julia acentua drama de Chico Mendes', à pág. 5-4 da Ilustrada de 11/01, Chico Mendes foi qualificado erroneamente de 'seringalista'. Ele era seringueiro (indivíduo que trabalha na extração da borracha). Seringalista é o dono do seringal." (19.jan.95)

PUDORES DE CONJUGAÇÃO
"O verbo intermediar foi grafado errado em título do caderno Empregos de 8/08. O correto é 'Pró-Labor intermedeia emprego no interior'." (10.set.93)

BANDEJÃO
"A palavra bandejão foi grafada incorretamente na página 1-5 do caderno Brasil da edição do dia 7 de setembro." (14.set.93) Saiu "bandeijão". 

HESITAÇÃO
"Em parte dos exemplares de 2/4, a palavra 'hesitações' foi grafada incorretamente no texto 'Programação da Globo adota crônica de domingo', de Esther Hamburger, publicado à pág. 4-4 (Ilustrada)." (4.abr.96) Saiu "exitações".

"C" POR "SS"
"A palavra cassetete foi grafada incorretamente em texto publicado ontem à pág. 2-11 (Mundo)." (18.mai.94) 

DORSO, TORSO
"A Revista da Folha publicou erroneamente a palavra dorso em vez de torso na pág. 74 de seu editorial de moda da edição de 9/6." (18.jun.96) Dorso significa costas; torso, tronco. 

RIXA, COM X
"A palavra rixa foi incorretamente grafada à pág. 6 da Revista da Folha da edição de 10/11." (10.nov.96) Saiu "richa". 

CHUCHU E BERINJELA
"No texto 'Tom Jobim estava entre nós e a natureza', na Ilustrada da edição de 13 de dezembro, as palavras chuchu e berinjela foram publicadas com a grafia incorreta." (5.jan.95)

DE DAR PENA
"O verbo penalizar foi incorretamente empregado como sinônimo de punir na nota 'Rali' (Esporte, edição de 19/02, pág. 4-6). Penalizar significa causar pena ou desgosto a alguém, afligir, desgostar." (21.jan.91) 

VEROSSIMILHANÇA
"A palavra inverossímil foi grafada incorretamente (inverossímel) no quadro 'Os personagens', publicado à pág. 1-8 da edição de 1/06." (3.jun.93)

SEM CONSERTO
"A palavra conserto foi grafada incorretamente na pág. 2 do caderno São Paulo da edição do dia 30 de setembro." (6.out.94)

A palavra conserto (de consertar) é recorrentemente grafada como concerto (de dar um concerto) e vice-versa. 

PLURAL
"Saiu grafado incorretamente na edição de ontem o plural de fuzil-metralhadora. O certo é fuzis-metralhadoras, e não fizíveis-metralhadoras, como foi publicado na pág. 1-14 de Brasil." (13.set.91)

BROXA, BROCHA
"A palavra broxa foi grafada incorretamente no quadrinho 'Dona Marta', à pág. 4-3 (Ilustrada) de 17/06." (19. jun.96)

Broxa, com x, significa pincel grande e indivíduo sem potência sexual. Brocha, com ch, significa, entre outras coisas, prego curto de cabeça chata. 

AURÉOLA E ARÉOLA
"Na seção Saúde à pág. 6-8 (Folhateen), de 10/11, foi grafado erroneamente o nome da pequena área pigmentada que circunda o mamilo. O correto é aréola mamária e não auréola, como saiu publicado." (18.nov.97) 

Aréola é o nome dado ao sulco mais ou menos escuro que circunda o mamilo. Auréola é o círculo dourado e brilhante que, nas imagens sacras, envolve a cabeça de Cristo e dos santos

DESCRIMINAR, DISCRIMINAR
"Na edição de ontem, as reportagens 'Prefeitos preparam campanha', à pág. 1-4 (Brasil), e 'Promessas e pressões viram casacas', à pág. 1-6 (Brasil), empregaram erroneamente o verbo descriminar (excluir a criminalidade, absolver de crime) em vez de discriminar (distinguir, estabelecer diferença)." (31.jan.97) 

EFÍNGE, ESFINGE
"A reportagem 'Presidente terá faixa nova na posse', publicada anteontem, na pág. 1-11 (Brasil), refere-se incorretamente à efígie da República como esfinge da República." (8.dez.98) 

GATOS NA TUBA
"Na reportagem 'Tem gato na tuba', afirma Weffort', publicada à pág. 4-3 (Ilustrada) da edição de 8/11, foi utilizada a grafia 'sangrar sin salud' para uma expressão espanhola citada pelo ministro Francisco Weffort (Cultura). O correto é 'sangrarse en salud', que significa prevenir-se, precaver-se." (21.dez.96) 

VALE DO SILICONE
"Diferentemente do que foi publicado à página 2-9 de 29 de maio, na reportagem 'Estrutura política do Brasil é um desastre', a região da Califórnia, nos Estados Unidos, onde se concentram as indústrias de computadores é conhecida como Vale do Silício." (18.jun.94)
Em inglês, Silicon Valley. Saiu publicado "Vale do Silicone".

DUPLA PIADA
Hagar Eu nunca vi alguém comer tão rápido quanto você! Por que a pressa?
Eu não confio em conservantes!
"Há um erro de tradução na tira Hagar publicada na Ilustrada no último dia 3. Hagar diz não confiar em conservantes, e não em preservativos, como saiu publicado. A tira com a tradução correta é a reproduzida ao lado." (22.mai.91) 

DERRAPAGEM
"O texto 'Rambotur', publicado à pág. 3-2 da edição de 3/10 (Mundo), tem um erro de tradução. Ao descrever uma charge do jornal norte-americano 'Florida Times-Union', traduz a expressão inglesa 'gas mileage' por 'quilometragem'. A tradução correta é 'consumo de combustível'." (7.out.93) 

NÃO É O QUE PARECE
"O artigo 'O declínio do império latino-americano' (pág. 2-2, 28/05), de Jorge Castañeda, foi publicado como dois erros de tradução. Onde está escrito 'taxa de interesse', deve-se ler 'taxa de juros'. A palavra espanhola 'ahorro', que significa poupança, foi traduzida erroneamente por arrocho. A tradução correta da frase é: "Trágica involução para uma região em desenvolvimento, que requereu desde o século passado uma forte dose de financiamento externo para suprir a poupança local raquítica'." (31.mai.94) 

NEM TODOS OS GATOS SÃO PARDOS
"Na edição do caderno Mais! do último domingo, à pág. 6-4, foi grafado incorretamente o título do romance 'II Gattopardo', de Tommaso di Lampedusa, traduzido em português por 'O Leopardo'." (1.dez.93)

A confusão, no caso, foi traduzir como "O Gato Pardo".

INGENUIDADE
"Na entrevista com Tom Hanks publicada na Ilustrada de 16/6, a palavra 'ingenuity' foi traduzida erroneamente por 'ingenuidade'. A tradução correta é 'engenhosidade'." (30.jun.95)

INGENUITY
"Diferentemente do que foi publicado na reportagem 'Exposição traz revolução do sportswear', na pág. 5-3 (Ilustrada) de 2/6, o significado em português da palavra 'ingenuity' não é 'ingenuidade'. A tradução correta é 'inventividade'." (13.jun.98) 

BIMBO
"O artigo de Arnaldo Jabor 'Bimbo americano pode mudar o destino nacional', publicado na pág. 4-7 (Ilustrada) de 3/2, erra ao traduzir a gíria norte-americana 'bimbo' como órgão sexual masculino. O termo, segundo o 'Oxford Dictionary of Modern Slang' (Dicionário Oxford de Gíria Moderna), serve para designar 'moça considerada bonita, mas pouco inteligente'." (6.fev.98) 

PISS AND VINEGAR
"A expressão em inglês 'piss and vinegar' foi traduzida incorretamente, de forma literal, por 'mijo e vinagre', na pág. 7 do suplemento 'Time' publicado ontem. A gíria é usada para dizer que uma pessoa tem pique, energia." (12.mar.99)

NOVECENTO
"'Novecento' quer dizer século 20 em italiano, e não século 19, como foi publicado no texto 'Modernista, fascista, louco, sentimental, intransigente...', no caderno Ilustrada Especial na edição de 2/10, sobre Pietro Maria Bardi (1900-1999)." (13.out.99) 

MARINES E MARINERS
"A reportagem 'Ação americana no Peru preocupa a PF' (Brasil, 9/1, pág. 1-12) usou erroneamente a palavra inglesa 'mariners' no sentido de fuzileiros navais. O correto é 'marines'. Mariners significa marinheiros." (26.jan.00) 

INJÚRIAS, DIFAMAÇÕES
"Diferentemente do que informou a reportagem 'Nova proposta extingue pena de prisão', publicada à pág. 1-14 de 24/6, a exceção da verdade é um mecanismo processual que permite ao réu por crime de calúnia e difamação provar que a acusação por ele desferida é verdadeira, circunstância esta que determina a absolvição. Quadro sobre Lei de Imprensa na mesma página trazia duas incorreções: difamar corresponde a imputar a alguém fato ofensivo à sua reputação. Injuriar é ofender a dignidade ou o decoro de alguém." (26.jun.96)

NÃO HÁ ESTUPRO MASCULINO
"O título da nota 'Preso é estuprado e espancado em presídio', publicado em alguns exemplares da edição de 8 de julho, está errado. O termo juridicamente correto para esse tipo de crime, quando a vítima é homem, é atentado violento ao pudor." (22.jul.93)

PREJULGAMENTO
"O título 'Nahas já deu golpe' e o início do respectivo texto, publicados ontem à pág. 2-3, estão incorretos. A Justiça ainda não decidiu se a responsabilidade pela falta de fundos do cheque emitido por Naji Nahas é ou não do investidor." (28.jan.94)

JUÍZES NÃO PEDEM
"O título 'Juíza pede prisão na Wells', publicado na pág. 1-8 da edição de 9/07 de Brasil, está errado. O verbo pedir não é apropriado neste caso. O juiz não pede, mas sim ordena, defere, determina, decreta." (13.jul.93) 

SUPREMO X SUPERIOR
"O significado da sigla STJ (Superior Tribunal de Justiça) foi publicado incorretamente na reportagem 'Juiz diz que caso é da esfera militar'." (7.ago.93) 

Saiu Supremo no lugar de Superior. Supremo, apenas o Supremo Tribunal Federal, o órgão máximo do Poder Judiciário no país. 

TRIBUNAIS TAMBÉM NÃO PEDEM
"O título 'STF pede a prisão de PC', publicado ontem na pág. 1-4 do caderno Brasil, está errado. Juízes e tribunais não pedem, mas ordenam, mandam, decretam." (7.ago.93) 

PRECATÓRIO, CARTA PRECATÓRIA
"O nome do instrumento a ser enviado às autoridades para que seja liberada indenização fixada em sentença judicial é precatório, e não carta precatória como foi publicado no último parágrafo da reportagem 'Estado deve indenizar vítima de sua omissão ou negligência', à página 2 dos cadernos Cotidiano e São Paulo do dia 19 de março." (10.abr.95) 

PROCURADORIA NÃO É JUDICIÁRIO
"O título 'Justiça apura caso da LBA', na Primeira Página de ontem, está errado. Como se diz na reportagem da pág. 1-6, quem apura o caso é a Procuradoria Geral da República." (22.fev.92) A Procuradoria Geral da República é órgão independente.

ROUBAR NÃO É FURTAR
"No título do alto da página 3-5 (São Paulo) de 7/7. 'Patroa é acusada de roubar empregada', a palavra 'roubar' (mediante violência) foi empregada incorretamente. O certo é 'furtar' (sem violência)." (11.jul.95) 

MANDATO X MANDADO
"A palavra 'mandato' foi usada incorretamente na reportagem 'Acusado de chefiar tráfico é preso no RJ', publicada à pág. 3-6 (São Paulo) de 27/4. O correto é 'Seu mandado de prisão temporária havia sido expedido'." (1/05/96)

CONTEXTO JURÍDICO
"Na declaração do advogado Henrique Ferreira da Silva, publicada na pág. 3-5 (São Paulo) de 1/10, o adjetivo 'inepta', no termo 'acusação inepta', deve ser entendido em seu significado jurídico (que omite requisitos legais, ou se mostra obscura ou contraditória demais, ou que está em patente conflito com a lei), e não como sinônimo de 'tola', como afirmava a reportagem." (15.out.98) 

COMINAR
" A palavra cominar _que significa prescrever_ foi trocada, por erro da Redação, por combinar no texto 'Empresa está perplexa, diz advogado' (Brasil, 29/2, pág. 1-10)." (1.mar.00)

QUEM VÊ NOME NÃO VÊ SEXO (1)
"Mircea Eliade (1907-1986) é um pesquisador romeno da história das religiões e não uma pesquisadora, como saiu em texto publicado na edição de ontem, à pág. 5-3 da Ilustrada." (26.jan.95) 

QUEM VÊ NOME NÃO VÊ SEXO (2)
"A estilista alemã Jil Sander foi incorretamente qualificada como 'o estilista alemão' na edição de 6/10 das Ilustrada, na coluna 'Mondo 94'." (9.out.94)

FOLHA POR FOLHA (1)
"O cargo do jornalista Caio Túlio Costa é diretor de Revistas da Folha, e não editor de Revistas, como saiu em texto publicado ontem na Ilustrada." (20 jun.95) 

FOLHA POR FOLHA (2)
"Diferentemente do que informou o texto 'Josias de Souza debate hoje no Universo Online' à pág. 4-4 (Ilustrada) da edição de ontem, jornalista Josias de Souza é secretário de Redação da Folha." (21.mai.96) 

INGLÊS? AMERICANO? ESCOCÊS? IRLANDÊS?
"O diretor Alan Parker é inglês e não norte-americano, como saiu à pág. 5-1 da Ilustrada da última quarta-feira." (13.mai.91) 

PICASSO, ANDALUZ
"Diferentemente do que foi publicado à pág. 5-3 do caderno Ilustrada da edição de ontem, o pintor Pablo Picasso era andaluz, não catalão." (23.nov.94) 

ONDE NASCEU ELVIS
"Elvis Presley (1935-1977) não nasceu em Memphis (Tennessee), como saiu entre o último sábado e ontem na Ilustrada, na nota sobre o filme 'Trem Mistério' do diretor Jim Jarmusch. O cantor e compositor norte-americano nasceu em Tupelo (Mississipi)." (11.abr.91) 

ROSSELLINI RESSUSCITADO
"Nota do caderno Mais! Publicada em 31/6 (sic) afirmou que o diretor de cinema Roberto Rossellini estava vivo, com 89 anos. Ressellini morreu em 3 de junho de 1977." (28.set.95)

MÉXICO, TACOS E CARLOS SANTANA
"O músico Carlos Santana é guatemalteco, e não mexicano, como informou reportagem à pág. 4-3 (Ilustrada) de ontem." (12.mar.96) "Diferentemente do que informou ontem esta seção, o músico Carlos Santana é mexicano." (13.mar.96)

ALEXANDRE, O GRANDE
"Nota publicada à pág. 6-14 da edição de domingo último do caderno Mais! qualificou erroneamente o conquistador macedônio Alexandre, o Grande, como sendo romano." (10.fev.95) Alexandre (356-323 a.C.), o mais notável líder militar da Antiguidade, foi rei da Macedônia. 

LENDAS DA REALEZA
"Diferentemente do que foi dito à pág. 2-9 (Mundo) em 15/7, a rainha Silvia Renata de Toledo Sommerlath, da Suécia, não é brasileira. Apesar de ser filha de mãe brasileira e de ter morado dos 3 aos 14 anos no Brasil, Silvia nasceu em Heidelberg, Alemanha, e se naturalizou sueca." (27.jul.95) 

QUEM VÊ NOME NÃO VÊ PARENTESCO
"A atriz Jennifer Jason Leigh não é filha da atriz Janet Leigh, diferentemente do que afirmou texto publicado à pág. 5-1 (Ilustrada) de 16/05." (19.mai.96)

DIEGO RIVERA, O MURALISTA
"O mexicano Diego Rivera foi muralista, e não escritor, como informou a reportagem 'Peça retrata sofrimento e arte de Frida', à pág. 4-3 (Ilustrada) da edição de ontem." (17.mai.96)

UM NOME NA HISTÓRIA
"Mundo errou ao afirmar que Julius Laber foi um general alemão, na edição de 4 de janeiro (pág. 2-11). O erro se repetiu na seção Erramos da edição de 5 de janeiro. Laber foi deputado social-democrata antes da ascensão do nazismo e, depois, foi um dois líderes da resistência civil a Adolf Hitler." (17.jan.95) 

CESARIA EVORA
"Diferentemente do que informa a reportagem 'Caetano concorre ao Grammy de melhor disco de world music' (Mundo, 5/1, pág. 1-10), a cantora Cesaria Evora é natural de Cabo Verde, e não de Portugal." (21.jan.00)

PRIVATIZAÇÃO MÍNIMA
"A nota 'Números finais', do Painel de ontem, informou errado os valores arrecadados com a privatização. Em lugar de US$ 5 milhões (governo Itamar) e US$ 3,5 milhões (governo Collor), os valores corretos são US$ 5 bilhões e US$ 3,5 bilhões, respectivamente." (22.dez.94) 

MIL VEZES FAZENDA
"Parte dos exemplares da Revista da Folha de hoje traz erro de informação à pág. 13 (reportagem de capa). A fazenda de José Oswaldo Junqueira tem 560 alqueires e não 560 mil alqueires." (14.nov.93)

SALVAÇÃO DA LAVOURA
"Diferentemente do que afirmava a coluna de Gilberto Dimenstein à pág. 1-2 (Opinião) de ontem, os agricultores tiraram R$ 900 milhões em subsídios do governo, e não R$ 900 bilhões." (30.mai.95) 

HAJA COMPUTADOR
"Diferentemente do que publicou o Painel S/A da edição de 12 de março, na nota 'Loja equipada', as Lojas Renner investirão este ano R$ 1,2 milhão em informática (e não R$ 1,2 bilhão como saiu)." (19.mar.95)

REUNIÃO INTERMINÁVEL
"A reunião do ministro Eliseu Resende com sua equipe durou quatro horas horas e não quatro anos, como foi publicado no caderno Brasil de 28/03." (30.mar.93) 

A DATA DA VIRADA
"A virada do milênio acontecerá em 31 de dezembro do ano 2000 e não em 31 de dezembro de 1999, como informou reportagem 'Cineastas planejam a virada do milênio' publicada em Ilustrada em 3/8." (12.ago.96) 

DIMENSÃO DA DÍVIDA
"A dívida do Estado de São Paulo com empreiteiras é de cerca de US$ 3 bilhões, e não de US$ 3 milhões, como afirmava reportagem publicada ontem à pág. 1-11 (Brasil)." (25.mai.95)

MEGAPROFUNDIDADE
"O 'lixão' de Mauá (Grande SP) que estaria sendo usado como cemitério clandestino por policiais tem cerca de mil metros de extensão, e não mil metros de profundidade, como dizia equivocadamente texto publicado à página 3-4 (São Paulo) do dia 11/4." (6.jul.95)

"VEZES MENOS" (1)
"O título 'Negra ganha três vezes menos que branco', publicado na pág. 3-5 (São Paulo) de 26/8, está errado. A formulação correta é 'Negra ganha 30% do salário de um homem branco'." (28.ago.98)

"VEZES MENOS" (2)
"É errado dizer que 'a Schincariol fatura quatro vezes menos do que a Antarctica ou oito vezes menos do que a Brahma', como saiu na reportagem 'Schincariol está bem e vai crescer', publicada na edição do dia 29 de novembro (Dinheiro). A forma correta de comparar os faturamentos das empresas é afirmar que o faturamento da Schincariol corresponde a um quarto do faturamento da Antarctica e a um oitavo do faturamento da Brahma."

IMPORTAÇÃO DE PETRÓLEO
"O Brasil importou em média 170 mil barris diários de petróleo em janeiro de 2000 e 370 mil barris por dia na média de 1999, diferentemente do publicado no texto 'Petróleo aumenta déficit na balança' (Dinheiro, 24/2, pág. 2-4), que mencionava 170 e 370 barris diários." (3.mar.00) 

LORCA RESSUSCITADO
"O escritor Mario Vargas Llosa é um dos latino-americanos que participarão no dia 17 do seminário 'Europa e América 1492-1992, o Confronto de Duas Civilizações', em Turim (Itália), e não Federico García Lorca, como foi citado na edição de ontem da Ilustrada, pág. 5-2. Lorca era espanhol e morreu em 1936." (9.mai.91)

NÃO JOGUE FORA O JOGO
"O resultado da quina foi publicado com erros na Primeira Página e na pág. 3-1 (São Paulo) na última quinta-feira. O número correto do concurso é 113, e as dezenas sorteadas foram 12, 14, 42, 61 e 69. concurso teve dois ganhadores. Cada um recebeu R$ 332.104,88." (5.jun.95) 

NÃO SIGA O MAPA
"O quadro 'Estradas', publicado à pág. 3-2 de 8 de março, trazia a informação de que a Anchieta estava com tráfego normal, mesmo após a queda de barreira. A rodovia tem um desvio do quilômetro 40 ao quilômetro 54." (17.mar.94)

CINZAS
"Por um erro de montagem, o quadro publicado à pág. 3-8 (Carnaval) da edição de ontem saiu com uma incorreção: os bancos abrem a partir das 12h de hoje, e não de ontem, como foi publicado." (21.fev.96) 

QUAL CASTELLO BRANCO?
"O primeiro nome de presidente Humberto (saiu 'Carlos') de Alencar Castello Branco foi publicado errado na capa da Ilustrada desta edição." (1°.dez.94) 

Foi publicado o nome do colunista político do "Jornal do Brasil" Carlos Castello Branco, morto em 1993, no lugar do nome do primeiro presidente do movimento militar de 64, Humberto de Alencar Castello Branco (1900-1967). 

OSCAR DO JORNALISMO
"A reportagem 'Informática auxilia a prática jornalística', publicada à pág. 1-9 de Brasil de 14/10, grafou erroneamente o nome do Prêmio Pulitzer." (26.out.95)

Saiu "Pullitzer", com I duplo. O Pulitzer é o principal prêmio jornalístico dos EUA.

CONSOANTES DUPLAS (1)
"O nome do filósofo Friedrich Nietzsche foi grafado incorretamente à pág. 3-2 (São Paulo) da edição de ontem." (16.dez.95) 

CONSOANTES DUPLAS (2)
"O nome do filósofo José Arthur Giannotti foi grafado incorretamente em nota do Painel publicada na edição de 30/8." (5.set.95) 

DANO À IMAGEM
"Está incorreta a informação fornecida pela (ABPD) Associação Brasileira dos Produtores de Disco e publicada em 28/9 na pág. 5-6 (Ilustrada) de que a empresa inadimplente com as gravadoras é a Lojas Colombo. Quem deve R$ 7 milhões à indústria fonográfica é a loja Colombo e Colombo Ltda. - que está concordatária desde julho deste ano." (3.ou.95) 

Checagem nunca é demais quando se trata de publicar informação que possa causar prejuízo ou dano à imagem de uma pessoa ou empresa. Note que a informação errada teve como origem uma fonte aparentemente insuspeita. 

EXEMPLO: DE SICA
"O nome e o diretor do filme 'O Jardim dos Finzi Contini', de Vittorio De Sica, foram publicados erroneamente na capa da Ilustrada de 10/5." (13.mai.95) 

A reportagem afirmava que o filme era de Luchino Visconti. 

NAPOLEÃO, O PEQUENO E O GRANDE
"O nome correto do livro de Karl Marx citado ontem na reportagem 'FHC convida Osiris para integrar seu eventual governo', à pág. Esp.3, é o "O 18 do Brumário de Luís Bonaparte', e não 'O 18 do Brumário de Napoleão Bonaparte'. (2.set.94)

CAMPOS DE OU DO?
"A Primeira Página da edição de 2/07 grafou incorretamente o nome da cidade de Campos do Jordão (saiu Campos de Jordão)". (8.jul.93) 

ONDE COLOCAR O H?
"O nome do artista plástico Andy Warhol foi grafado incorretamente em título à pág. 4-3 (Ilustrada) de 8/4." (10.abr.96)
"A Folha grafou errado o nome do maestro Zubin Mehta no título 'Para Zubin Metha, Israel não deve retaliar', publicado em Mundo de ontem." (19.fev.91) 
O "h" do nome de Andy Warhol (1928?-1987) saiu onde não devia. O mesmo aconteceu no nome de Zubin Mehta. O nome de chanceler alemão, Helmut Kohl, por exemplo, é forte candidato a erro.

UMA RIMA
"Diferentemente do que informou a coluna Joyce Pascowitch, à pág. 5-2 (Ilustrada) de 27/11, o investimento de Paulo Setúbal destina-se à nova unidade da Duratex, e não da Eucatex". (30.nov.95) 

OUTRA RIMA
"Reportagem sobre o disco 'Tropicália ou Panis et Circensis', à pág. 4-6 da Ilustrada de hoje, informa erroneamente que o disco 'Tripicália 2' possui uma música chamada 'Havaí'. O nome correto é 'Haiti". (2.nov.93)

ERRO RECORRENTE
"Diferentemente do publicado à página 4-4 (Esporte) do dia 20/6, é Montreux e não Montreaux o nome correto da cidade suíça onde a seleção brasileira feminina de vôlei disputou e conquistou o bicampeonato da BCV Cup." (30.jun.95) 

VICE E O NOTÓRIO
"O vice-governador de São Paulo é Geraldo Alckmin e não José Maria Alckmin, como foi publicado à pág. 3-8 do caderno São Paulo de 13/4." (16.abr.95) 

MASSACHUSETTS
"O nome do Estado de Massachusetts foi grafado errado na reportagem sobre igrejas evangélicas brasileiras no Estados Unidos, publicada na edição de segunda-feira última em Cotidiano." (28.out.93) 

SIGLAS
"A reportagem 'Escolas públicas vão ter aulas de religião', à pág. 3-6 da edição de ontem, explicou incorretamente o significado da sigla CNBB. O correto é Conferência (e não Confederação) Nacional dos Bispos de Brasil." (14.abr.94)

UNIVERSIDADE ERRADA
"O título 'Universidade de São Paulo é multada por contrato irregular', publicado na pág. 3-7 (São Paulo) da edição de 18 de junho, estava incorreto. Como informou corretamente a reportagem, a universidade multada é a Uniban (Universidade Bandeirantes), e não a USP (Universidade de São Paulo), como deu a entender o título." (14.set.97) 

VOU DE "TAQUES"
"Diferentemente do que foi publicado na edição de ontem (São Paulo), a rodovia que passa pela cidade de Praia Grande chama-se Pedro Taques, e não Pedro Táxi." (20.nov.99) 

CNBB
"A reportagem 'Fórum denuncia secretário da Segurança do AM por tortura', publicada na pág. 3-6 (São Paulo) da edição de ontem, identificou a sigla CNBB indevidamente como Confederação Nacional dos Bispos do Brasil. O correto é Conferência Nacional dos Bispos do Brasil." (14.out.99) 

OAB
"Por erro da Redação, a sigla OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) saiu como Organização dos Advogados do Brasil em texto publicado na pág. 4-6 (Ilustrada) de parte dos exemplares da edição de 25/6." (8.jul.99) 

A ARTE DE NÃO CHECAR
"Diferentemente do que foi publicado à pág. 1-14 (Brasil) da edição de 19/3, a Segunda Guerra Mundial começou em 1939, os EUA entraram na guerra em 1941, a Guerra dos Seis Dias foi em 1967, o presidente Richard Nixon (EUA) renunciou em 1974, Margaret Thatcher assumiu o poder no Reino Unido em 1979, o Muro de Berlim caiu em 1989, e o Iraque invadiu o Kuait em 1990." (27.set.95)

MAPA, O IGNORADO
"Macau não é uma ilha, diferentemente do que afirmam o texto da capa e a reportagem publicada na pág. 5-10 do caderno Turismo da edição de hoje. A colônia portuguesa, a ser devolvida à China em 1999, é formada por uma península e pelas ilhas de Taipa e Coloane." (4.fev.93) 

BÓSNIOS NÃO SÃO ÁRABES
"Diferentemente do que informou texto publicado à pág. 2-12 (Mundo) de 22/11, os bósnios não são árabes. No século 7° a região foi colonizada por eslavos e no século14, por turcos." (24.nov.95)

O GUARANI
"O guarani, falado no Paraguai, é uma língua e não um dialeto, como foi publicado ontem no texto 'Paraguaias" (Brasil, pág. 1-9)." (5.ago.95) 

O CATALÃO
"O catalão é uma língua e não um dialeto do espanhol, como dizia reportagem sobre o judoca Aurélio Miguel publicada em 5 de janeiro (Revista d', pág.9)." (24.jan.92)

CAPITAIS QUE NÃO SÃO (1)
"Está errada a informação de que Israel defende a transferência da capital de Tel Aviv para Jerusalém, como foi publicado à pág. 2/12 (Mundo) de 15/11. Israel sempre considerou Jerusalém a sua capital." (23.dez.95) 

CAPITAIS QUE NÃO SÃO (2)
"A capital da Bolívia é Sucre, e não La Paz, como foi publicado incorretamente na pág. 4-3 do caderno Esporte da edição de 18 de abril." (3.mai.95) Na realidade, La Paz é a capital administrativa e sede do governo. Sucre é a capital legal e sede do Judiciário.

CAPITAIS QUE NÃO SÃO (3)
"Diferentemente do que foi publicado à pág. 6-7 do caderno Turismo da edição de 27 de maio, a capital da Nova Zelândia é Wellington, e não Auckland." (3.jun.96) 

CAPITAIS QUE NÃO SÃO (4)
"Diferentemente do que informou quadro publicado na pág. 1-12 do caderno Brasil da edição de segunda-feira, o conflito racial nos Estados Unidos matou 58 pessoas em Los Angeles no último dia 30 de abril, e não 'na capital da Califórnia', que é a cidade de Sacramento." (7.out.92) 

CAPITAIS QUE NÃO SÃO (5)
"A capital da Hungria é Budapeste, e não Bucareste (capital da Romênia), como informou texto publicado à pág. 1-12 (Mundo) de ontem." (2.abr.96) 

CAPITAIS QUE NÃO SÃO (6)
"A capital da Austrália è Canberra, e não Sydney, como informou incorretamente a nota 'Rainha do deserto', publicada na coluna 'Joyce Pascowitch', à pág. 4-2 (Ilustrada) da edição de 20/9." (24.set.96)

CALIFÓRNIA NÃO É FLÓRIDA
"A Califórnia fica na costa oeste dos Estados Unidos e não da leste, conforme publicado à página 5-1 de Turismo na edição de ontem." (22.jan.93)

HONG KONG NÃO É PAÍS
"Diferentemente do que afirmam os textos sobre cinema asiático do caderno Ilustrada da edição de ontem, publicados nas págs. 5-1, 5-6 e 5-7, Hong Kong não é uma país, mas sim uma colônia britânica." (10.mar.95) 

ONDE FICA O MÉXICO?
"Diferentemente do que foi publicado no quadro 'Quem vai dirigir os jogos da Copa 94', à pág. 4-6 de 7/04, o México fica na América do Norte e não na América Central." (11.abr.94)

LA PAZ NOVAMENTE
"Diferentemente do publicado na reportagem 'Tempero da culinária boliviana pode levar o viajante às lágrimas', à pág. 6-8 (Turismo) de 17/6, La Paz não é a cidade mais alta do mundo." (27.jun.96) 

AINDA MONTREUX
"Diferentemente do que saiu em reportagem publicada no caderno Brasil da edição de 4 de julho, Montreux fica na Suíça e não na França." (28.jul.93) 

HAVAÍ NÃO É PAÍS
"Reportagem publicada à pág. 5-3 (Agrofolha) de 5/3 refere-se incorretamente ao Havaí, Estado norte-americano, como sendo um país." (18.mar.96)

PRA LÁ DE MARRAKECH
"A Abissínia é a atual Etiópia e não Argélia, como afirma texto publicado na página Especial-2 (Acontece) no último dia 15." (27.dez.95) 

WASHINGTON E WASHINGTON DC
"A cidade de George foi erroneamente localizada no mapa dos Estados Unidos publicados à pág. 5-8 (Ilustrada de 31/7). Ela fica no Estado de Washington e não em Washington DC." (11.ago.95) 

MASSACHUSETTS TAMBÉM NÃO É CIDADE
"A Revista da Folha de 2/6 grafou incorretamente o nome da cidade de Massachusetts, à pág. 10." (6.jun.96) 

LITORAL BOLIVIANO?
"Texto à pág. 4-4 (Esporte) de ontem informou incorretamente que a cidade de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, fica no litoral." (7.abr.00) 

A Bolívia não tem litoral. 

CAPITAIS QUE NÃO SÃO (7)
"A capital da Flórida, Estado norte-americano, não é Miami, como informou o texto 'Miami assiste a inflação de brasileiros', publicado à pág. 5-9 (Ilustrada) de 2/6. O correto é Tallahassee." (9.jun.97)

CAPITAIS QUE NÃO SÃO (8)
"Diferentemente do que diz a nota 'Longe do fogo', publicada na coluna 'Painel' de 28/3 (pág. 1-4), a capital da Suíça não é Zurique, mas Berna." (1.abr.00) 

IRÃ NÃO É PAÍS ÁRABE
"Diferentemente do que foi publicado à pág. 1-21 (Mundo) de 1/11, o Irã não é um país árabe. Tem população de origem persa." (24/11/98) 

CAPITAL DA GUATEMALA
"Tegucigalpa é capital de Honduras e não da Guatemala, como foi publicado na pág. 1-10 (Mundo) de ontem. A capital da Guatemala é a Cidade da Guatemala." (3.nov.98) 

ROMENOS SÃO LATINOS
"A população da Romênia não é eslava, diferentemente do que foi publicado em quadro na pág. 1-22 (Mundo) de 28/3. Os romenos são considerados latinos." (29.mai.99) 

ARISTARCO E COPÉRNICO
"O texto 'FMI compara linha de ajuda a Copérnico' (Dinheiro, 2-4), publicado em 20 de maio, informou incorretamente que Nicolau Copérnico foi o primeiro a propor que o Sol está no centro do Universo. Aristarco, astrônomo grego que viveu entre 310 a.C. e 250 a.C., foi quem primeiro cogitou tal hipótese."(1.ago.99)"

No Crônicas do Motta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.