20 de jan de 2012

A Verdade e a Mentira em Recife

Verdade
Mentira
Leia Mais ►

Jornal de Murdoch fecha 37 acordos por grampos telefônicos

O News International, braço britânico da News Corporation, controlada por Rupert Murdoch, chegou a 37 acordos extrajudiciais para indenização a vítimas dos grampos do "News of the World". O tabloide foi extinto no ano passado após a revelação de sua conduta ilegal, causando danos à reputação do grupo.
O jornal britânico "Guardian" estima que os valores dos acordos ultrapassam a casa de 1 milhão de libras (R$ 2,74 milhões). O montante fica ainda maior quando são considerados os custos legais dessa operação, pagos pela News International.
O ex-vice-premiê John Prescott e o ex-secretário de Estado para Europa e América Latina Chis Bryant - ambos do Partido Trabalhista - estão na lista dos que chegaram a acordos, que inclui o ator britânico Jude Law.
Desse grupo, a maior indenização ficou com Jude Law: 130 mil libras (R$ 356 mil).
O ator também gera preocupação para a empresa por ter divulgado, em um comunicado lido por seu advogado, que foi perseguido fora do país - o que gera a possibilidade de novos processos nos EUA contra a própria matriz, a News Corporation.
Dos 37 indenizados, 19 preferiram não divulgar os valores recebidos - algo garantido pelo plano que a News International ofereceu no ano passado, após admitir que o escândalo não era restrito a um "repórter insubordinado". Entre eles está o jogador de futebol Ashley Cole.
Para obter maior número de acordos extrajudiciais, a companhia também oferecia compensação 10% maior do que a indenização esperada para casos judiciais.
SINCERAS DESCULPAS
Além do dinheiro, a News International também teve que se desculpar pelos grampos.
De acordo com o "Evening Standard", ao fim de cada uma das 18 declarações lidas perante a Alta Corte de Londres, um advogado da empresa se levantava para pedir "sinceras desculpas" e garantir que não haverá novos grampos.
Nem todos os casos, contudo, conseguiram ser resolvidos dessa forma. Está marcada para fevereiro uma audiência que discutirá os valores de indenização para as vítimas dos grampos ilegais.
Além disso, ainda está em curso a investigação do juiz Brian Leveson sobre ética jornalística, estabelecida por conta do escândalo do "News of the World".
Rodrigo Russo
No Falha
Leia Mais ►

Bicheiros, negociatas, documentos falsos: como V(W)anderlei(y) Luxemburgo está pegando dinheiro do Flamengo

Não é de hoje que este espaço publica as peripécias de V(W)anderlei(y) Luxemburgo no mundo do futebol.
Recentemente apontamos seu envolvimento indireto, através de um sócio (que será citado na sequência), num processo que apura lavagem de dinheiro no São Caetano.
Sem contar a declaração de Rodrigo Tabata sobre Luxa ter lhe subtraído R$ 500 mil recebidos a título de luvas, quando ainda treinava o Santos.
CPIs, falsidade ideológica, sonegação de impostos, para falar sobre tudo o que cerca a vida do treinador, teríamos que escrever um livro.
Nos últimos meses investigamos sua atuação no Flamengo, desde o método utilizado para realizar transações, até maneiras de escondê-las.
Paraísos fiscais, falsificação de documentos… não há limites para V(W)anderlei(y) Luxemburgo.
Confira abaixo.
ESQUEMA FLAMENGO – ANGARIANDO PROCURAÇÕES
Assim que assumiu o Flamengo, Luxemburgo logo tratou de colocar seu pessoal para “trabalhar”.
Enquanto adoçava a boca de Patrícia Amorim, presidente do clube, seu “assessor” direto, e “laranja” predileto, Marcio Silva do Carmo fazia jogadores assinarem procurações.
Marcio da Kelm, como é conhecido no Rio de Janeiro, tornou-se procurador de praticamente todos os jogadores da base rubro-negra, além de boa parte dos profissionais.
Descobrimos alguns nomes, entre eles, Maldonado, Vanderlei, Wellington, Bottinelli, Jael, Itamar, Gustavo, Magal e Deivid.
Mas há muitos outros.
Todos são obrigados a repassar parte dos salários ao treinador e, quando negociados, 20% sobre o valor da venda.
Uma verdadeira mina de ouro.
As procurações são assinadas, por vezes, em nome do próprio Marcio, as vezes no de sua mãe, Dna. Ercilia, de 81 anos (que nada tem a ver com os negócios) e também da MALDOVAN Esportes, CNPJ 05.702.171/0001-86, que tem o “laranja” de Luxa como um dos sócios.
Após cooptados os atletas, entra em ação outra empresa, que coloca o dinheiro, seja para contratar os jogadores, ou para assessorá-los nas vendas.
É a VIME Brasil Marketing Esportivo, sobre a qual falaremos a seguir.
VIME – LUXA LEVA 20% POR TRANSAÇÃO
Por indicar os jogadores ao Flamengo, revendê-los posteriormente, ou apenas cooptá-los, sem por sequer um real na jogada, V(W)anderlei(y) Luxemburgo levava 20% de toda a transação.
A empresa que bancava tudo, da qual o treinador é sócio oculto, a VIME BRASIL MARKETING ESPORTIVO, está em nome de Carlos Vilarinho (que nos contou tudo em áudio revelador – e imperdível, ao final da matéria), e de um bicheiro violentíssimo do Rio de Janeiro, de nome Marcelo Mesqueu.
Após uma briga em que Vilarinho foi jogado para escanteio, a empresa ficará apenas em nome do bicheiro e de seu parente, Claudio Mesqueu, com Luxa passando a receber 40%.
Porém, para se precaver, outra empresa, de nome VICAR, também em nome dos mesmos proprietários, registrada no mesmo endereço, é quem acertava as “comissões” do treinador.
Hoje a VIME (Luxemburgo) possui diversos jogadores no Flamengo, entre profissionais e atletas da base.
COMISSÃO SOBRE NEGOCIAÇÃO DO ATACANTE WANDERLEY
Após a negociação do atacante Wanderley para o Al-Arabi, por 2,5 milhões de Euros, ficou acertado que Luxemburgo teria direito a comissão de R$ 1 milhão.
Tivemos acesso à planilha da VICAR, autora do pagamento.
Luxemburgo recebeu, em cheque, emitido pela VICAR, depositado na conta da WL Sports, no Bradesco da cidade de Santos/SP, compensado entre os dias 15 e 20 de janeiro do ano anterior, a quantia de R$ 235 mil.
O restante foi pago da seguinte maneira: R$ 35 mil referentes a um aluguel de jatinho da TAM, que levou Luxemburgo, o prefeito de Londrina e seu sócio Malucelli à Palmas e depois trouxe de volta à Londrina.
Vale lembrar que Malucceli é dono dos campos em que o Flamengo fez sua pré-temporada em 2011.
Recebeu também uma BMW (que foi apreendida recentemente numa blitz da lei seca, e, posteriormente liberada), que colocou, inicialmente, em nome da Sra. Ercília da Silva Carmo, mãe de seu “laranja”, Marcio.
Por ocasião dessa blitz, de maneira estranha, o documento do carro foi falsificado em um despachante de Santos, amigo de Luxa, em que o nome de Ercília foi “apagado”, com a transferência sendo efetuada direto da VICAR para o treinador (documentos que apresentamos no final da matéria.)
Por fim, para completar o valor devido, a VICAR pagou dívidas diversas de Luxemburgo, entre elas, uma grande quantia em dinheiro devida num cassino de Las Vegas.
LAVANDERIA NO EXTERIOR
Está em nome de Carlos Vilarinho a empresa HIGH WAVES VENTURES, localizada em Tortola, nas Ilhas Virgens Britânicas.
Local para qual é enviado boa parte dos lucros de todo o grupo.
E que deveria, em tese, estar nos cofres do Flamengo.
ÁUDIO DE EMPRESÁRIO ENTREGANDO V(W)ANDERLEI(Y) LUXEMBURGO
Ouça abaixo, uma conversa que mantive com Carlos Vilarinho, em que todo o esquema é relatado.
Por ser uma gravação de risco, o áudio não é dos melhores, por isso peço que prestem bem atenção, coloquem fone de ouvido, seguindo se possível, a transcrição dos diálogos.
É esclarecedor.
Provas de que Luxemburgo está lesando, há tempos, o Flamengo, assim como já houvera feito com outras equipes.
Palmeiras, Santos, Náutico, entre outros clubes são citados.
Entres os rolos, está até uma tentativa de vender Neymar e Ganso, quando estes ainda eram juniores.
*Enquanto falava, Vilarinho mostrava documentos ao Blog do Paulinho
TRANSCRIÇÃO DO ÁUDIO
“Eu sou sócio do (V)anderlei(y) na empresa… eu sai, na verdade, mas ainda não assinei a carta… E ele me fez uma puta sacanagem… eu apresentei um pessoal e ele me tirou do negócio… é um pessoal muito rico… são bicheiros do Rio de Janeiro”
O Luxemburgo é o seguinte… vou te contar a historia… sou amigo dele a muito tempo… quando ele tava no Palmeiras em 2008, antes dele ir para o Santos, viajei com ele…”
“Vou te passar caso a caso… peguei documento… não quero vínculo com ele… peguei os contatos dos jogadores que nós temos, porque nós temos muitos jogadores… tem no São Caetano, no Flamengo, no Palmeiras…”
“(atendendo telefone e falando sobre documento do carro que publicamos na matéria) Neto, sabe aquele documento do carro… da “venda” do carro e o negócio da multas também… trás aqui pra mim… lá do BMW…”
“Eu vou te mostrar documentos para você ver que o cara está passando para trás as pessoas erradas…”
“Esse Marcio (Silva do Carmo), Marcio da Kelmer, é o laranja dele… é o que a mãe dele está com (nome) no carro (BMW)…”
“Esse é o carro que foi “vendido” para ele… que tá apreendido (à época o BMW foi flagrado na Lei Seca do Rio de Janeiro), que tem de multa R$ 41 mil… ele não pagou as multas… este carro foi “vendido” para ele, estava financiado, olha aqui, dia 10… aqui, VICAR é a minha empresa…”
“Esse carro estava na empresa… eu pra acertar minha saída da sociedade com o pessoal do Rio de Janeiro (bicheiros), que é sócio dessa empresa aqui (VIME), que é o marketing esportivo(…) os sócios são eu (Carlos Vilarinho) e o Marcelo Mesqueu, que é o bicheiro do Rio de Janeiro… tem até o contrato social…”
“Eu conheço o V(W)anderlei(y) da época do Palmeiras, ai, quando ele foi para o Santos, antes do SONDA comprar o Neymar e o Ganso, o V(W)anderlei(y) ofereceu pra mim comprar os dois…”
“O sócio da VICAR é o mesmo sócio da VIME que tem alguns jogadores no Flamengo…”
“Por que eles (bicheiros)entraram no negócio ? Porque tem um moleque que joga no Flamengo, na base, que o V(W)anderlei(y) trouxe, que é o sobrinho do bicheiro… o V(W)anderlei(y) conversou com ele sobre o jogador (prometeu subir de categoria) … ai os caras começaram a me cobrar… encher meu saco… é esse moleque aqui… Jorge Mesqueu (Jorginho)”
“O carro que foi apreendido, uma BMW, tá em nome da VICAR… o dono da VICAR é sócio de uma empresa, a VIME, que mexe com futebol, e tem alguns jogadores no Flamengo, um deles, o Vanderlei (atacante), que foi vendido… “casualmente” na mesma época que o carro foi “vendido” para o… (Luxemburgo), entendeu ? Muita coincidência… Mesma época que o carro passou da VICAR para a “senhora”…”
“(ao ser questionado sobre quantos jogadores Luxemburgo tem no Flamengo) A VIME ? Se você procurar o Marcio da Silva do Carmo, é um “crioulo”, é o “laranja” dele…
“Esse Marcio (da Kelmer), é o braço direito do V(W)anderlei(y) Luxemburgo. Kelmer de roupa esportiva… ele era representante da marca… esse cara ai… o Botineli, o meia lá… tem uma meia dúzia (de jogadores) que está vinculado a ele… ele é o comprador… na realidade, não é ele (de fato) o procurador… é o V(W)anderlei(y)…”
“(questionando um funcionário) quais são os jogadores que tem o Marcio o negócio (procuração) ? É o Botineli e quem mais ? Maldonado…tem mais outros lá no Flamengo… Fabiano é do Luxemburgo… qual mais ? Os da base ele pegou todos agora…”
“Olha aqui, a VICAR informou que vendeu, o BMW, para Ercilia da Silva Carmo (mãe de Marcio, laranja de Luxemburgo), no dia 10/05, que o carro está em nome da VICAR… está com os documentos atrasados (à época)… porque ele não pagou… dei para ele (o carro, BMW), falei paga, põe tudo em dia, falava que tinha pago e não pagou porra nenhuma…”
“(Dna. Ercilia, que o carro estava no nome) que é mãe do Marcio da Silva Carmo, que é procurador de vários jogadores do Flamengo, e é a pessoa direta do V(W)anderlei(y)”
“A VIME (de Luxemburgo e do Bicheiro), tem vários jogadores… no Náutico, no São Caetano, no Palmeiras, no Flamengo”
“A VIME (Luxemburgo)estava intermediando com a TRAFFIC, com a Hyundai do Brasil, 5% do patrocínio (para o Flamengo)… estou te mostrando coisas (neste momento leio o documento), olha… Hyundai, com assinatura do Vice-presidente do Flamengo (autorização para negociar)”
“(Ao ser questionado se Patricia Amorim estava no esquema) Ah! O V(W)anderlei(y) tem ela muito na mão, né…”
“Vou te mostrar como é que era… 40%, 40% e 20%… 40% meu, 40% do outro (bicheiro) e 20% do V(W)anderlei(y)… olha quantos jogadores (lista imensa)… Maikon Leite, Vanderlei…”
DOCUMENTO DE CARRO RECEBIDO COMO PAGAMENTO DE COMISSÃO E FALSIFICADO POSTERIORMENTE
Copia do original com o nome da Sra. Ercília e firma reconhecida
Documento do DETRAN omitindo nome de Dona Ercilia e mostrando uma transação direta entre VICAR e Luxemburgo
Vídeo de Jorginho Mesqueu, jogador do Flamengo, sobrinho de Marcelo Mesqueu, bicheiro e sócio de V(W)anderlei(y) Luxemburgo.
OUTRO LADO
Procurados pelo BLOG do PAULINHO, até o momento, V(W)anderlei(y) Luxemburgo e Patrícia Amorim não retornaram nossos recados.
No Blog do Paulinho
Leia Mais ►

CDN irrita governo com nomeação de Mario Sabino

Desafeto do PT, ex-redator chefe de Veja Mario Sabino é nomeado vice-presidente para o Setor Público da Companhia de Notícias, que detém a conta do governo federal para divulgação da imagem do Brasil no exterior; contratação soou ao governo como provocação do empresário João Rodarte
Pegou mal. Depois de ser demitido de maneira estrepitosa do cargo de redator chefe da revista Veja, na qual coordenou algumas dezenas de reportagens eivadas de ataques políticos e ideológicos ao PT, à gestão do presidente Lula e, mais recentemente, à administração Dilma Rousseff, o jornalista Mario Sabino reapareceu hoje. Ele foi nomeado vice-presidente para o Setor Público da empresa Companhia de Notícias, do empresário João Rodarte. Será sócio e terá responsabilidades “inclusive na prospecção de novos clientes”, conforme Rodarte registrou em mensagem aos seus “colaboradores” (leia íntegra abaixo). Fundada pouco antes e desenvolvida durante a gestão de Fernando Henrique Cardoso, de quem Rodarte foi genro, na Presidência da República, a CDN se tornou uma das maiores organizações de assessoria de imprensa e relações públicas do País. O faturamento anual é superior a uma centena de milhão de reais. Hoje, detém a conta do governo federal para a divulgação do Brasil no exterior.
No Palácio do Planalto, alvo contumaz de ataques de Mario Sabino no período em que ele deteve poder editorial em Veja, revista na qual serviu por 17 anos, a nomeação para o cargo de vice-presidente de Setor Público da CDN foi classificada por um integrante do núcleo mais próximo à presidente Dilma como “provocação”.
Pela ótica de seus históricos relacionamentos com políticos tucanos, a contratação efetuada por Rodarte faz todo o sentido. Com trânsito livre no PSDB, o empresário conquistou uma série de contas no governo de São Paulo, no qual as administrações tucanas se sucedem desde 1995. No momento, o secretário de Comunicação da administração Geraldo Alckmin é o jornalista Márcio Aith, amigo pessoal e ex-colega de Sabino em Veja. Na publicação da editora Abril, ambos se especializaram em alinhar denúncias e atacar por diferentes ângulos a gestão do ex-presidente Lula e os principais quadros de seu partido. Foi, de resto, em razão de uma trapalhada, ano passado, na busca por atingir um deles, o ex-presidente do PT José Dirceu, que Sabino, pouco mais tarde, foi excluído da equipe de Veja. Nas férias de Alcântara, o então redator chefe Sabino coordenou a ação de um repórter da revista em Brasília que terminou numa delegacia de polícia, sob a acusação de tentativa de invasão do domicílio particular que Dirceu ocupava no Hotel Naoum.
Do ponto de vista do relacionamento da CDN com o governo da presidente Dilma Rousseff, no entanto, qualquer outra escolha de Rodarte dificilmente conseguiria ser pior, política e eticamente, do que a de Sabino. O anti-petismo dele é latente, assim como sua má vontade diante das realizações da atual e da administração anterior. Às vésperas da chegada da então candidata vitoriosa Dilma ao Planalto, ele esteve à frente do trabalho gráfico que exibiu o ainda presidente Lula procurando segurar os ponteiros de um grande relógio, num indicativo de que, desesperadamente, não queria deixar o cargo. Lula, como se sabe, não advogou para si a exceção de um terceiro mandato. Ao contrário, aceitou a regra constitucional e ofereceu ao voto sua candidata Dilma.
Outro problema na nomeação de Sabino para o cargo de vice-presidente de uma empresa de relações com a imprensa e o público é, exatamente, suas relações com a imprensa e o público. Tirante Aith e o blogueiro Reinaldo Azevedo, não se conhecem ao certo jornalistas e formadores de opinião que tenham boas relações com Sabino. Escritor que já foi classificado de “insuportável” por Paulo Coelho, criador de personagens misóginos e maníacos que valeram a ele o epíteto de “escroto” em crítica publicada no jornal Valor Econômico, Sabino, a partir de agora, “atuará também junto a outras áreas da CDN sempre que necessário”, como frisou seu sócio Rodarte na seguinte mensagem:
Caros colaboradores,
Tenho grande satisfação em anunciar a chegada à CDN de Mario Sabino, um dos mais importantes jornalistas do Brasil. Mario trará para a nossa equipe a experiência de 27 anos em postos de comando em alguns dos principais veículos de comunicação do país. Tenho certeza de que ele dará enorme contribuição ao crescimento da CDN e ao atendimento cada vez mais estratégico a nossos clientes.
A partir de 14 de fevereiro, Mario assumirá o cargo de Vice-Presidente, com foco em Comunicação para o Setor Público, área da qual será sócio. Ele atuará também junto às outras áreas da CDN sempre que necessário, inclusive na prospecção de novos clientes.
Nosso novo colega nasceu em 1962, em São Paulo. Formou-se em jornalismo na PUC. Começou sua carreira em 1984, como responsável pela seção Livros da Folha de S. Paulo. Em 1990, editou a revista Teoria&Debate, ligada ao diretório estadual do Partido dos Trabalhadores, apesar de nunca ter se filiado a partido nenhum. A revista precisava de um profissional capaz de imprimir um tom mais jornalístico à publicação. No final de 1990, foi convidado por Mino Carta para trabalhar na revista Istoé, na qual exerceu a função de editor de Cultura e editor especial. Em 1994, teve uma breve passagem pela redação de O Estado de S. Paulo, como subeditor do Caderno 2. No final do mesmo ano, foi convidado para trabalhar na Veja. Na revista em que permaneceu por dezessete anos, foi editor de Geral, editor-executivo de Artes e Espetáculos e redator-chefe, cargo que ocupou por oito anos.
Sabino mantém, em paralelo, uma atividade literária prolífica. Em 2004, lançou seu primeiro romance, O Dia em que Matei Meu Pai, publicado em outros dez países. No ano seguinte, lançou o livro de contos O Antinarciso, que ganhou o Prêmio Clarice Lispector, concedido pela Biblioteca Nacional, como o melhor livro do gênero em 2005. Em 2009, foi publicado o seu segundo livro de contos, A Boca da Verdade, e, no ano passado, o romance O Vício do Amor, comprado na Holanda antes de sair no Brasil. Ainda no campo da literatura, traduziu o ensaio Arte e Beleza na Estética Medieval.
Peço a todos que deem as boas-vindas ao Mario!
Abraços,
João Rodarte
Leia Mais ►

Charge online - Bessinha - # 998

Leia Mais ►

Onde não alaga em São Paulo?

"Alaga São Paulo" na região central de SP
Este humilde blog, como todos e todas sabem, é especializado em alagamentos, desabamentos, inundações e demais situações caóticas que ocorrem rotineiramente em São Paulo.
Todas essas atividades fazem parte do Programa “Alaga São Paulo”, um dos poucos programas do trio Serra-Alckmin-Kassab que funcionam cem porcentamente.
Temos recebido centenas de mensagens com essa fatídica pergunta, já feita em “private” pela minha neta de cinco anos: onde não alaga em São Paulo?
Antes de continuar e responder à pergunta do título, sugiro a leitura dos posts sobre esse tema, publicados neste pasquim digital, clicando aqui
Dito isto, voltemos ao tema do post.
Embora seja um dos poucos programas eficazes do trio Serra-Alckmin-Kassab, informo que SIM, há algumas regiões na cidade de São Paulo que ainda não foram contempladas pelo programa.
Abaixo, apresentamos algumas imagens de locais que merecem especial atenção do desgovernador e do imprefeito Kassab:
1. Rua da Consolação 1660 – extensa área aprazível que não alaga (imagens do Google Earth)
***
2. Rua Cardeal Arcoverde 1217 A – outra área muito aprazível que ainda não alaga
***
3. Rua Deputado Laércio Corte 468, Morumbi – a mais nobre área de São Paulo ainda não alagada
***
Aí estão alguns exemplos de áreas que ainda não alagam em São Paulo.
Quem tiver interesse em morar, definitivamente, numa dessas áreas e fugir dos eternos alagamentos do “Alaga São Paulo” é muito simples; basta se mudar para lá.
Nessas áreas são oferecidas moradas por preços que ainda não estão pela hora da morte.
É conferir e agir!
No FBI
Leia Mais ►

O uso político do combate ao crack

Há uma semana, tratei da desastrada operação que os governos estadual e municipal de São Paulo deflagraram contra o crack. Terminei meu texto ressaltando a importância de salvar a ação pela via da articulação de esforços com o governo federal e do afastamento das disputas políticas em torno de uma questão que corrói a sociedade — é de todos, portanto.
Mas os tucanos conseguiram fazer a própria imprensa, que tanto os apóia, denunciar o uso eleitoral da questão. Numa mostra do desespero que os assola, os tucanos paulistas passaram a buscar os responsáveis pelo caos que instalaram no entorno da região da cracolândia, principalmente porque fizeram uma operação só de repressão, sem trabalho preventivo ou tratamentos de saúde.
Os erros da operação foram tão grosseiros que o tema dominou o debate realizado pelos quatro pré-candidatos do PSDB à prefeitura da capital. Um deles vinculou o PT à disseminação do crack; outro acusou o governo federal de não prestar assistência do SUS (Sistema Único de Saúde) aos dependentes químicos. Foi estarrecedor.
Especialmente porque os tucanos governam o Estado de São Paulo há quase duas décadas!
Se contarmos o governo de Franco Montoro, eleito em 1982, quando os políticos que fundaram o PSDB ainda estavam todos no PMDB, são 30 anos de administração estadual. Não faz o menor sentido, portanto, culpar o PT pelo problema porque governou a cidade entre 2001 e 2004, com a prefeita Marta Suplicy, e de 1989 a1992 com Luiza Erundina.
Mesmo os governos Orestes Quércia (1987-1990) e Luiz Antônio Fleury Filho (1991-1994) fazem parte do acervo tucano. Afinal, participaram desses governos expoentes tucanos —entre eles, o agora senador Aloysio Nunes. E Quércia foi eleito pelo governo Montoro, compondo uma linhagem sucessória que desemboca na série de gestões tucanas.
Além disso, o ex-governador José Serra, na campanha presidencial de 2010, vendeu aos brasileiros a ideia de que realizou um programa de construção de centros de ajuda a dependentes químicos. Mas se descobriu que não existiam. Justamente uma das causas apontadas por especialistas para considerar um desastre a operação policial na cracolândia.
Não podemos esquecer que a gestão Marta começou um trabalho de recuperação do centro numa perspectiva de valorização da região e de assistência aos usuários de drogas. Mas quando substituiu Marta, o breve prefeito Serra interrompeu todos os programas do PT, inclusive os de defesa e recuperação do centro.
Ora, colocar a questão no foco do debate eleitoral deste ano é o pior que poderia acontecer para enfrentar o problema do crack. Mas é isso que os tucanos sinalizam fazer. Insisto que sem um trabalho de prevenção pautado na informação, apoio e construção de centros de tratamento aos dependentes, não venceremos a batalha das drogas. Uma batalha que é da sociedade, não deste ou daquele governo.
É preciso fazer como o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, fizeram nesta semana: unir esforços. Padilha anunciou investimento de R$ 6,4 milhões em programas de tratamento de dependentes químicos na cidade. A aplicação desses recursos contribui para articulação de uma estratégia comum de combate ao crack.
Esse é um caminho que pode ser reproduzido em muitas prefeituras e governos estaduais. Afinal, volto a ressaltar, a gravidade do problema impõe às autoridades colocar de lado as divergências políticas e avançar coordenadamente no enfrentamento do problema das drogas. É isso que a sociedade espera.
José Dirceu, advogado,ex-ministro da Casa Civil e membro do Diretório Nacional do PT
Leia Mais ►

Dilma e Rui Falcão

Foto: FLÁVIO TAVARES/AGÊNCIA ESTADO
Presidente do partido, Rui Falcão se queixa de não ter sido consultado sobre o nome do novo ministro da Ciência e Tecnologia e acusa Aloizio Mercadante de trair a sigla ao indicar Marco Antônio Raupp para seu antigo posto
As primeiras mudanças no Ministério anunciadas pela presidente Dilma Rousseff não foram unânimes na base governista. O clima do PT é de revolta não só com a presidente, mas também com o futuro ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que teria atropelado articulações da cúpula partidária para emplacar o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), Marco Antonio Raupp, em sua vaga no Ministério da Ciência e Tecnologia.
Segundo o Globo, a queixa é que o presidente do PT, Rui Falcão, sequer foi consultado sobre a escolha e que Mercadante traiu a sigla ao indicar o nome de Raupp. Falcão passou a quarta-feira em Brasília, mas não foi chamado ao Planalto.
O secretário nacional de Comunicação do PT, deputado André Vargas(PR), verbaliza a insatisfação dos companheiros: "Claro que há quadros no partido que poderiam ter sido avaliados pela presidente Dilma para a Ciência e Tecnologia. Eu, pessoalmente, acho que o deputado Newton Lima foi um grande prefeito (de São Carlos, SP), responde pela bancada na Comissão de Ciência e Tecnologia e foi grande reitor por mais de dez anos. Mas poderá continuar ajudando o Raupp, como parlamentar - reagiu Vargas".
Ao contrário de Mercadante, que tinha um perfil estritamente político, a nomeação de Raupp agradou a comunidade científica por realmente conhecer a área que vai chefiar. O futuro ministro, de 73 anos, é físico formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Ele já passou também pela USP (Universidade de São Paulo), UnB (Universidade de Brasília), INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e LNCC (Laboratório Nacional de Computação Científica).
~ o ~
Dilma, não perca seu tempo com Rui Falcão
Getúlio Vargas, que, além de seu reconhecido patriotismo, se associou ao exercício do poder executivo como nenhum outro governante brasileiro, via seus auxiliares com ceticismo sábio. Raramente os elogiava, a não ser em situações pontuais, se isso era de interesse político ou administrativo. Sua máxima é conhecida: todo ministério é um ministério de experiência. Os ministros serviam, enquanto bem serviam ao país, em seu critério de chefe. Quando não serviam, individualmente ou em bloco, substituía-os, sem grandes dramas, a não ser para alguns dos dispensados. Como se sabe, o poder é como o amor: dele ninguém se liberta sem algum sofrimento.
Ninguém consegue governar só, nem mesmo os déspotas mais audazes. Nos sistemas democráticos, ou que assim se identificam, os chefes governam com facções políticas. Essas facções – e sempre foi assim – poucas vezes se formam a partir de escolhas ideológicas sinceras. Organizam-se a partir de razões objetivas, como os interesses econômicos e corporativos, e de sentimentos subjetivos, como os da amizade e do carisma de seus líderes.
Há, no entanto, os casos, freqüentes na História, de psicopatia política. Alguns gravíssimos, como os de Nero, Calígula, Hitler e Franco; outros ridículos, além de criminosos, como os de Mussolini, Berlusconi, Salazar e os vizinhos Somoza, Pinochet, Stroessner e Trujillo. Isso sem falar em nossa própria realidade, com Médici, Collor e Jânio Quadros. Mas, nem mesmo Filippo Maria Visconti – o cruel Duque de Milão, tirano em estado puro, como o definiu Elias Cannetti – governava só. Ele, que exerceu o poder de 1412 a 1447, para manter o ducado íntegro, dependeu de seu chefe militar Francesco Sforza, de quem fez genro e sucessor.
Os historiadores e analistas das causas e razões do poder se dividem na dúvida permanente: governar é ciência ou arte? Mesmo os chefes mais intuitivos dependem de um mínimo de conhecimento para o exercício do poder. Os governantes devem saber mandar. Tancredo recomendava aos seus auxiliares pensar antes de dar uma ordem. Deveriam estar certos de que a ela seria cumprida, ou seja, de que o subordinado teria condições de executar bem a missão. Saber mandar é saber escolher – mas nem sempre o chefe de governo tem a possibilidade de nomear a pessoa certa para os cargos. Daí o conselho de Vargas: todo ministro vive uma situação precária em seu cargo, uma vez que são demissíveis ad-nutum.
Discutir, nesse momento de nossa estação histórica, o desconforto da presidente da República em negociar com um parlamento eclético e, em grande parcela, alheio aos interesses do povo brasileiro, é ocioso. Ela só pode administrar a circunstância que seus antecessores lhe legaram. E isso, queiram ou não os seus opositores atropelados pela realidade, ela vem fazendo com êxito, dentro dos limites do possível.
Muitos contestam a substituição de tantos ministros que, acusados de corrupção, não puderam, ou não quiseram, defender-se convincentemente dos erros que lhes atribuíam. Esquecem-se de que, mesmo com os escolhos de uma coligação política quase teratológica, ela construiu o governo mediante as consultas com suas bases parlamentares e líderes políticos aptos a recomendar os titulares do Ministério. Tratava-se, como todos os outros, de um ministério de experiência. Nas últimas semanas, antes da reforma recomendada pelo calendário eleitoral, ela pôde reunir informações e confrontá-las com as razões de Estado e suas próprias razões, a fim de reorganizar o Ministério. Que será, sempre como recomenda a inteligência política, de experiência, passível de ser substituído, no todo ou em parte, e em qualquer momento, de acordo com as circunstâncias.
Leia Mais ►

A trajetória de Valdirene Marchiori e sua péssima fama

De longe a mais polêmica integrante do programa Mulheres Ricas, da Band, é conhecida por uma série de golpes e relacionamentos polêmicos
Panorama Mercantil - Não é apenas o processo de separação (se é que podemos dizer assim) do empresário Evaldo Ulinski dono da empresa paranaense Big Frango (faturamento de mais de R$ 1 bilhão em 2011) que atormenta Valdirene Aparecida Marchiori, a Val Marchiori, de longe a integrante mais polêmica e muitas vezes mais antipática do exótico programa da rede Bandeirantes 'Mulheres Ricas'. Há outros processos correndo em dois estados, envolvendo supostos golpes cometidos no passado por Val Marchiori, segundo informou em dezembro último o Jornal Portal do Paraná, e que passou completamente "despercebido" pela chamada grande mídia. Mas vamos aos tais fatos.
Segundo a publicação, a loura que nasceu no Distrito de Caixa de São Pedro, em Apucarana, no Paraná, ganhou fama aplicando golpes na região de Londrina, e transferiu-se para São Paulo para se tornar a "socialite" mais badalada e invejada do Brasil. Ela seria dona de dois CPFs, já que havia sido processada diversas vezes no Paraná e São Paulo e até afirmou em entrevistas que já frequentou a lista negra do Serasa e SPC.
Valdirene ficou conhecida em Londrina quando se relacionou com empresários da cidade. Por lá, rola uma história das mais cabeludas. A socialite foi acusada de roubar uma concessionária inteira da Kia Motors, após um namoro relâmpago com o diretor financeiro da empresa. Ela chegou a ser indiciada, respondendo ao processo em liberdade, e os carros nunca mais apareceram. De acordo com a Ação de Execução, o rombo da Kia é de R$ 1.228.653,60. O processo corre na 4ª Vara Cível no Fórum de Jundiaí-SP.
Consta que ela não possui bens e nem conta bancária em seu nome por conta de inúmeras ações judiciais, em nome da empresa Valdirene Aparecida Marchiore S/A. A Intermedium Crédito, Financiamento e Investimento S/A tenta localizar bens passiveis de penhora em nome da empresa Valmar Transportes LTDA desde 2006. Situação semelhante vive a empresa Reju Importadora de Frutas Ltda., que amargou prejuízo com a Valmar de mais de R$ 70 mil. "Ao vê-la posando de milionária, nos causa completa indignação", declara Antonio Mendes, um dos executivos da Reju.
Israel Sverner é outro que se diz prejudicado pela milionária. Ele vem lutando na 4ª Vara Cível da Lapa, em São Paulo, desde 2005, para receber R$ 11.989,00 de alugueis não pagos por Valdirene, o que resultou em uma ação de despejo. Em janeiro de 2002, a emergente foi acusada de furtar um homem de 61 anos, aplicando o golpe do "Boa Noite Cinderela", na região de fronteira entre Brasil e Paraguai, mais precisamente na cidade de Pedro Juan Caballero. Os funcionários do edifício onde ela mora atualmente, nos Jardins, a consideram arrogante por nunca cumprimentar ninguém. Uma funcionária a descreveu como "insuportável" e se diz indignada por vê-la maltratar os empregados e as pessoas mais humildes, como se fossem um simples cesto de lixo."Ela tem a mente inventiva e é megalomaníaca", afirma uma de suas ex-assessoras.
O empresário Evaldo Ulinski afirmou ao portal iG recentemente que a sua ex-amiga (é assim que ele a trata, dizendo que o relacionamento dos dois era estritamente sexual) é "uma falsária, estelionatária da mídia, amoral, fria e calculista, sem escrúpulos, chantagista, promíscua, lunática e a maior mentirosa do mundo", e que conheceu Val por intermédio de um amante dela na época. "Ela me elegeu como um trampolim para a sua ascensão profissional e social porque jamais teria espaço em qualquer lugar se não tirasse proveito do meu nome”, respondeu o empresário. Valdirene gosta de chamar Ulinsnki de ex-marido nas entrevistas, dizendo que viveu com ele por oito anos e que também tem direito sobre sua fortuna. Consta que o milionário é casado com a discreta Nylceia Felippe Ulinski e com ela tem três filhos, somando-se cinco no total (os dois mais novos são frutos do seu relacionamento com a socialite). Val Marchiori também foi contestada pela família do dono da Big Frango, conforme reportagem da revista Veja SP, edição de junho de 2011.
No total, a socialite responde por mais de dez processos nas comarcas de Londrina-PR, Jundiaí-SP e na Lapa em São Paulo-SP.
OS PROCESSOS EM ANDAMENTO SÃO OS SEGUINTES:
LAPA - CÍVEL
Processo: 583.04.2005.103482-1 - 4ª Vara Cível - No. de ordem: 60/2006
Processo: 583.04.2005.002239-0 - 1ª Vara Cível - No. de ordem:237/2005
Processo:583.04.2005.032701-0 - 4ª Vara Cível - No. de ordem:1925/2005
Processo:583.04.2006.100089-4 - 4ª Vara Cível - No. de ordem:175/2006
Processo:583.04.2006.104885-1 - 2ª Vara Cível - No. de ordem:372/2006
Processo:583.04.2005.125767-3 - 1ª Vara Cível - No. de ordem:2430/2006
Processo:583.04.2005.117149-9 - 3ª Vara Cível - No. de ordem:1522/2006
FÓRUM JOÃO MENDES-CÍVEL
Processo:583.00.2009.121094-9 - 29ª Vara Civel - No. de ordem:663/2009
JUNDIAÍ- CÍVEL
Processo:309012002.034705-2 - 4ª Vara Civel - No. de ordem:4197/2002
Enquanto isso, dada a polêmica criada pelo programa, Val ganha espaço em jornais, revistas e até em outras emissoras de televisão. Além do reality 'Mulheres Ricas' na Band, recentemente foi convidada para ser embaixadora da escola paulistana Unidos de Vila Maria. Ela também tinha um quadro no programa do apresentador Amaury Jr, pelo qual pagava alguns milhares de reais para aparecer. Na atração, ela exibia hotéis, sapatos, jatos particulares e o que há de mais glamuroso e chiquérrimoooo (como ela mesma diz) no Brasil e no exterior.
Os dados estão jogados na mesa e agora só resta esperar e ver se futuramente a socialite com pose de intocável será lembrada como uma bruxa maldita (que chegou a apanhar no restaurante Alucci Alucci no refinado bairro dos Jardins, em São Paulo, em maio do ano passado, de um dos filhos de seus supostos affairs) ou como a Gata Borralheira que virou uma Cinderela que solta sempre o conhecido “Hello!” e que gasta sem nenhum peso na consciência R$ 75 mil numa tarde de compras e que ainda sai dizendo pérolas filosóficas como: “Pobre é uma desgraça: só anda de carro” ou “Empresa boa e mulher bonita não quebram. Trocam apenas de proprietário”.
Leia Mais ►

El disidente cubano Guillermo Fariñas queda en libertad

El disidente cubano Guillermo Fariñas quedó este viernes en libertad, dijo su madre a CNN en Español.
Según el sitio Web de noticias Cuba Encuentro, Fariñas fue detenido el sábado junto a otros activistas por los derechos humanos(?) en la isla comunista.
Fariñas ha organizado diversas huelgas de hambre por la liberación de presos políticos(?). El disidente ha sido detenido en varias oportunidades por el gobierno cubano.
Leia Mais ►

Recife também reprime protesto de estudantes

No Recife, esta manhã, passeata de estudantes, no centro da cidade, em protesto contra o aumento das passagens de ônibus, foi reprimida com balas de borracha, gás lacrimogênio e spray de pimenta, deixando estudantes feridos e a população assustada – vídeo abaixo. Violência inadmissível. A notícia está no blogue Acerto de Contas – e também aqui e aqui.

Definitivamente, parece que as autoridades governamentais não sabem lidar com o democrático direito de discordar e protestar nas ruas, ou não têm controle sobre suas polícias. Onde estão o prefeito João da Costa (PT) e o governador Eduardo Campos (PSB)? Onde a tal da “Polícia Cidadã” de que tanto se faz alarde?
Semana passada, em Terezina/PI, a repressão fez vítimas da força física e bélica, desproporcional, em flagrante abuso de autoridade, cobrado pela Defensoria Pública. No sétimo dia de protestos, houve pancadaria e excessos de toda sorte por parte da PM, que deixaram feridos e levaram vários à prisão, soltos 48 horas depois, à base de habeas corpus – aqui e aqui, neste blogue.
As tarifas no Recife foram reajustadas em 6,5%, em média, nos diferentes anéis. No circuito A, passa de R$ 2,00 para R$ 2,15; no B, de R$ 3,10 para R$ 3,30; no o anel D, de R$ 2,45 para R$ 2,60 e no G, de R$ 1,30 para R$ 1,40. Na Região Metropolitana, estudantes pagam meia passagem.
O reajuste, diga-se ficou bem abaixo do que era reivindicado pelas empresas, 17,2%. Se prevalecesse este percentual de aumento, a tarifa mais barata seria de R$ 1,50; no caso do anel A, usado por 80% da população, custaria R$ 2,35.
Na votação do Consórcio Grande Recife, apenas o representante das empresas votaram a favor do aumento cheio. Houve três abstenções.
O Conselho é formado por 13 membros: dois secretários de Estado do Governo de Pernambuco; um secretário Municipal do Recife; um secretário Municipal de Olinda; dois do Consórcio Grande Recife, administrador do transporte urbano; um da CTTU – Companhia de Trânsito e Transportes Urbanos do Recife; um da Assembleia Legislativa; um do Detran PE; um da CBTU/Metrotec; um usuário do sistema de gratuidade e um do Sindicato dos Transportes.
* * *
A propósito, em Terezina, após 13 dias de protestos, houve acordo parcial sobre as tarifas, mas os estudantes estão de volta às ruas. Desta vez junto com professores, servidores públicos e moradores em manifestação contra o fechamento de uma escola municipal na Zona Norte da capital do Piauí – aqui.
Leia Mais ►

Dilma pede "providências exemplares" a hospitais do DF

Presidente pediu ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, apuração de suposta omissão de socorro por parte de dois hospitais no atendimento ao secretário do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira (foto), que morreu ontem após sofrer um infarto
A presidente Dilma Rousseff pediu ao ministro da Saúde, Alexandre Padilha, "providências exemplares" na apuração de suposta omissão de socorro por parte de dois hospitais do Distrito Federal no atendimento ao secretário de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Duvanier Paiva Ferreira, que morreu ontem após sofrer um infarto.
Segundo a assessoria de imprensa do Planalto, a informação de que poderia ter ocorrido negligência médica no atendimento a Duvanier chegou a Dilma ontem à noite, após a divulgação de uma nota de pesar pela Presidência da República. O ministro, por sua vez, acionou a Agência Nacional de Saúde (ANS), que é a gestora dos planos de saúde, para que as providências sejam tomadas.
O jornal Correio Braziliense revelou hoje que Duvanier foi levado aos hospitais Santa Lúcia e Santa Luzia - instituições particulares de referência na Capital Federal - que supostamente teriam negado atendimento, porque o servidor não tinha cheque para deixar como caução. O secretário era conveniado ao Geap - plano de saúde que atende os servidores públicos federais - que não seria recebido pelos dois hospitais.
Segundo o Correio Braziliense, quando chegou a um terceiro hospital, o quadro estava avançado e os médicos não conseguiram reanimá-lo. Na nota de pesar divulgada ontem à noite, Dilma lembrou que Duvanier assumiu o cargo no Ministério do Planejamento em 2007 e foi convidado a permanecer no posto em seu governo. "Sua inteligência, dedicação e capacidade de trabalho farão muita falta à nossa administração", disse a presidente no comunicado.
No Agência Estado
Leia Mais ►

Alienação é isso:

Leia Mais ►

Morre a cantora Etta James

Etta James, de 73 anos, morreu nesta sexta-feira no hospital Riverside na Califórnia, segundo a CNN. A diva do soul sofria de leucemia, hepatite C e demência. A morte foi confirmada por seu amigo de longa data e empresário, Lupe De Leon.
Leia Mais ►

A armadilha da zona do conforto pegou o governo Dilma

No melhor momento, desde que assumiu, o governo Dilma Rousseff está prestes a cair em uma armadilha terrível: o da chamada zona do conforto.
Praticamente não existe mais oposição. José Serra tornou-se um personagem patético, quase um vulto andando de noite pelo Twitter disparando mensagens óbvias e sem repercussão.
Depois de bater no teto superior, a inflação começa a refluir, reduzindo as ansiedades nessa área. Apesar da crise mundial, há condições do país atravessar com poucos danos aparentes a próxima temporada de crise.
Em céu de brigadeiro, o comandante sempre tende a relaxar, a descuidar-se do futuro e justamente no meio da maior janela de oportunidade que o país dispõe desde os anos 70.
Há uma explosão no preço das commodities, garantindo provisoriamente as contas externas; o mercado inteiro ganhou uma dimensão nunca vista; a médio prazo, tem o pré-sal para permitir ao governo dormir um pouco mais sobre os louros presentes… e futuros.
Enquanto isto, os importados vão entrando em todos os poros do tecido econômico nacional, dos bens de consumo a, principalmente, os bens intermediários.
Não se trata de um risco futuro. Neste exato momento, há cadeias produtivas inteiras sendo desmanchadas sob o peso das importações, há uma enorme rede de pequenos, médios e grandes importadores fincando os pés na China.
Do lado do governo, acenam com medidas - como as desonerações do programa Brasil Maior – que são meros paliativos, perto dos desajustes produzidos pelo câmbio. Não se criou uma defesa comercial robusta, não se utilizam ferramentas antidumping. O governo limita-se a administrar o varejo, concedendo aumentos de alíquotas na importações de bens específicos, um varejão que cria conflitos, nubla a visão de conjunto e abre espaço para favorecimentos.
Ter-se-iam todos os elementos para um grande pacto desenvolvimentista. O desenvolvimento da indústria não interessa apenas às empresas e trabalhadores do setor. Os planos estratégicos do setor bancário passam pelo aumento do crédito. O próprio mercado começa a sair da renda fixa e buscar alternativas na economia real.
No governo, no plano conceitual o chamado desenvolvimentismo tem a adesão das principais cabeças – de Dilma ao Ministro da Fazenda Guido Mantega, Nelson Barbosa, Márcio Holland, Luciano Coutinho, Aloizio Mercadante, Fernando Pimentel.
O que falta? Nos trabalhos com que justificava o controle do pré-sal pela União, o principal argumento de Dilma era justamente a possibilidade de fazer política industrial.
Como presidente, está sucumbindo à zona do conforto.
Falta pressão da opinião pública e um governo que consiga planejar minimamente o futuro sem ser conduzido pela mídia. É o único canal de opinião pública que chega em Brasilia.
A confraria da Selic continua tendo mais espaço nas discussões midiáticas do que a FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) – cujo presidente Flávio Skaf tem mais preocupações com sua carreira política do que com a entidade que representa.
Aliás, deveria haver uma reforma nos estatutos das federações, confederações e associações empresariais proibindo voos políticos para seus presidentes.
Luís Nassif
No Advivo
Leia Mais ►

“Craterão tucano no Metrô”: 5 anos depois, Via Amarela e Metrô são condenados por cratera e deverão ressarcir INSS

Empresas terão de pagar o Seguro Social por benefícios de pensão concedidos a familiares de três pessoas que morreram no acidente da construção da Linha 4 – Amarela, em São Paulo, em janeiro de 2007; ao todo, sete pessoas morreram na tragédia
Justiça Federal de São Paulo – O Consórcio Via Amarela (CVA) e a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) foram condenados a ressarcir o Instituto Nacional de Seguro Social (INSS) pelos valores pagos em benefícios de pensão por morte para familiares de três pessoas que morreram no acidente da construção da Linha 4 Amarela, ocorrido em janeiro de 2007. A sentença foi proferida pela juíza federal Regilena Emy Fukui Bolognesi, titular da 11ª Vara Federal Cível em São Paulo.
Ao todo, sete pessoas morreram na tragédia ocorrida nas obras da Estação Pinheiros, sendo um motorista do Consórcio Via Amarela, duas pessoas que passavam pelo local e quatro ocupantes de um microônibus. Segundo o INSS, o benefício de pensão por morte é pago atualmente aos dependentes do funcionário do CVA, do motorista e cobrador do microônibus.
A ação proposta pelo INSS tem como fundamento legal o artigo 120 da Lei nº 8.213/91, cuja redação estabelece que nos casos de negligência quanto às normas padrão de segurança e higiene do trabalho indicados para a proteção individual e coletiva, a Previdência Social proporá ação regressiva contra os responsáveis.
O Consórcio Via Amarela foi apontado como responsável direto pelo acidente e o Metrô como responsável subsidiário. A decisão narra os fatos que resultaram no desmoronamento do túnel e a abertura da cratera, descrevendo as falhas ocorridas durante a construção da estação Pinheiros e os procedimentos que deixaram de ser adotados pelas rés para que o acidente não ocorresse.
Regilena Bolognesi ressalta que “o valor a ser ressarcido não tem por desiderato expandir a Seguridade Social, mas, ao contrário, visa recompor pecuniariamente valor despendido pelo INSS, em função de ato ilícito perpetrado por terceiro” e acrescenta que o artigo 120 da referida Lei possibilita à União Federal/INSS receber de volta aquilo que está sendo pago em função de ilicitude de terceiros.
A juíza também cita dados de pesquisas sobre a enorme quantidade de acidentes de trabalho que repercutem diretamente no orçamento da seguridade social, em função do pagamento de beneficio previdenciário. Ela também destaca, conforme matéria veiculada pela imprensa, as ações regressivas que têm sido propostas pelo INSS contra motoristas que provocam acidentes de trânsito, ocasionando a necessidade de serem pagos benefícios previdenciários às vítimas que tiveram de se afastar do trabalho. Segundo a matéria, das 1,3 mil ações ajuizadas a autarquia conseguiu procedência em 95% dos casos.
A sentença determinou que o INSS seja ressarcido pelos réus em relação aos benefícios já pagos aos familiares das três vítimas, bem como as parcelas das prestações futuras, “que serão reajustadas da mesma maneira e pelos mesmos índices dos benefícios previdenciários de forma a manter a paridade entre o valor pago pelo INSS e esta recomposição”, afirmou a juíza. Cabe recurso da decisão.
Ação nº 009959-91.2009.403.6100
A íntegra da sentença está disponível no site http://www.jfsp.jus.br/20120119-viaamarela/
Leia Mais ►

Blogueiro da Editora Globo diz que O Globo mente

Paulo Moreira Leite, que foi redator chefe da Veja e diretor de redação da Época e do Diário de S. Paulo, não se intimidou em classificar em seu blog como inverdade notícia do jornal carioca que afirma que o brasileiro gasta mais com saúde do que o governo. "Falso", diz ele
"A inverdade do dia na Saúde". Com esse título, o blogueiro da revista Época Paulo Moreira Leite classificou como falsa a notícia publicada pelo O Globo : "Saúde pesa mais no bolso do cidadão do que do governo". "Falso", afirma o jornalista que foi diretor de redação de ÉPOCA e do Diário de S. Paulo, redator chefe da Veja e correspondente da revista em Paris e em Washington.
A manchete do jornal foi baseada na Pesquisa Conta Satélite de Saúde – Brasil, realizada pelo IBGE, que revelou que o brasileiro gasta 29,5% a mais do que o governo para ter acesso a bens e serviços de saúde. Enquanto o Estado tem um dispêndio de R$ 645,27 por pessoa, o gasto per capita fica em R$ 835,65. No país, 55,4% das despesas são arcadas pelas famílias enquanto 43,6% cobertas pela administração pública.
Leia na íntegra a opinião de Moreira Leite sobre o assunto :
"Cada centavo que o brasileiro gasta com saúde pode ser deduzido do imposto de renda. Isso vale para plano de saúde, consulta fora do convenio e até remédios. A condição é ter comprovantes para incluir na declaração. Isso quer dizer o seguinte: você gasta hoje e deduz a despesa a amanhã. Quanto mais você gasta, mais diminui seu imposto.
Se você ficar internado num hospital cinco estrelas de São Paulo, assina a cheque na hora de ir embora e deduz na próxima declaração de renda. Idem para o médico fora do convenio que cobra R$ 900 por consulta.
É um sistema que beneficia quem tem mais e pode pagar na frente.
Também prejudica aqueles assalariados que vivem na informalidade e não têm como justificar rendimentos.
A turma de cima que vive no Caixa 2 também não pode abater o que nunca paga mas dessa gente não é preciso sentir pena.
Outra distorção: você paga o médico privado e deduz a receita no IR. Mas sua cirurgia — quando grave e complicada — é feita pelo SUS. Resultado: você deduz o plano no IR e ainda recebe o serviço do Estado.
Na pura contabilidade, é como se tivesse recebido dinheiro para ser operado.
Quem paga a conta?
O Estado brasileiro, que fica sem recursos para investir em escolas, em infraestrutura e na própria saúde pública.
Isso quer dizer que o dinheiro que falta no posto de saúde do seu bairro pode ter voltado, antes, para o bolso de quem ficou internado num hospital muitas estrelas."
Leia Mais ►

STF x Calmon: quem é a “turba”? Esse (Collor de) Melo...

Segundo o Houaiss, “turba” significa:
1. grande número de pessoas, esp. quando reunidas; multidão, turbamulta, turbilhão
Exs.: a t. dos poetas medíocres
a t. das grandes cidades, ávida de eventos gratuitos
2. multidão em movimento ou desordem, potencialmente violenta; turbamulta, turbilhão
Ex.: a t. das ruas durante a Queda da Bastilha
3. o conjunto dos grupos menos favorecidos de uma comunidade; o vulgo, o populacho
Ex.: é difícil fazer-se ouvir pelos doutos, quanto mais pela t.
4. Derivação: por extensão de sentido.
multidão de animais, esp. em desordem ou aparente desordem
Ex.: as t. de gnus durante as secas na África
5. coro de vozes
- nos três primeiros sentidos, esta palavra é freq. de emprego pejorativo
Amigo navegante telefona para chamar a atenção de entrevista (por telefone – só no Brasil Ministro do Supremo dá entrevista por telefone !) do Ministro Marco Aurélio (Collor de) Melo ao jonal Brasil Economico desta quinta-feira, na pág. 6.
É uma peça de antologia.
A começar pelo estilo pedante e incompreensível (até por telefone):
“A atuação da Ministra Eliana na administração do CNJ tem discrepância (sic) na potencialização (sic) do objetivo de investigar e punir, em detrimento ao (sic) prejuízo do meio jurídico para atingir tal fim (sic).”
Entendeu, amigo navegante?
Trata-se de um "jenio"!
Pobre Vieira!
Camões, onde estás?
Mas, isso é pouco.
A seguir, o Ministro (Collor de) Melo, que tenta sepultar o CNJ com a mesma potencialização com que deu fuga ao banqueiro Cacciola, no passado, trata de uma tentativa de (de quem é a infeliz ideia?) se criar uma “pauta positiva para o Supremo”.
Aí, diz ele, com inesperada potencialização:
“Dessa ‘pauta positiva’ não participo. O STF nunca atuou junto à turba, sob pressões”.
Até aí, a História o desmente.
Na votação do “mensalão” – que ainda está por provar-se, lembra o Mino Carta -, por exemplo, um Ministro votou com a faca no pescoço. Quem botou a faca ali?
A “turba”.
Agora, amigo navegante, quem é a turba?
O amigo navegante se inclui na turba?
A opinião pública é a turba?
O ex-Supremo Presidente Supremo do Supremo, "Gilmar Dantas", uma vez se referiu ao Zé Mané do botequim.
Que ele também não estava ali para votar de acordo com a turba.
É por isso que este ansioso blogueiro morre de inveja da Argentina.
A Cristina fez a Ley de Medios.
O marido dela, o Néstor, botou os militares torturadores na cadeia.
E demitiu os ministros do Supremo nomeados pelo Menem (uma cruza de Collor com Fernando Henrique, o “inventor” do "Gilmar Dantas").
Ah, que inveja!
Paulo Henrique Amorim
Leia Mais ►

Após protestos, senadores e deputados americanos recuam no apoio à SOPA

De acordo com ONG, 25 Senadores agora se opõem PIPA (a versão do Senado da SOPA); deputados também recuaram.
Os protestos on-line de quarta (18) contra dois projetos de lei antipirataria atualmente no Congresso dos EUA parecem ter surtido efeito. Mais de 162 milhões de pessoas viram a mensagem de protesto na Wikipedia, 18 senadores recuaram em seu apoio à proposta, e 4,5 milhões de pessoas assinaram uma petição contra os projetos.
O The New York Times disse que o ativismo on-line é "uma nova Era para a política em relação à indústria de tecnologia." Já para o CEO da MPAA (associação dos estúdios) e ex-senador dos EUA, Chris Dodd, os protestos foram um "abuso de poder" que transformou os usuários em "peões corporativos".
Muitas empresas de tecnologia são contra a SOPA e a PIPA, argumentando que elas vão minar a internet livre e aberta. Críticos dizem que a legislação autoriza o governo e entidades privadas a censurarem a web, exigindo que sites de busca e provedores bloqueiem o acesso a sites acusados ​​de violação de direitos autorais.
Veja um balanço dos protestos:
  • 4,5 milhões de pessoas assinaram a petição do Google anti-SOPA/PIPA, de acordo com o Los Angeles Times
  • 25 Senadores agora se opõem PIPA (a versão do Senado da SOPA), de acordo com a ONG OpenCongress
  • Circularam no Twitter mais de 2,4 milhões de posts contra as leis
  • Dois co-patrocinadores do SOPA e vários outros retiraram o apoio ao projeto na Câmara
  • Mais de 162 milhões de pessoas viram a página de protesto na Wikipedia
  • Mais de 8 milhões de pessoas usaram as ferramentas de busca da Wikipedia para procurar informações de contato de deputados e senadores americanos
Já o CEO da News Corp, Rupert Murdoch, acusou a "blogosfera" de "aterrorizar muitos senadores e deputados que haviam se comprometido com os projetos.
Enquanto os protestos podem ter aumentado a conscientização sobre o impacto potencialmente negativo sobre a Internet da legislação antipirataria, a luta sobre como lidar com a pirataria prossegue. O presidente do Comitê Judiciário da Câmara Lamar Smith, deputado do Texas, prometeu continuar trabalhando para aprovar o projeto. A votação da PIPA no Senado está prevista para 24 de janeiro.
PC World/EUA
No IDG Now
Leia Mais ►

Protesto contra a Globo no caso BBB

Nesta Sexta, dia 20, das 12h às 14h
em frente a Globo São Paulo – Av. Dr. Chucri Zaidan, esquina da Av. Roberto Marinho.
A Frentex – Frente Paulista pelo Direito à Comunicação e Liberdade de Expressão, o FNDC – Fórum Nacional pela Democratização na Comunicação e a Rede Mulher e Mídia convidam todos para este ato pela:
1) Responsabilização da Globo por:
• Ocultação de um fato que pode constituir crime;
• Prejudicar a integridade da vítima e enviar para o país uma mensagem de permissividade diante de uma suspeita de estupro de vulnerável;
• Atrapalhar as investigações de um suposto crime;
• Ocultar da vítima as informações sobre os fatos que teriam se passado com ela quando estava apagada.
2) Os anunciantes do BBB – como OMO, Niely, Devassa, Guaraná Antarctica e FIAT – devem ser entendidos como co-responsáveis, e a sociedade deve cobrar que retirem seus anúncios do programa ou boicotá-los.
3) O Ministério das Comunicações deve colocar em discussão imediatamente propostas para um novo marco regulatório das comunicações, com mecanismos que contemplem órgãos reguladores democráticos capazes de atuar sobre essas e outras questões.
Leia aqui a nota do Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) responsabilizando a Globo pelo ocorrido durante o BBB.
Leia Mais ►

Justiça Federal no Rio nega a estudantes acesso à redação do Enem

Procurador do Ceará, Oscar da Costa Filho,
que é contra o Enem
Brasília – A Justiça Federal no Rio de Janeiro negou pedido de liminar feito pela Defensoria Pública da União (DPU) no estado para que todos os candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) possam ter acesso às provas de redação corrigida. A decisão do tribunal é contrária à decisão da Justiça Federal no Ceará que na terça-feira determinou que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) ofereça para todos os 4 milhões de participantes do exame a vista da prova.
O edital do Enem não prevê que o estudante possa recorrer da nota obtida na redação, por isso muitos candidatos entraram com ações na Justiça pedindo vista da prova e, em alguns casos, revisão da pontuação. De acordo com o juiz Rafael de Souza Pinto, do Rio de Janeiro, o fato do edital não prever a possibilidade de recurso não configura “ilegalidade ou inconstitucionalidade”. O magistrado acrescentou que seria inútil fornecer ao estudante o acesso ao teor da prova, como previa a ação encaminha pela DPU, já que não há viabilidade de que a nota seja revista.
“O edital do Enem encontra-se publicado há diversos meses, razão por que seu conteúdo poderia ser impugnado, oportunamente, não me parecendo razoável que somente agora, após a realização de todas as provas (..) a DPU venha a Juízo questionar a legalidade de cláusulas editalícias, em relação as quais, é válido acentuar, há muito possuía prévia ciência”, diz a decisão de Souza Pinto.
O entendimento da Justiça Federal no Ceará foi o oposto da decisão publicada hoje. O juiz federal Luís Praxedes da Silva defendeu em sua decisão que o cerceamento de defesa dos candidatos que não puderam ter acesso às provas configura “ofensa ao princípio constitucional da ampla defesa e do contraditório”.
No ano passado, uma situação similar acabou sendo resolvida pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ). Tribunais federais de diferentes estados concederam liminares com decisões contraditórias a respeito da prorrogação do prazo de inscrição do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que utiliza a nota do Enem para selecionar estudantes para universidades públicas. Para resolver a questão, o STJ cassou todas as liminares.
O MEC já tinha decidido recorrer da decisão da justiça cearense divulgada na quinta-feira. Hoje, o ministro da Educação, Fernando Haddad, disse que se o MEC tivesse que cumprir a determinação de oferecer vista das provas de redação a todos os estudantes, a viabilidade da próxima edição do Enem, prevista para abril, estaria comprometida.
Amanda Cieglinski
No Agência Brasil
Leia Mais ►

O esperto dessa história toda é o Kassab

Quando Serra ainda era prefeito e refletia entre deixar a prefeitura para ser candidato a governador ou para presidente da República tive um encontro com um experiente analista político de São Paulo que me disse o seguinte: “o esperto dessa história toda é o Kassab, que já convenceu o Serra que ele tem que ser candidato a alguma coisa”.
A conversa foi se desenvolvendo e o meu interlocutor foi contando histórias do então vice-prefeito. De como tinha chegado, sem carisma, por exemplo, a deputado federal e depois a vice de Serra, indicado, aliás, por Alckmin. E ao fim, disse: “se ele virar prefeito, como já está ficando claro, a Marta pode tirar o cavalo da chuva. Ele vai se reeleger”.
Achei a aposta muito arriscada, mas desde aquele dia comecei a prestar mais atenção em Kassab.
Ele de fato assumiu a prefeitura e deu continuidade ao governo de Serra, garantindo apoio no próprio PSDB à sua reeleição. Alckmin, que insistiu em ir para a disputa em 2008, acabou sendo cristianizado pelo seu partido e quase tem sua carreira política encerrada precocemente.
Depois de reeleito, Kassab se manteve fiel a Serra enquanto este era governador e foi tocando timidamente seu governo. Quando a tentativa do Zé da Mooca de ser presidente deu água e Alckmim se elegeu governador, ele surpreendeu a todos pulando fora do barco do DEM e lançando seu partido, o PSD, que não é nem de esquerda, nem de direita e nem de centro, e que conseguiu numa tacada se tornar a terceira força da Câmara dos Deputados, tendo menos deputados apenas do que o PT e o PMDB.
Ao mesmo tempo, dominou a Câmara de vereadores de São Paulo, se livrou das amarras do então Centrão e atraiu até os vereadores comunistas para a sua base. O PCdoB de tantas boas histórias foi para o colo do prefeito em troca de um cargo vinculado à Copa do Mundo.
O PT se manteve na oposição. E passou a ser o único partido que continuou batendo no governo dele, que, aliás, tem baixa aprovação popular. Enquanto isso, Kassab lançava suas fechas de amor eterno para o PSDB, tentando convencer o partido agora liderado por Alckmim a fechar um acordo incluindo 2014 no jogo.
Os tucanos apoiariam Afif e depois o PSD retribuiria apoiando Alckmim, que poderia ter o próprio Kassab de vice.
Alckmin enviava e continua enviando sinais de que não considerava o prefeito alguém confiável. Até porque depois de tê-lo indicado como vice de Serra, tomou um olé do próprio.
Quando Kassab percebeu que estava sendo sinucado pelo governador, de maneira muito inteligente fez uma nova jogada de mestre. Disse a Lula que aceitaria indicar o vice na chapa de Fernando Haddad. E num passe de mágica, conseguiu fazer com que o único foco de oposição da cidade se tornasse um meio foco. Boa parte dos vereadores petistas e das lideranças locais acha que o prefeito já não é assim tão ruim quanto era até a visita que fez a Lula. E alguns têm dito sem nenhuma cerimônia que se ele vier a indicar um candidato a vice razoável, tem jogo.
Como não é bobo nem nada, Kassab já está até enviando sinais de quem é o seu nome para compor chapa. Ele indicaria Alexandre Schneider, seu atual secretário de Educação, pessoa da sua extrema confiança. Quanto a Henrique Meirelles, diz que o banqueiro não aceita a tarefa.
O PSDB, evidentemente, ficou atordoado com essa nova movimentação do prefeito paulistano. E suas lideranças nacionais estão todas neste momento pressionando Alckmin a negociar com ele.
Kassab conseguiu fazer com que os petistas baixassem a guarda e que os tucanos voltassem a se esparramar em elogios a ele. Ou seja, voltou a ter o controle da sua sucessão.
Vai ficar muito ruim para os petistas que estão sinalizando aceitar um acordo com o prefeito se daqui a uns 30, 40 dias ele conseguir o que na verdade quer. Ou seja, ter o apoio dos tucanos para Afif. Ou ainda se Serra vier a ser candidato e o prefeito anunciar seu apoio a ele.
O pior cenário numa disputa é esse, iniciar a campanha refém do possível apoio de um adversário histórico. O PT que começou bem a construção de uma candidatura em São Paulo evitando as prévias, agora está sem saber se vai fazer uma campanha de oposição ou onde não vai poder criticar o atual governo municipal. O meu interlocutor tinha razão, o esperto dessa história toda é o Kassab.
Renato Rovai
No SpressoSP
Leia Mais ►

Charge online - Bessinha - # 997

Leia Mais ►

“Pofechô”

Luxemburgo flagra Ronaldinho com mulher na concentração e pede saída do craque do Flamengo

***

Só pra entender: esse Luxemburgo é aquele da manicure?








No KibeLoko
Leia Mais ►

Homem que comprou triplex de Roberto Marinho aparece na 1ͣ página do Extra com uniforme de Bangu 2

Acima, a capa de terça-feira do diário Extra, que pertence às Organizações Globo (que só aqui no Rio publica também os jornais O Globo, Valor Econômico, Expresso, possui as rádios Globo e CBN, a TV Globo, a revista Época, além dos canais Sportv e... e... [lista completa aqui], num oligopólio midiático à espera da Ley de Medios). O homem de verde, com a foto ampliada ao lado, é o banqueiro de bicho Aníz Abraão David, o Anísio da Beija-Flor, atualmente no presídio em Bangu.
A foto do Extra ironiza o bicheiro, flagrado com o uniforme da prisão: "Anísio já tem fantasia".
O jornal só não informa a seus leitores que o homem que ironiza na primeira página foi o comprador do triplex da Avenida Atlântica (Copacabana, Rio), que pertencia a Roberto Marinho.
Como separar o dinheiro sujo da contravenção e de sangue dos homicídios (também denunciados no editorial de O Globo) do usado para comprar o triplex de Roberto Marinho?
Leia Mais ►