4 de abr de 2012

É provocação? José Roberto Wright será ouvidor na CBF

Pode isso, Arnaldo? Árbitro do polêmico Atlético-MG e Flamengo pela Libertadores de 1981, quando expulsou quatro jogadores do time mineiro em 34min, Wright vai dar, na prática, pitaco sobre as arbitragens no país
Parece provocação, mas é verdade. O polêmico ex-árbitro, atualmente comentarista de arbitragem da TV Globo, José Roberto Wright, foi convidado pela CBF para dar sua opinião sobre erros dos juízes nas quatro linhas. Ele será uma espécie de ouvidor desses assuntos na entidade. O acordo ainda não foi fechado, mas o próprio Wright admite que ele está encaminhado e vê com bons olhos a nova função. O convite partiu do novo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, que está insatisfeito com o nível das arbitragens.
Se confirmado, o acordo vai dar o que falar principalmente em Minas Gerais. O árbitro é talvez a figura do futebol mais odiada pela torcida do Atlético Mineiro. Wright conseguiu ser o protagonista numa partida que contava com jogadores como Zico, Leandro, Mozer, Raul, Reinaldo, Palhinha, Éder e Toninho Cerezo.
Era uma autêntica decisão. Quem vencesse passaria para a fase seguinte da Copa Libertadores de 1981 - e, pela qualidade do elenco que tinha, seriam favoritos à conquista. Como estavam empatados com 8 pontos, Galo e Flamengo fizeram um jogo extra, em estádio neutro: o Serra Dourada, em Goiânia.
Os atleticanos já haviam estranhado o fato de um carioca apitar a partida. Logo aos 10min, Reinaldo, maior estrela mineira, fez uma falta em Zico e foi expulso. Muita reclamação. Minutos depois, Éder esbarrou no juiz e também foi expulso. Aí começou a confusão. Diretores, atletas reservas e imprensa cercaram José Roberto Wright. Palhinha e Chicão, na bagunça, também foram expulsos.
A partida foi reiniciada com a intervenção da PM. Com sete jogadores, ficaria impossível para o Atlético-MG. O goleiro João Leite então simulou uma contusão, o que motivou o fim da partida, já que o Galo passaria a contar com apenas seis atletas em campo. No tapetão, o Flamengo foi declarado vencedor do confronto - depois, o time carioca, que realmente era sensacional, ganhou a Libertadores.
Wright depois disso continuaria apitando, até com sucesso. Foi, por exemplo, o árbitro brasileiro na Copa de 1990, quando foi considerado pela Federação Internacional de História e Estatísticas do Futebol (IFFHS) o melhor do torneio. A mesma IFFHS, em um levantamento de 2010, apontou o árbitro como o melhor brasileiro de todos os tempos, e o 23º no mundo. Apitou três finais de Libertadores e sete de Campeonato Brasileiro.
Mas seu nome nunca foi esquecido pelos torcedores do Atlético-MG. Se a CBF confirmá-lo como ouvidor de arbitragem, pode-se esperar muita reclamação em Minas. Por enquanto, o juiz e atual comentarista da Globo aguarda apenas o retorno de Marin ao Rio (o presidente da CBF está em Recife) para fechar o acordo.

2 comentários:

  1. ...e muito comemorado no programa "bem amigos" com alegria dos amigos. Deve ser da cota do flamengo. só pode...

    ResponderExcluir

Comentários com links NÃO serão aceitos.

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam necessariamente a opinião do blog

Comentários anônimos NÃO serão publicados, como também não serão tolerados spams, insultos, discriminação, difamação ou ataques pessoais a quem quer que seja.

É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O blog poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.