4 de fev de 2013

Lula em Washington

Leia Mais ►

De Ressaca e Aparentando Confusão Mental

AÉCIO: APARELHAMENTO PARTIDÁRIO PODE ACABAR COM O BRASIL
Senador cita dificuldades na gestão da Petrobras para criticar a ocupação das estatais pelo governo, "como se fossem patrimônio do PT"
247 – O senador Aécio Neves, que deve ser o candidato do PSDB para concorrer à eleição à presidência de 2014, criticou a gestão das estatais pelo governo. Citando o caso da Petrobras, ele diz que o PT ocupa as empresas como se fossem parte de seu patrimônio. Leia:
Ladeira abaixo, leia, se conseguir encontrar essa palhaçada!
No Amoral Nato
Leia Mais ►

10 maravilhas da geologia que muita gente desconhece

Deserto de sal, curiosas formações rochosas, uma nascente termal que expele água periodicamente. Confira aqui 10 maravilhas geológicas nos mais diversos lugares do mundo.
1- PAMUKALLE
Na língua turca, Pamukkale significa Terra de Algodão. As rochas têm uma aparência concêntrica e são quase puro branco, dando à paisagem um aspecto etéreo. As águas termais provocam o derrame de carbonato de cálcio, que se solidifica e forma uma estranha e quase orgânica estrutura. Essa maravilha geológica é um dos grandes destaques da Turquia, e também o local da antiga cidade de Hierápolis.
2-TORRES DE GELO DO MONTE EREBUS
Erebus é um dos maiores vulcões ativos na Terra. Ele atinge cerca de quatro quilômetros acima do nível do mar, e é conhecido pelo seu lago de lava persistentemente ativo. Gases quentes viajam através das fissuras do vulcão, transformando-se em gelo ao entrar em contato com as baixas temperaturas da atmosfera. O resultado é um complexo sistema de cavernas de gelo por toda a montanha.
3-FLY GEIZER
Para quem não sabe, um géiser é uma nascente termal que entra em erupção de tempos em tempos. Parece coisa de outro planeta ou de algum filme de ficção científica, mas não é preciso ir tão longe: essa maravilha geológica está em uma propriedade particular em Nevada, nos Estados Unidos, e por isso não é tão conhecida. O local foi criado em 1916, quando os proprietários perfuravam um poço e acidentalmente atingiram uma bolsa geotérmica, resultando em um géiser.
4-FORMAÇÃO ROCHOSA DE KATA KATUWE
As imponentes rochas têm formato de cone e são resultado de erupções vulcânicas, entre seis e sete milhões de anos atrás. Embora sejam uniformes em seu formato, as rochas variam em altura de alguns metros a 90 metros.
5-VALE DA LUA
Ischigualasto, que significa “o lugar onde você coloca a Lua”, é um vale remoto, na Argentina. Ele está repleto de formações geológicas e incríveis pedras e pedregulhos, tão arredondados que parecem enormes bolas de gude. A terra já foi fértil, mas agora é árida e rica em fósseis, que atraem paleontólogos de todo mundo.
6-ACIDENTE GEOGRÁFICO DE DANXIA
https://fbcdn-sphotos-f-a.akamaihd.net/hphotos-ak-snc7/482058_255121214604930_1483249833_n.jpg
Danxia significa nuvem rósea, e consiste em um relevo formado por arenitos avermelhados, que sofreram erosão ao longo do tempo. O resultado é uma paisagem constituída por montanhas e falésias curvilíneas, além de muitas formações rochosas incomuns. Este fenômeno geológico singular pode ser visto em vários lugares da China.
7-POÇO ENCANTADO
Localizado na Bahia, o Poço Encantado faz parte do Parque Nacional da Chapada da Diamantina. Esta gigantesca piscina está submersa a 120 metros de profundidade, e a água é tão transparente que as rochas e antigos troncos de árvore são visíveis no fundo.
8-FLORESTA DE PEDRA
A Floresta de Pedra é um exemplo impressionante de topografia cárstica, um tipo de relevo caracterizado pela corrosão das rochas. Suas pedras são feitas de pedra calcária e parecem brotar da terra. A Floresta de Pedra é conhecida desde a dinastia Ming como a Primeira Maravilha do Mundo.
9-WULYNGYAN , HUNAM
A região de Hunan é repleta de paisagens dramáticas, e Wulingyan é uma de suas maiores atrações. Esta maravilha geológica é composta de mais de 3 mil pedras de calcário, com belas cachoeiras e algumas das maiores grutas de calcário da Ásia.
10-SALAR DE UYUNI
O Salar de Uyuni é um dos ícones da Bolívia, um enorme deserto de sal no meio do altiplano andino. É um deserto praticamente plano, que reflete a luz do sol de forma a criar um espelho do céu. Estima-se que o local contenha aproximadamente 10 bilhões de toneladas de sal, das quais cerca de 25 mil toneladas sejam extraídas anualmente.
No Geologia não é só calhaus
Leia Mais ►

Privataria elétrica: Patrimônio dilapidado não pagou dívida

Foto Guilherme Lara Campos/A2 Fotografia
Sete anos depois, Alckmin aceita unir CESP e Emae
Ironia do destino. Governo Alckmin anuncia proposta de unir CESP e EMAE uma semana após ter se recusado a renovar a concessão da Cesp e sete anos depois de ter recusado proposta semelhante apresentada pelo Sinergia CUT e a Bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo, que teria dado outro destino para a política energética do Estado de São Paulo.
A proposta, rechaçada pelos tucanos em 2005, era fruto de uma construção conjunta de parlamentares, sindicalistas, acadêmicos e analistas, que se contrapunha ao Projeto de Lei nº 02/2005, de iniciativa do governo tucano, que permitiu a privatização da CTEEP – Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista e era uma alternativa para enfrentar a escandalosa dívida da Cesp de R$11 bilhões na época.
A ideia era a constituição de uma holding, a Companhia Paulista de Serviços Públicos de Energia e Infra Estrutura, com o capital equivalente ao valor das ações pertencentes ao Estado de São Paulo, emitidas pelas empresas estatais de energia elétrica da época: Cesp, CTEEP e Emae e pela CPP – Companhia Paulista de Parcerias (criada através da Lei 11.688/2004).
A holding não se apropriaria dos ativos das empresas, apenas seria a detentora da maioria das ações e o Estado teria o controle acionário. A holding atenderia, ainda, às exigências de garantia para o aporte de recursos do BNDES visando equacionar a dívida da CESP de curto prazo.
Porém, o governo paulista sequer discutiu a proposta e preferiu dar prosseguimento ao rolo compressor da privatização aprovando o PL 02/2005 em 18 de maio de 2005, apesar da forte pressão exercida pelo movimento sindical e partidos de oposição. Não houve audiências públicas, debates ou negociações. Sequer emendas foram consideradas.
O PL se converteu na Lei 11.930/2005 que estendeu para a CTEEP as disposições da Lei n.º 9.361, de 5 de julho de 1996, que criou o Programa Estadual de Desestatização (presidido por Geraldo Alckmin) e permitiu a Reestruturação Societária e Patrimonial do Setor Energético paulista.
Mesmo assim, o governador Alckmin afirmava na época que não iria vender a CTEEP. Um ano depois a CTEEP foi privatizada em 28 de junho de 2006, pela bagatela de R$1,193 bilhão para a estatal colombiana Interconexión Eléctrica S/A., que além de levar um rico e estratégico patrimônio público localizado no maior Estado do país, se apropriou de um caixa de R$ 591 milhões. A CTEEP dispunha na época um ativo de cerca de R$ 5 bilhões.
Inúmeras foram as irregularidades e ilegalidades que permearam este processo de privatização, como a total falta de transparência e os fortes indícios de vícios, improbidades que levaram parlamentares, entidades de classe, Ministério Público Federal e até mesmo investidores, a solicitarem o cancelamento e adiamento do leilão.
Durante todos os anos que duraram as privatizações no Estado de São Paulo, os tucanos alegaram que o dinheiro arrecadado com as privatizações era para sanear as dívidas do Estado.
O valor arrecadado com o Programa Estadual de Desestatização, corrigido pelo IGP-DI em 31/12/2011, foi de R$ 90,9 bilhões. A dívida do Estado que em 1994 era de R$ 149 bilhões passou para R$ 193,5 bilhões, em 2011, representando um aumento de 30%. Os valores reais dos recursos arrecadados pelo PED correspondem a 47% do total da dívida. Ainda cabe salientar que R$ 42,8 bilhões foram resultantes da venda do setor energético paulista, ou seja, 47% do patrimônio privatizado.
Sete anos depois, o governador Alckmin propõe a junção da Cesp com a Emae sem detalhar como isso será feito. Ocorre que as “jóias da coroa” já se foram com a venda da CTEEP em 2006 e, recentemente, pela não renovação de 77% do parque gerador da Cesp que envolvem as usinas de Jupiá, Ilha Solteira e Três Irmãos. A Emae tem sua particularidade decorrente de restrições por conta de questões ambientais. Centenas de postos de trabalho de uma mão de obra altamente qualificada foram eliminados. A dívida do Estado não foi paga. As empresas estatais estão abandonadas e sucateadas e a dívida da Cesp é de R$ 4 bilhões.
Declarações recentes do secretário de energia de São Paulo, José Aníbal, deixam clara a total falta de uma política energética para o Estado. “Nós não vamos fazer qualquer novo investimento. O Estado de São Paulo não vai botar recursos na Cesp. Não há espaço para investimentos em São Paulo”, disse Aníbal.
Assim São Paulo foi dilapidado e perdeu sua capacidade de gestão de um modelo de desenvolvimento que já foi referência para o Brasil.
Alencar Santana Braga, líder da bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo;  Gentil Teixeira de Freitas, presidente do Sindicato dos Eletricitários de Campinas/CUT;  Maristela Braga, assessora parlamentar da Assembleia Legislativa de São Paulo – 2002/2006
No Viomundo
Leia Mais ►

O retorno do pedágio

http://guiametal.com.br/uploads/images/trainee-ccr.jpg
Companhia de Concessões Rodoviárias
Passou desapercebido pela maioria dos blogs uma fantástica notícia que nos veio da revista Harvard Business Review, frenético sonho de consumo da patuléia neoliberal.
No volume de Janeiro-Fevereiro de 2013, HBR publicou a lista “The Top 100 Best-Performing CEO in the World”.
O critério adotado, as usual no mundo neoliberal, foi “retorno ao acionista”.
O método empregado é a bestialidade de sempre; Montou-se uma cesta de desempenho de ações em algumas bolsas (as que melhor lhes atendia, é claro) e calculou-se o resultado, por ação, que o CEO devolveu ao acionista durante seu “reinado”. Em outras palavras, mediu-se o quanto uma ação valorizou e o quanto ela distribuiu como lucro, pro bolso dos acionistas.
Nesse cenário, graças ao tenaz e continuado esforço de 31 anos de demotucanato à frente do estado de São Paulo, enfim, algo realmente importante foi atingido por obra dos amados emplumados. Nessa lista, na honrosa 29a. posição, aparece o sr. Renato Alves Vale (um ilustre desconhecido), ou seja, pelo indice da HBR, no mundo inteiro, a empresa administrada pelo sr. Renato é a 29a. que mais “coloca grana” no bolso dos “seus donos”.
Maravilhoso não?
BRASIL, SIL, SIL, SIL….
Parabéns ao sr. Renato pela incrível capacidade de gerar caixa, de “fazer aparecer dinheiro”, de enriquecer seus patrões.
Seria maravilhoso não fosse “a vaca leiteira e parideira” da grana.
O sr. Renato é presidente da CCR.
O que faz a CCR?
A CCR pedagia as estradas tucanas.
Não se assuste, é isso mesmo. A CCR é especialista num único produto. PEDÁGIO.
Seu maior e quase exclusivo cliente é a “Pedagiolândia, o mundo encantado do Geraldo” que os livros de história teimam em chamar de estado de São Paulo.
Prá que doa um pouquinho mais nosso estômago eu repito, a CCR não faz outra coisa não. Ela só faz pedagiar as estradas tucanas. Nada mais. Só isso. É sua única ocupação, seu único produto.
O guru da administração, o sr. Renato, só tinha um único produto no seu portfólio prá conquistar a 29ª. posição no ranking da HBR. Coisa de craque.
Sem nenhum demérito ao sr. Renato mas qualquer que fosse o presidente da CCR ele estaria na lista da Harvard; fosse o Arrelia, a Sabrina Sato, o MC Jotinha, o FHC, a Luciana Gimenez, os dançarinos do É o Tchan, qualquer BBB, …., na verdade, até mesmo o Geraldo Alckmin, isso mesmo, até o inacreditável performático Geraldo estaria lá.
Taí, a grande contribuição tucana prá gestão mundial.
31 anos de demotucanato dá nisso.
Entregaram as estradas arrumadíssimas e a CCR foi lá e construiu as praças de pedágio e o sr. Renato teve que se esforçar muito prá gerar caixa pros seus patrões. Simples assim.
Isso é a privataria tucana no seu modelo mais bem acabado e que agride à bofetadas nossa cara.
Prá quem quiser saber mais
Wagner Martos
Leia Mais ►

Lincoln era gay?

É uma pena que o filme de Spielberg não aborde esta questão.
Lincoln te despreza!
Lincoln te despreza!
O texto abaixo foi publicado originalmente na London Review of Books, e republicado no Diário a pedido.
Lincoln de Spilberg é deliberadamente restritivo, concentrando-se na maneira como a votação contra a escravatura foi manipulada e a famosa 13º emenda aprovada, mas a senhora Lincoln não está exatamente ausente do filme. Por que o roteirista Tony Kuschner, um entusiasmado ativista gay que ‘pessoalmente acredita que há razões para crer que Lincoln pode ter sido bissexual ou gay’, não incluiu nada desse tema em seu filme? Um grande número de evidências circunstanciais sugere que Lincoln dormiu com muitos homens. Numa entrevista Kuschner disse:
Eu queria me concentrar num momento muito específico da vida de Lincoln, e acho que naquele exato momento nada indica que ele estava tendo um caso sexual com alguém. Ele parecia não dormir e nem tirar folga naquele período, por causa da guerra e das pressões de seu cargo. Acho difícil acreditar que ele estivesse naquele momento comendo alguém.
Isso não é muito convincente. Especialmente quando você considera que um dos homens que compartilharam a cama de Lincoln foi seu assessor militar e guardacostas, o capitão David Derrickson (1862/3, antes do começo do filme). Kuschner parece não achar possível o presidente “comer” alguém no auge de uma crise política. Mas a história desmente este ponto de vista tão estreito.
O jovem Abe era muito mais relaxado do que seus atuais bajuladores. Na juventude, ele escreveu um tributo ao casamento gay nesses termos:
Vou te contar uma piada sobre Joel and Mary,
Não é nem uma piada nem uma história.
Porque Reuben e Charles se casaram com duas garotas,
Mas Billy casou com um garoto.
Poucos anos atrás, depois de ler o livro “O mundo intimo de Abraham Lincoln”, de CA Tripp, almocei com Gore Vidal em Los Angeles, e gravei nossa conversa para uso posterior. A seguinte passagem é reveladora:
Eu: Dado o recente material sobre a homossexualidade de Lincoln como você se sente por tê-lo descrito como um heterossexual convicto em seu romance sobre ele?
GV: Você é um canalha. Que pergunta filha da puta. Dói. Dói. Como eu pude ter perdido uma oportunidade daquelas?
Eu: O que aconteceu?
GV: Eu não tinha ideia, mas desde o livro do Tripp sobre Lincoln comecei a devorar todo material que encontrei a respeito. Não tenho hoje a menor dúvida. Uma vez ele estava na cama com o capitão Derrickson, e o filho do capitão apareceu no quarto. Numa outra ocasião, eles foram perturbados e Lincoln abriu a porta usando a camisola de seu amante. Oh como fui tolo…
Kuschner perdeu uma oportunidade de trazer o assunto para um público considerado homofóbico pelas pessoas de marketing dos estúdios de cinema. Daniel Day-Lewis certamente estava preparado para este papel, mas a chance ficou para outra hora.
Leia Mais ►

FIFA descobre que Brasil não tem alvará para sediar a Copa

FIFA descobre que Brasil não tem alvará para sediar a Copa
"A FIFA fez questão de desenhar um cartaz em que os atletas batem bola sem estádio", denunciou Jérome Valcke
QUISSAMÃ - Impaciente com o andamento das obras, com a última lista de convocados de Felipão, com o aumento da gasolina e com o cabelo de Neymar, o secretário-geral da FIFA, Jerome Valcke, resolveu passar um pente fino na CBF. "Descobri que o Brasil não tem alvará para sediar a Copa, que o José Maria Marin usa Grecin 5 Castanho Claro e que o Fluminense pulou da série C para a série A. Parece que o pesadelo é maior do que eu imaginava", desabafou.
Minutos depois, Valcke anunciou uma pesada punição: "Já demonstramos nossa insatisfação inicial batizando o mascote de Fuleco. Agora, subimos o tom e esculhambamos a arte gráfica do pôster oficial da competição", declarou, admitindo que o departamento de marketing da entidade é argentino.
No final da tarde, o secretário-geral da FIFA foi procurado por parlamentares do PMDB. "Solícitos, eles se ofereceram para batalhar por um pedido de urgência na tramitação do alvará. Em troca, sugeriram o nome de Renan Calheiros para a presidência da FIFA", explicou Valcke, estupefato. "Vou consultar os patrocinadores", concluiu.
No The i-Piauí Herald
Leia Mais ►

Imagina na Copa

APAGÃO DO SUPERBOWL: O PIG NÃO FICOU SABENDO

Foi bem difícil para este blogueiro sem sal, encontrar notícias locais ou internacionais sobre o apagão que ocorreu ontem, no SuperBowl americano, o evento mais popular e mais assistido da tv daquele país.
Para meu espanto, conversando com gente daquele lugar, fui informado que sim, foi uma chateação, mas que ninguém acusou Barack Obama de ser o responsável, nem o partido republicano ameaçou pedir seu impeachment. Também não colocaram em questão os eventos esportivos que ainda ocorrerão na América, dizendo que se não sabem fazer isso, imagine uma copa ou uma olimpíada.
A mídia noticiou o caso de forma moderada, sem pretender passar a impressão que o mundo estava acabando e todos os cidadãos, com a exceção daqueles que vivem em instituições psiquiátricas, trataram o infortúnio exatamente como isso, um infortúnio.
Assim, eis que este ingênuo escriba foi correndo acessar os sites de notícias da terrinha brasilis, para ver se Veja e Folha, ao menos eles (paladinos da decência e da honestidade jornalística), metiam o pau em Obama. Afinal, é de se imaginar que se um apagão ocorre num estádio no Brasil e a culpa é atribuída à Presidência da República, eu só poderia supor que o mesmo ocorreria em relação à grandiosa e perfeita América.
Mas não! Nem uma linha acerca do fato. A Veja inclusive noticiou o show de Beyoncé, disse que ela foi perfeita, mas não se lembrou de mencionar, ainda que en passant, a escuridão de 40 minutos. Pensava eu que isso teria alguma relevância na ordem do dia. Ao menos para alertar o sempre incompetente governo do Brasil (desde que seja Lula, Dilma ou qualquer outro idiota da esquerda), para, se acontece lá, pode acontecer aqui também. Estejamos preparados.
Viva o imprensalão brasileiro!
No Anais Políticos
Leia Mais ►

Beto Richa passa trote nos paranaenses

Beto Richa (PSDB). 
Leitores deste blog reclamam que estão sendo vítimas de trote passado pelo governador Beto Richa (PSDB).
Em campanha pela reeleição, o tucano está ligando para as casas dos paranaenses dizendo que baixou a conta de luz em 18%.
“O governo do Paraná tem uma boa noticia para você: a sua conta de luz vai ficar 18% mais barata.”
O diabo é que até a famosa calçada de granito do luxuoso bairro do Batel sabe que Richa e os governadores tucanos de São Paulo e Minas Gerais foram contra a redução da tarifa de energia.
Dona Dilma Rousseff fez a conta de luz baratear, mas é Beto Richa quem leva a boa notícia…
O mesmo expediente o tucano usa na inauguração de unidades habitacionais do programa “Minha Casa, Minha Vida”, que no estado se chama “Morar Bem Paraná”. Ou seja, Dilma paga a conta mas é Richa quem fatura politicamente.
É mole ou quer mais?
Leia Mais ►

JN: a pauta sectária da realidade é o precipício do descrédito [?]

Nos últimos treze anos o mês de janeiro passado foi o que apresentou a maior queda na audiência do maior jornalístico da maior emissora de TV do país na comparação com o mesmo mês no anterior[arte R7]
A audiência do Jornal Nacional em janeiro de 2013 foi a menor dos últimos treze anos, mas o que torna o número expressivo é o fato de que tal queda foi a maior registrada neste período: recuo superior a 20% em relação a janeiro de 2012!
Ou seja, um entre cinco telespectadores fiéis do jornalístico da Globo abandonou os âncoras do JN para assistir outra atração televisiva ou mesmo desligá-la.
Será que a recente ofensiva global contra o Brasil e suas análises pouco isentas acerca de "riscos de racionamento", "posicionamentos contrários a redução dos preços da energia elétrica", "risco inflacionário" e "calamidade econômica provocada pela redução das taxas de juros" podem ter contribuído para uma queda tão expressiva?
Coincidência apenas?
A verdade é que a imprensa insiste em fabricar crises e tentar amedrontar a sociedade com estas farsas, a Globo tem-se firmado na ponta de lança deste movimento.  Não parece estar colando esta estratégia e já faz tempo.
Tão aí os baixos índices do JN para provar que ninguém está imune a perder credibilidade, nem o mais antigo e poderoso programa jornalístico diário da televisão brasileira, que já gabou-se[?] de influenciar a opinião pública para eleger ou derrubar presidentes da república ou perseguir e evitar a vitória de adversários políticos, como na emblemática edição do debate entre Collor e Lula nas eleições de 1989 que definiu a eleição do ex-governador alagoano, pupilo global naquela ápoca.
Pautar-se pelo enfrentamento sectário da realidade parecem resultar no precipício do descrédito.
Em dezembro de 2012 o Datafolha apresentou uma pesquisa que afirmava que a confiança na imprensa havia recuado fortemente de 31% para 22%!
Coincidentemente[?] a queda desses dois indicadores ocorreu de maneira similar e dentro de uma "margem de erro" aceitável.
No Palavras Diversas
Leia Mais ►