12 de mai de 2011

De Twitter para Twitter: OAB-CE reage a agressão racista

Por conta da desclassificação do Flamengo na Copa do Brasil, com o empate de 2 x 2 ontem com o Ceará, uma torcedora rubronegra resolveu despejar na rede social Twitter um monte de asneiras. O nome da moça é Amanda Régis (@_AmandaRegis):
Asneiras preconceituosas, asneiras racistas, asneiras contra o português.
Por conta disso, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará, Valdetário Monteiro, resolveu dar o troco:
“OAB-CE entra hoje, 12, com medida judicial e notícia crime contra a internauta Amanda Regis por crime de injúria qualificada e discriminação”.
Pronto, simples assim.
E quem pensa que ela está sozinha nessa, olha o (mau) exemplo do Maurilio Avellar:
E o Lucian Farah:
By: O Cachete
Leia Mais ►

Os perigos que o PT enfrenta

Oito anos de Luiz Inácio Lula da Silva e a vitória de Dilma Rousseff na disputa pela sua reeleição não são apenas um problema da oposição. O PT também tem que fazer ajustes para se adequar a uma realidade que não é exatamente a da formação do partido. Embora suas instâncias internas garantam a representação dos grupos que interagem lá dentro, e acabem conferindo uma certa organicidade à legenda, o fato é que as eleições de 2006 e de 2010 criaram um descompasso entre esses quadros de origem e as massas que se incorporaram, via voto, ao partido de Lula.
Na sua origem, em 1980, os militantes operários ou provenientes de setores sociais excluídos da sociedade de consumo que aderiram ao partido vinham de movimentos organizados – do novo sindicalismo, do qual Lula foi expressão máxima, dos movimentos de base da igreja progressista ou dos movimentos de base organizados pelos partidos de esquerda que ficaram na ilegalidade no período da ditadura. Conviveram com eles, e tiveram uma expressão forte, militantes de organizações de esquerda que combatiam a ditadura e tinham em mente a organização de uma grande frente de esquerda não apenas como uma estratégia de superação do período autoritário, mas de luta política na democracia – uma opção que partia da autocrítica desses grupos, de que a pulverização da esquerda no período da ditadura os levou não apenas à derrota, mas à quase dizimação de seus militantes. Até 2002, a grande força eleitoral do partido se situava nas classes médias intelectualizadas e nos setores de esquerda organizados.
Ao longo de muitas eleições e de vitórias que foram colhidas em eleições para executivos municipais e estaduais, e depois de um crescimento constante em sua representação parlamentar federal, o PT foi se amoldando às exigências da democracia. A "institucionalização" do partido consolidou internamente uma burocracia ainda dividida em grupos, mas já totalmente adepta do pragmatismo. Grandes alianças parlamentares – e a péssima experiência de 2006, quando o chamado "mensalão" fez com que sua bancada parlamentar retraísse pela primeira vez desde a sua primeira disputa eleitoral – acabaram reforçando o pragmatismo. Hoje, ser cada vez mais forte passou a ser não simplesmente uma exigência para conquista ou manutenção do poder, já que a oposição se liquefaz após uma terceira derrota presidencial, mas uma luta pela hegemonia dentro do bloco governista.
O PT, especialmente no governo Dilma, trava uma luta permanente com o PMDB por espaços no poder. Isso consolida o espírito de corpo e restitui força a uma burocracia interna que tem know-how na luta institucional. Também confere prioridade à disputa institucional. A dinâmica interna do partido, que foi capaz, no passado, de fazer a síntese de grupos que disputavam espaço lá dentro e manter em torno de si, em maior ou menor proporção, uma militância, pode estar comprometida no momento em que precisa menos de conciliar posições ideológicas de suas facções, e mais de instrumentos para incorporar um eleitor não organizado, sem experiência de militância política mas com um poder crescente de definir os rumos da política pelo voto.
A curto prazo, e salvo algum episódio que cause grande comoção, o PT não deve perder os votos da classe média ascendente, fidelizada por políticas sociais que permitiram a ascensão social numa sociedade em que historicamente as chances individuais de superação da pobreza eram muito pequenas. Sem incorporar esses setores de fato ao partido, todavia, vai consolidar uma relação tradicional com esse eleitorado, em que a representação apenas se dá na hora do voto. Pode ser a última etapa de "institucionalização" da legenda que nasceu como uma frente de esquerda sem que tenha conseguido atrair grandes massas de eleitores das classes trabalhadoras e que agora, com a simpatia desses setores, perde a capacidade organizativa e de incorporação dessas massas. 
Maria Inês Nassif
E-mail: minassif@gmail.com
By: Nassif
Leia Mais ►

Encontro de blogueiros: inscrições abertas

Estão abertas as inscrições para o 2º Encontro Nacional dos Blogueiros Progressistas, que ocorrerá nos dias 17, 18 e 19 de junho, em Brasília. Os interessados devem acessar o endereço contato@baraodeitarare.org.br. A taxa de inscrição é de R$ 60,00 – estudantes pagam R$ 20,00. O evento será aberto à participação de blogueiros, twitteiros e demais ativistas das redes de sociais.
Luta pelo marco regulatório
Conforme já informado, o 2º Encontro terá como eixo central a luta por um novo marco regulatório dos meios de comunicação, que garanta avanços na democratização deste setor estratégico, com maior pluralidade e diversidade informativas. Estarão em debate o projeto de regulação da mídia, o Plano Nacional de Banda Larga (PNLB) e a liberdade na internet, entre outros temas. As ações políticas e organizativas para fortalecer a blogosfera progressista também serão alvo de intensa reflexão e polêmica.
Até agora já ocorreram seis encontros estaduais preparatórios que discutiram esta pauta – Pará, com 40 presentes; Rio Grande do Norte, 30; Paraná, 40; Mato Grosso, 70; São Paulo, 110; e Rio de Janeiro, 200 –, que somaram 490 blogueiros e ativistas digitais. Outros nove estão agendados para os próximos finais de semana: PB, PE, CE, RS, DF, ES, BA, AM, MA.
Programação do evento
Após inúmeros contatos, a comissão nacional de organização concluiu a programação do 2º Encontro Nacional. Ainda podem surgir novidades. Segundo o aguerrido Ênio Barroso, do blog PTrem das Treze, o ex-presidente Lula confirmou que estará presente ao evento. Mas, como informa Renato Rovai, da comissão nacional, ainda não foi formalizada a sua participação.
A comissão também decidiu abrir espaço para mesas autogestionadas no encontro. Os interessados devem apresentar propostas e serão responsáveis por organizar as atividades. As propostas de temas e nomes também devem ser enviadas para o endereço: contato@baraodeitarare.org.br. Pelo acertado até agora, o evento terá a seguinte programação – com os nomes já confirmados:
17 de junho, sexta-feira, às 19 horas
Palestra de abertura do ministro Paulo Bernardo sobre os desafios da comunicação na atualidade.
17 de junho, 21 horas
Festa de confraternização;
18 de junho, sábado, 9 horas
Debate: “A urgência do marco regulatório das comunicações”
- Fábio Konder Comparato – jurista, autor da ação na justiça (ADO) pela regulação da mídia;
- Luiza Erundina - deputada, coordenadora da Frente Parlamentar pela Liberdade de Expressão;
- Venício Lima – professor, autor do livro recém-lançado “Regulação das comunicações”;
18 de junho, às 14 horas
Mesas auto-gestionadas
(Propostas já apresentadas: os partidos e a luta pela democratização da mídia; as mulheres na blogosfera; o sindicalismo na era digital; a luta pela liberdade na rede; arte e humor na blogosfera; o papel das lan-houses);
18 de junho, às 18 horas
Palestra: “O papel da internet nas revoltas no mundo árabe”
- Almed Bahgat, um dos principais blogueiros de Egito;
19 de junho, às 9 horas
Reunião em grupo – troca de experiências, balanço do último período e plano de ação da blogosfera;
19 de junho, às 14 horas
Plenária final – aprovação do documento do 2º Encontro, plano de ação e organização e eleição da nova comissão nacional organizadora.
Estrutura do evento
A comissão nacional organizadora ainda se movimenta para garantir a mesma estrutura do 1º Encontro Nacional, realizado em agosto passado, em São Paulo. A ideia é viabilizar alojamento, refeição e toda a logística do evento. Para isto, a comissão retomou o contato com as entidades cotistas – “os amigos da blogosfera” – e também se reuniu com órgãos do governo federal e do DF.
Até o momento, não conseguimos garantir toda a estrutura. Por isso apelamos para que os blogueiros acionem as entidades dos seus estados para solicitar apoio financeiro. A cota é de R$ 3 mil reais. Os cotistas terão seus nomes divulgados nos blogs e no baner do evento. Também sugerimos que os blogueiros comprem antecipadamente as passagens – há muitos descontos na praça.
Leia Mais ►

Charge online - Bessinha - # 601

Leia Mais ►