15 de dez de 2013

Charge online - Bessinha - # 2011

Leia Mais ►

Estão infectando os blogs progressistas com trojan


Atenção blogueiros progressistas, estão infectando nossos blogs via sistema de comentários, semana passada dei o alerta. Moderem os comentários de seus blogs e deletem tudo que estiver com links, isso destrói o blog sendo impossível a recuperação.

Foram criados dois perfís, um para a plataforma Blogger e o outro para o Wordpress.

Perfís que estão distribuimdo Trojans em nossos blogs:

Para Worldpress

http://brunaabora.wordpress.com/

Para o Blogger

http://www.blogger.com/profile/07361730159063068397

Vejam o endereço do arquivo


Escrevem como se tivessem um arquivo, não deixem passar.

A campanha começou, querem nos calar, atenção máxima!!!! Atenção ao que postam..

No Rede Liberdade
Leia Mais ►

O que aconteceu com o blog ContextoLivre.blogspot.com

O blog foi atacado por hackers, (presumivelmente de longos bicos), que instalaram programas maliciosos (malware), sem consentimento.

O Google detectou e bloqueou o blog:


O mesmo ocorreu com o Chrome:

Através de diagnóstico do Google, foram detectadas as invasões através de links inseridos em comentários:


Repare que foram encontrados 3 domínios "clones" do cotextolivre nos seguintes endereços: contextolivre.blogspot.jp / contextolivre.blogspot.ca / contextolivre.blogspot.co.uk

Os programas maliciosos foram alojados em 4 domínios diferentes, sendo um dos principais o seguinte:


Com "muita boa vontade" o Google informava páginas que poderiam estar infectadas e, a cada dia fazia novas exigências:


Os programas maliciosos foram instalados através dos comentários com links:


O que motivou o seguinte post em 06.12.2013:

Atenção Máxima aos Blogueiros Progressistas


Em seguida, o blog foi removido.


O ContextoLivre continua em atividade, agora através de domínio próprio: www.contextolivre.com.br Atualizem seus marcadores. E também da página ContextoLivre, no facebook.

Agradeço a Elke di Barros, do blog Templates e Acessórios pela imensa ajuda.

Obrigado também aos amigos e leitores que se manifestaram em solidariedade e apoio. Agradeço a todos na pessoa do Luiz Skora, do blog Polaco Doido.
Leia Mais ►

O que está por trás da denúncia da Globo contra o STF?

Ninguém acredita nos bons propósitos da Globo

É tanta a má fama da Globo que mesmo quando ela dá uma informação de alto interesse público muita gente desconfia de má fé.

Aconteceu hoje, quando o jornal deu a notícia de que o STF vem recebendo mais recursos públicos do Estado do que deveria por conta de números inflados em seu plano médico.

A União subsidia parte do plano. O STF passou ao governo uma quantidade errada – para cima, naturalmente – de beneficiários. Isso vem significando milhões de reais em dinheiro público canalizado equivocadamente para o STF.

Segundo o Globo, o problema ocorreu na gestão nos dois últimos presidentes, ambos seus queridos amigos, Ayres Britto e Joaquim Barbosa.

O que o Globo poderia estar querendo ao veicular ao publicar uma coisa tão ruim ao Supremo?

Uma versão que corre é que a real intenção é pressionar a ministra Rosa Weber. A tese foi primeiro levantada por uma das figuras mais intrigantes da internet brasileira, Stanley Burburinho.

Ao fuçar no site do STF, Burburinho viu que Rosa será a relatora do processo que envolve a corrupção tucana no metrô de São Paulo.

Ele associou isto à informação que o Globo trouxe segundo a qual Rosa fora avisada dos números inflados. (Joaquim Barbosa também foi comunicado, mas isso não deteve as especulações.)

Na blogosfera, a tese de Burburinho foi intensamente abraçada, depois de publicada no site Conversa Afiada, de Paulo Henrique Amorim.

Quanto a mim.

Pessoalmente, não acredito.

A Globo é demasiadamente concentrada em si mesma para pressionar alguém em nome de quem seja fora da família Marinho.

Verdade que a mídia corporativa faz coisas inacreditáveis. No âmbito mesmo do STF, a Folha deu uma chacoalhada em Ayres Britto depois que ele revogou a Lei de Imprensa da era militar e rascunhava algumas coisas em troca.

Ayres Britto acusou o golpe, e o resultado é que a sociedade simplesmente perdeu o direito de resposta. Devemos essa aberração ao jornal a serviço do Brasil, aspas e pausa para rir.

Posso aceitar até que o Globo tenha mandado um recado ao STF ao publicar a apropriação indevida de dinheiro do contribuinte.

Mas o beneficiário teria que ser ela mesma.

Esta é a cultura, esta é a alma da Globo – servir a si própria.

Não rejeito a tese do recado. Mas duvido que a Globo estique os braços para ajudar um partido que está morrendo à míngua de causa e de votos.

A Globo quer expulsar, por exemplo, o El País, que colocou no ar um site em português para atuar no mercado brasileiro.

Vigora no Brasil uma ridícula, obsoleta, anticapitalista reserva de mercado para a mídia.

Faz mais nexo a Globo estar avisando o STF de que, caso a questão do El País vá dar lá, é bom que os juízes se comportem direitinho.

Paulo Nogueira
No DCM
Leia Mais ►

Propinoduto tucano: Contratos com o governo chegam a R$ 40 bilhões



O site da bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) disponibilizou nessa semana uma apresentação sobre o propinoduto tucano, que vale a pena ser vista para se entender melhor as teias de relações envolvidas.

Em formato power point, ela é bastante didática. Sistematiza todas as informações disponíveis sobre o esquema de corrupção que fraudou licitações para aquisição e reformas de trens, construção e extensão de linhas metroferroviárias no Estado de São Paulo: cartel de empresas, entre as quais as multinacionais  Alstom e Siemens, altos funcionários do governo paulista, lobistas, “consultores”.

A estratégia da grande mídia tem sido a de apresentar os fatos de forma fragmentada, dificultando uma visão geral da denúncia.

Daí a elaboração desse material. O objetivo é organizar as informações para que os militantes entendam o que está acontecendo, e coloquem o tema no debate do dia a dia.

As investigações sobre o caso Alstom/Siemens, vale lembrar, tiveram início em 2004 na Suiça.

Em 2008, a bancada do PT na Assembleia Legislativa paulista começou a apurá-lo.

De lá para cá, entrou com mais de 15 representações nos ministérios públicos Estadual e Federal, denunciando direcionamento nas licitações do Metrô e da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), prática de corrupção, formação de cartel, lavagem de dinheiro, pagamento de propinas a autoridades públicas e prorrogações ilegais de contratos.

A apresentação (na íntegra, abaixo) exibe, primeiro, um quadro geral do caso Alstom/Siemens:

* Diversas empresas privadas (algumas multinacionais) fornecedoras de material e serviços para o sistema de transporte metro-ferroviário de São Paulo são acusadas de formação de cartel (acordo prévio), reduzindo a concorrência e provocando a cobrança de preços mais altos nos contratos com o governo paulista.

* Para conquistar esses contratos, as empresas do cartel pagariam propinas a altos funcionários do governo. Foram criados, então, vários canais (propinodutos), conectando empresas e autoridades do governo paulista.

*Nesta intermediação, surgem “lobistas”, “consultores fictícios” e suas respectivas empresas privadas, muitos deles com passagens no governo.

* Há indicações de que o cartel teria atuado no Estado de São Paulo nas administrações de Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin (PSDB), portanto nos últimos 20 anos.

Durante esse período, diversas autoridades do governo paulista assinaram inúmeros contratos com as empresas do cartel. Inclusive prorrogaram indevidamente vários contratos questionados.

Um levantamento feito pela assessoria técnica da bancada do PT na Alesp mostra que, desde 1990, os contratos das empresas do cartel com o governo paulista somam 618. Em volume financeiro, eles chegam a R$ 40 bilhões, em valores atualizados.


Nos cálculos, foi incluído o governo Fleury (1990-1994), pois o seu vice era o hoje senador Aloysio Nunes (PSDB), que acumulava o cargo de secretário dos Transportes Metropolitanos. Ambos na época eram PMDB. Aloysio fez a transição entre os governos Fleury e Covas, daí vem a sua atual força política.  O nome  do senador tucano aparece nas denúncias feitas recentemente  ao  Ministério Público do Estado de São Paulo.

Os prejuízos do propinoduto tucano ao erário público são muito altos. Saíram de R$ 425 milhões denunciados pela revista IstoÉ e já ultrapassam R$ 2 bilhões. Só a reformas dos trens sucateados custaram R$ 1 bilhão. Somam-se aí R$ 300 milhões das compras de trens em 2013, e os R$ 400 milhões do superfaturamento do consórcio Cofesbra, denunciado pelo Viomundo.

Essas perdas, tudo indica, são apenas a ponta do iceberg do rombo tucano, uma vez que, de 1990 para cá, só os contratos do cartel com o Metrô e a CPTM atingem R$ 33 bilhões.

QUEM É QUEM NO PROPINODUTO TUCANO PAULISTA

Muito elucidativo na apresentação são os gráficos que mostram os principais personagens do propinoduto. É um quem é quem do esquema, incluindo figuras do governo paulista, cartel, “consultores” e lobistas. Para visualizar melhor os dois quadros abaixo, vá ao documento no final desta matéria. É a apresentação completa.



Alstom e Siemens – para subornar as autoridades paulistas e, assim, manter o cartel, a “compra” de licitações e prorrogar licitações de forma irregular — repassaram a agentes públicos porcentagem dos contratos assinados, via offshores e empresas fictícias de consultoria. Elas adotaram três esquemas de pagamento de propinas:


Interessante notar que há grupos. Cada cacique tucano teria os seus operadores no esquema.





CPI DO PROPINODUTO E AFASTAMENTO DOS ENVOLVIDOS

No momento, a bancada do PT coleta assinaturas para apresentar pedido de CPI na Assembleia Legislativa para investigar o esquema do propinoduto.

Já pediu ao Ministério Público o afastamento dos agentes públicos envolvidos e a suspensão dos contratos.

Pediu também o afastamento de dirigentes da CPTM e do Metrô responsáveis por contratos denunciados pela Siemens e dos secretários apontados em denúncias: Edson Aparecido ( Casa Civil), José Aníbal (Energia), Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos) e Rodrigo Garcia (desenvolvimento Econômico).

Fez ainda ao MP uma representação por ato de improbidade por omissão contra Geraldo Alckmin e o ex-governador José Serra.

A apresentação contém muito mais dados. Recomendo a leitura  da apresentação na íntegra.


Conceição Lemes
No Viomundo
Leia Mais ►

O medo dos ricos

O ódio conservador da elite brasileira diante de tudo que possui viés popular é histórico. Não são poucos os fatos ao longo do tempo que comprovam essa afirmação. Nos últimos anos – a partir de 2003, para ser mais exato – esse sentimento voltou a aflorar, como na década de 1960 que acabou culminando no golpe de 1964.

Em resumo dizem que as políticas sociais são eleitoreiras e servem para gerar “preguiçosos e vagabundos”. O que defende nossa torpe elite é que o Estado se volte apenas para ela. Como se em uma sociedade capitalista a “benevolência” do Estado por natureza com a burguesia já não fosse suficiente.

Abaixo reproduzo o relato de Maria Luiza Quaresma Tonelli publicado em 10 de dezembro em seu perfil no Facebook. Ela é de São Paulo. Em seu texto conta uma conversa que teve com um motorista de táxi.

Dá para perceber bem por que a direita odeia tanto a esquerda no Brasil, especialmente Lula e Dilma.

Abaixo o relato (publicado em 10 de dezembro de 2013).

Ontem, a caminho da PUC para assistir ao prêmio CUT 2013 no TUCA, conversei com o motorista do taxi durante todo o trajeto. Quanto perguntei se ele sabia onde era, respondeu todo orgulhoso que sim, que sua filha vai colar grau em Psicologia na PUC no dia 22 de dezembro. Um homem bem simples, um nordestino do interior do Ceará, que mora há décadas em São Paulo.

Ele perguntou o que haveria na PUC, se era alguma festividade. Então contei que era um evento da CUT.

Ao parabeniza-lo pela filha, ele falou que ela nunca faltava às aulas e que era muito esforçada, estudiosa demais.

Passou no ENEM com excelentes notas e cursou os 5 anos pelo PROUNI, sem pagar nada, fez Psicologia "numa faculdade de bacana, graças aos governos Lula e Dilma". Falou que a filha toma três conduções por dia para chegar na PUC e três para voltar para casa.

Disse que fez das tripas coração para que a filha pudesse pagar o transporte, que não precisar trabalhar enquanto estudava, que pudesse comer um lanche nos intervalos das aulas, que pudesse comprar os livros necessários para o curso e umas roupas arrumadinhas, para "não passar vergonha perante as colegas".

Além disso, falou que pagava a análise (terapia) que a menina precisou fazer, como estudante de Psicologia, pois ela quer clinicar. Disse que a filha quer fazer mestrado e Doutorado.

Na sequência da conversa, falou que o namorado da filha está se formando em engenharia pelo Prouni e que estava muito orgulhoso, pois seus netos terão uma vida muito diferente da vida que ele e que seus filhos tiveram.

Orgulhoso, contou que filho mais novo está cursando Direito, também pelo Prouni.

Enfim, quando falei para ele que o Brasil realmente mudou muito depois do Lula, com a abertura de oportunidades para os filhos das classes mais pobres ele disparou: "não é por acaso que inventaram esse tal de mensalão para tirar o PT do poder".

Mas o bom mesmo foi quando ele disse: "os ricos têm medo que os filhos dos pobres amanhã sejam os patrões ou chefes dos filhos dos ricos e a senhora tenha certeza de que isso vai acontecer, porque esses meninos das classes ricas não querem nada com nada, encontram tudo de bandeja, mas isso está acabando. O Brasil mudou e só os que tiveram tudo na vida ainda não perceberam".

E o melhor de tudo foi quando falou que num país onde a maioria esmagadora é pobre, então a maioria dos votos é dos pobres, que decidem quem vai ser eleito. Quando falei para ele que muita gente egoísta diz que os pobres votam no Lula por causa do Bolsa-Família ele disse "Oxi, e pobre por acaso não pode ter interesse"?

Gostei.

No Blog do Cadu
Leia Mais ►

Para Mujica, diretor da ONU que criticou liberação da maconha é 'velho careta'


O presidente do Uruguai, José Mujica, criticou novamente neste sábado o presidente da Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (Jife) da ONU, Raymond Yans, que classificou a decisão do governo uruguaio de legalizar a maconha como uma atitude de “piratas”. Segundo Mujica, Yans é “um velho careta”. As informações são do jornal El País.

“(Yans) é um velho careta e não vou falar com ele em linguagem diplomática. (Não vou considerar sua posição) porque, intelectualmente, uma afirmação desse tipo não merece”, disse o presidente uruguaio.

Mujica disse não estar surpreso com a reação da ONU e questionou possíveis contribuições do órgão. “O que vão ensinar ao Uruguai quando há sociedades, como a norte-americana, em que você vai a uma loja e tem uma lista estabelecida de diversos médicos, onde você vai e diz que precisa de tantos gramas de maconha para a dor que tenho na cervical e isso serve como uma receita médica”, questionou. “Que venham falar de legalidade agora”, criticou.

No Terra
Leia Mais ►

STF inflou número de beneficiários de plano de saúde para receber mais recursos da União

Nos últimos três anos, tribunal informou que tem cerca de 6,3 mil usuários, enquanto, na verdade, plano não conta com mais de 4,2 mil

Inflado. Discrepância entre o real número funcionários do STF
e o informado pela Corte para previsão de repasses para seu
plano de saúde gerou questionamento da União

BRASÍLIA - O Supremo Tribunal Federal (STF) inflou a quantidade de beneficiários do plano de saúde do órgão para receber um repasse maior de recursos da União usados na assistência médica e odontológica dos servidores. Pelo menos nos últimos três anos, a instância máxima do Judiciário informou à Secretaria de Orçamento Federal (SOF) que o STF-Med um plano de autogestão tem entre 6,1 mil e 6,7 mil titulares, dependentes e agregados, enquanto, na verdade, o plano não conta com mais de 4,2 mil usuários. A informação sobre o número de beneficiários é determinante para a previsão de recursos no Orçamento da União. O número real foi informado para o Orçamento de 2014, mas um acordo entre o STF e a SOF garantiu a mesma previsão de recursos de 2013: R$ 14,5 milhões.

O STF-Med é um plano mantido tanto com contribuições dos beneficiários quanto com dinheiro público. A dependência aos recursos da União é expressiva, superando 50% das receitas anuais. A cada elaboração do Orçamento, o tribunal precisa informar à SOF o número efetivo de beneficiários nas respectivas metas, como prevê a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Esse número, somado ao histórico de despesas com assistência médica, define o tamanho dos repasses a cada órgão. O STF não precisa enviar uma lista com nomes de beneficiários. Apenas informava o número total.

O Supremo vinha informando uma quantidade maior de pessoas vinculadas ao plano de saúde do que a real existência. Nos últimos três anos, o STF-Med recebeu R$ 15 milhões por ano da União, em média. Se fossem excluídos os dados inflados os 2,5 mil beneficiários a mais, os repasses ficariam proporcionalmente em R$ 9,4 milhões.

A SOF, vinculada ao Ministério do Planejamento, precisou emitir três alertas ao STF, por meio de ofícios encaminhados ao tribunal. O Supremo, por sua vez, sustenta que a SOF fez um único contato sobre o assunto, em dezembro de 2012. O ofício da SOF questionava a grande discrepância entre o número real de beneficiários do plano de saúde informado pelo próprio Supremo em outubro daquele ano 4.227 pessoas e o valor repassado para inclusão na Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2013 6.720 beneficiários. Foi este o valor mantido no Orçamento deste ano.

A SOF explica que a LDO para 2013 passou a prever uma nova obrigação a todos os poderes: a publicação da quantidade de beneficiários em tabelas específicas. Em setembro de 2012, o STF publicou uma portaria com a quantidade de beneficiários do plano de saúde: 4.227. Mas o número não foi levado em conta para o Orçamento de 2013.

O último alerta da SOF chegou ao STF pouco depois de o ministro Joaquim Barbosa assumir a presidência da Corte, mas, segundo a assessoria do STF, a proposta orçamentária para 2013 já havia sido encaminhada. Tanto o presidente do Supremo quanto a presidente do Conselho Deliberativo do STF-Med, ministra Rosa Weber, foram alertados sobre os dados inflados para o recebimento de recursos da União.

A nova proposta de previsão orçamentária para 2014 corrigiu o que a SOF havia apontado, mas o número de servidores informados permanece inflado. Isso porque na conta dos 4,2 mil beneficiários estão incluídos 1,6 mil titulares, pouco mais de 2 mil dependentes e quase 600 agregados pais, mães, padrastos e madrastas com renda própria; filhos e enteados com mais de 24 anos e sem renda própria; e filhos e enteados, entre 21 e 24 anos, que não sejam estudantes. Os agregados não podem ter as despesas com saúde custeadas com dinheiro público, como informou o próprio STF. Mas o tribunal confirmou ao Globo que inclui esse grupo no cálculo que eleva o número de beneficiários a 4,2 mil, número utilizado para pedir dinheiro da União. O Supremo garante, no entanto, que apesar de ter usado os agregados na conta enviada à SOF, eles não são beneficiados por recursos públicos, como determina o regimento interno do plano de saúde da Corte.

São beneficiários do STF-Med os ministros em atividade e aposentados; servidores ativos e aposentados; comissionados; servidores cedidos ao STF; cônjuges, filhos, pais e mães; entre outros. As contribuições variam de R$ 43 a R$ 661 este último valor é pago por agregados com mais de 59 anos. Os recursos públicos custeiam despesas médicas e odontológicas realizadas por titulares e dependentes, com pagamentos diretos aos prestadores. Em algumas situações, é feito o ressarcimento das despesas aos servidores.

A discrepância entre a quantidade real de beneficiários e o número informado para a previsão de recursos da União chegou a contar com uma justificativa errada na própria prestação de contas do STF referente ao ano de 2012. O relatório de auditoria de gestão daquele ano, disponível no site do tribunal, registra que a meta física associada é referente aos atendimentos médios mensais. Em 2012, (a média mensal) atingiu o número de 4.226 atendimentos, com capacidade instalada para 6.720, portanto, dentro da possibilidade de cobertura, cita o relatório. Na verdade, o número da meta não é de atendimentos médios mensais, mas de beneficiários do plano. Ao Globo, O STF reconheceu o erro.

Em 2009, reportagem do Globo mostrou a mesma maquiagem no Senado. O número de beneficiários informado era quase o dobro do real, ampliando os repasses da União. Depois da reportagem, o Senado interrompeu a prática.

Vinicius Sassine
No O Globo
Leia Mais ►

Embrutecimento

Sabe qual foi a primeira coisa que eu pensei vendo aqueles animais trocando socos e pontapés no estádio, chutando a cabeça de “inimigos” caídos e só não se matando por falta de armas, salvo pedaços de pau? As lutas de “ultimate fighting” na TV. Nada a ver, eu sei.

Uma coisa é um espasmo coletivo de irracionalidade, a outra o enfrentamento de dois lutadores preparados, com força equivalente e regras estabelecidas. O que aproxima as duas coisas é a estupidez.

A mesma estupidez que parece dominar essa assustadora arena de insultos e ameaças que é a internet e que, cada vez mais, no Brasil, também domina o debate político e jornalístico, em que termos como “idiota” são muitas vezes os mais suaves que se ouve ou que se lê. O clima é de embrutecimento generalizado. Chutes na cabeça, reais ou figurados, são legitimados pelo clima.

Falemos, pois, das amenidades restantes. Da Fernanda Lima no sorteio das chaves para a Copa, por exemplo. Da sua simpatia, da sua competência, do seu inglês perfeito, do seu decote.

Não sei se já nasceu o movimento “Fernanda Lima 2014”, com vistas à próxima eleição presidencial, mas me parece uma iniciativa natural. Já elegemos uma mulher para a Presidência da Republica, o próximo passo lógico seria eleger um mulherão. Onde é que eu assino?

Formidável, também, foi o cara que se apresentou para interpretar para surdos os discursos em homenagem ao Mandela e, literalmente, não sabia o que estava dizendo. Inventou uma linguagem de sinais própria, uma espécie de paródia da linguagem verdadeira, e teve seus minutos de glória internacional ao lado dos oradores.

Dizem que ele só foi descoberto porque alguns surdos protestaram, não tinham entendido nada dos discursos. Um chegou a dizer que não podia afirmar com certeza, mas achava que o falso intérprete tinha, sem querer, insultado a sua mãe.

Luis Fernando Veríssimo
Leia Mais ►

Charge online - Bessinha - # 2010

Leia Mais ►